Detalhes separam o acerto de Nenê com o Santos

10 01 2013

Diferença salarial, que antes era um empecilho, está próxima de ser solucionada. Empresário do atleta diz que chance do acerto é de 80%

Por Leonardo Perri

Nenê está perto de retornar ao Santos (Foto: Foto: Divulgação/site oficial PSG)

Nenê está perto de retornar ao Santos (Foto: Foto: Divulgação/site oficial PSG)

Depois de anunciar Montillo e Cícero como reforços para 2013, o Santos está muito próximo de fazer mais uma contratação para a nova temporada. Nenê, jogador do Paris Saint-Germain(FRA) e desejo antigo do clube, aceitou reduzir a pedida salarial que ganhava na Europa e os valores  se aproximaram da oferta feita pelo clube da Vila Belmiro, que também agrada ao atleta.

A negociação voltou a evoluir pois as duas partes entenderam que precisavam ceder a fim de um desfecho positivo. Na última terça-feira, o empresário do atleta, Gilvan Costa, disse ao clube santista que a proposta salarial para o atleta teria que ser aumentada devido a diferença de impostos cobrada na Europa e no Brasil, além do fato de o Santos não ter que pagar pela transferência.

– De 0 a 100, a chance é de 80%. Ele está pensando e amanhã (quinta-feira) sai a decisão final. O Santos chegou mais perto do que queríamos – afirmou o agente ao Globoesporte.com

Correndo por fora, existe a possibilidade de um clube do Qatar levar o atleta. No entanto, o próprio jogador enxerga com bons olhos um retorno ao Brasil na expectativa de ser observado pelo técnico da Seleção Brasileira Luiz Felipe Scolari e ser convocado. Especula-se que haja uma sondagem do Milan, mas nenhuma oferta chegou.

A negociação com o clube do Qatar não foi descartada pelo empresário, mas ele destacou a vontade de Nenê em atuar pelo Santos. A expectativa é que o acordo seja fechado ainda nessa quinta-feira mas o anúncio oficial só será possível quando o contrato com a equipe francesa for rescindido.

– A ida para o Qatar não está descartada, mas o Nenê quer vestir a camisa do Santos. A gente está na expectativa. Alguns detalhes burocráticos ainda emperram, mas o Santos está se aproximando do que o jogador deseja receber – disse o agente, ao Lance!Net

Atento ao mercado, o Santos mantém o negócio com Nenê como prioridade mas já sondou a situação do meia Carlos Eduardo, atualmente no Rubin Kazan, da Rússia caso o acerto não saia. No momento, o provável reforço santista está treinando na França mas não foi relacionado para a partida contra o Ajaccio. Com um acordo de rescisão com o Paris Saint-Germain caso venha alguma proposta, o atleta aguarda o desfecho.

Anúncios




#FalaNenê: samba em Paris

14 03 2012

Desejo sim encerrar minha carreira no Brasil”

Por Luiz Queiroga

Anderson Luis de Carvalho é um homem que não foge de um bom desafio. Nascido em Jundiaí, Nenê, como passou a ser conhecido no futebol, sempre se dedicou ao máximo para não ser apenas mais num no esporte. Com passagens por grandes clubes, como Palmeiras, Santos e Paris Saint-Germain, o brasileiro de 30 anos deixou sua marca em todas as equipes em que passou, seja pela dedicação em campo ou habilidade com a bola nos pés.

No especial #FalaNenê, dividido em três partes, oJornalismo FC bateu um papo com o maior ídolo na década do PSG.

Nesta terceira e última parte da entrevista, Nenê comenta a respeito da sua passagem pela equipe de Paris, da influência da empresa do Qatar no clube e a chegada de uma legião de brasileiros na equipe. O meia também comenta sobre seus planos de voltar ao Brasil.

——————————————————————————————————————————————————
CONFIRA A PRIMEIRA PARTE DO ESPECIAL #FALANENÊ
————————————————————————————————————————————

JFC. Ano passado, a Qatar Sports Investments comprou 70% das ações do Paris Saint-Germain e trouxe para gerir o futebol do clube Leonardo, que atuou no PSG na temporada 1996/1997. Ele foi responsável pelas grandes contratações da equipe até agora, como a de Diego Lugano e Javier Pastore. Qual é o seu ponto de vista sobre o trabalho dele como diretor esportivo?
Trata-se de um profissional qualificado e já mostrou sua capacidade. O trabalhos dele está ótimo e nem poderia esperar outra coisa. Trouxe jogadores certos e de qualidade e que com certeza irá trazer ótimos resultados para a equipe. Tanto que para um primeiro momento já é notório, pois estamos liderando o Campeonato Francês. Com mais tempo e entrosamento sem dúvida vamos alçar voos mais altos e justificar esse investimento.

Nenê hoje conta com companheiros como Lugano (foto) e Pastore graças ao dinheiro do Qatar (Foto: Tática Assessoria)

JFC. Nesta última janela de transferências, o zagueiro Alex, o volante Thiago Motta e o lateral-esquerdo Maxwell foram contratados. Além de você, Ceará é outro brasileiro do elenco. Dará samba?
Já está dando (risos). Além de brasileiros são jogadores de qualidade e que nos ajudarão muito na conquista de títulos, assim como foi nos clubes que defenderam.

Nenê e Alex comemoram gol do zagueiro. Além deles, Maxwell, Thiago Motta e Ceará completam a legião brasileira no PSG (Foto: Reuters)

Nenê é um dos destaques da equipe parisiense (Foto: AFP)

JFC. Atualmente líder e sendo seguido de perto pelo Montpellier, como está sendo a expectativa de conquistar o Campeonato Francês, sendo que o último título foi na temporada 1993/94?
A expectativa existe mais ainda é muito cedo. Temos que focar e pensar um jogo de cada vez, pois como você disse o Montpellier não deixou a gente se distanciar e o equilíbrio da competição é muito grande.

JFC. Certamente na próxima temporada o Paris Saint-Germain voltará a disputar uma UEFA Champions League. Qual será o pensamento do clube no maior torneio entre clubes da Europa?
Entrar para ganhar e conquistar o título. O pensamento nem poderia ser diferente, tanto pela grandeza do PSG como pelos investimentos. Aprendemos muito com a saída precoce nesta temporada, mas até lá estaremos com um time mais encorpado e entrosado.

JFC. Com o investimento que o PSG tem feito, a chegada de reforços de peso e o apoio da torcida, o que mais falta para o clube voltar ao cenário internacional?
Títulos. Essa é a melhor maneira do clube se tornar uma “vitrine”.

——————————————————————————————————————————————————
CONFIRA A SEGUNDA PARTE DO ESPECIAL #FALANENÊ 
————————————————————————————————————————————————

Nenê durante sua passagem no Santos: meia pode retornar ao Brasil em breve (Foto: AFP)

JFC. Ao longo de toda a sua carreira, foi treinado por diversos técnicos de peso, como Vanderlei Luxemburgo, Emersão Leão, Ricardo Gomes e agora Carlo Ancelotti. Para você, qual foi o melhor?
Difícil dizer o melhor, pois cada um tem sua importância, seu estilo de trabalhar e sou grato a todos. O importante é você saber tirar proveito de cada experiência para o seu crescimento técnico, tático e profissional.

JFC. Quais são os seus planos para os próximos anos, pretende retornar ao Brasil ou encerrar a carreira na França?
A princípio é cumprir meu contrato com o PSG. Depois ainda não pensei, mas devo continuar por mais um tempo por aqui no futebol europeu. Desejo sim encerrar minha carreira no Brasil, mas é cedo para falar disso, tenho muita lenha pra queimar ainda (risos).

Especial #FalaNenê:





#FalaNenê: à procura de desafios

10 03 2012

“Não queria ser apenas mais um; sempre gostei de desafios”

Por Luiz Queiroga

Anderson Luis de Carvalho é um homem que não foge de um bom desafio. Nascido em Jundiaí, Nenê, como passou a ser conhecido no futebol, sempre se dedicou ao máximo para não ser apenas mais num no esporte. Com passagens por grandes clubes, como Palmeiras, Santos e Paris Saint-Germain, o brasileiro de 30 anos deixou sua marca em todas as equipes em que passou, seja pela dedicação em campo ou habilidade com a bola nos pés.

No especial #FalaNenê, dividido em três partes, o Jornalismo FC bateu um papo com o maior ídolo na década do PSG.

Nesta segunda parte da entrevista, Nenê explica como foi sua primeira experiência na Europa e os motivos que o levaram a permanecer no Velho Continente em equipes medianas enquanto propostas de grandes do Brasil surgiram.

——————————————————————————————————————————————————
CONFIRA A PRIMEIRA PARTE DO ESPECIAL #FALANENÊ
——————————————————————————————————————————————————

JFC: No mesmo ano, acabou indo para a Espanha defender as cores do Mallorca. Arrependeu-se da escolha ou acredita ter feito a decisão certa?
Se fosse hoje acredito que faria diferente e seguraria um pouco mais minha ida para o futebol europeu. Mas por outro lado serviu bastante para o meu crescimento pessoal e profissional.

Nenê atuando nos Mallorca: a adaptação ao estilo europeu foi tranquila para o brasileiro (Foto: Divulgação/nenefutebol.com.br)

JFC: Durante sua passagem pelo Mallorca, você recebeu propostas de grandes clubes brasileiros, mas acabou acertando com o modesto Alavés, que estava na Segunda Divisão do Campeonato Espanhol. Qual era o seu pensamento naquele momento?
Não queria ser apenas mais um, ou seja, bater e voltar logo para cá. Sempre gostei de desafios e aceitei esse porque teria uma boa sequência, o que seria e foi importante para minha melhor adaptação dentro de campo. Foi uma experiência muito boa e que deu certo, tanto que conseguimos subir novamente o Alavés para a elite.

Na França, Nenê não teve dificuldades de demonstrar seu futebol no Mônaco e foi um dos destaques da equipe, inclusive artilheiro em 2010 (Foto: Divulgação/nenefutebol.com.br)

JFC: Ao fim da sua passagem pela Espanha, onde ainda atuou pelo Celta de Vigo, foi disputado pelo Getafe-ESP e Olympiakos-GRE, mas acertou sua ida para o futebol francês, onde defenderia o Mônaco entre 2007 e 2010. Por que decidiu mudar de país num momento no qual você já estava consolidado no futebol espanhol?
Como já disse gosto sempre de desafios, além do projeto que apresentaram na oportunidade me pareceu ser interessante. Além disso, em Monaco poderia dar uma qualidade de vida enorme para minha família.

JFC: No Mônaco chegou a reencontrar Ricardo Gomes, que o havia treinado na Seleção Brasileira Sub-23. Como foi a sua relação com o técnico e como ele ajudou na sua adaptação a nova equipe?
Sempre bom quando tem outros brasileiros nas equipes que irá defender, principalmente quando é o técnico, pela facilidade de entender o esquema, o que deseja que faça em campo, enfim…Nossa relação foi boa e sem dúvida ajudo para me deixar mais a vontade no elenco.

JFC: O ótimo futebol apresentado no Mônaco o levou para o tradicional Paris Saint-Germain como a principal contratação no futebol francês da temporada 2010/2011. A pressão para recolocar o clube novamente no cenário internacional e conquistar títulos foi vista para você como o grande desafio da sua carreira no momento?
Sem dúvida. Por lá já passaram e deixaram uma ótima imagem brasileiros como o Leonardo, Raí e Ronaldinho Gaúcho, então não poderia fazer feio também  (risos). Mais essa pressão de clube grande de sempre querer o melhor e disputar títulos é que motiva mais ainda o atleta e comigo não é diferente.

Não demorou muito para Nenê cair na graça da torcida no PSG (Foto: Reuters)

JFC: Como é a sua relação com a torcida parisiense? Há comparações com os também ídolos Raí e Ronaldinho Gaúcho?
Graças à Deus a relação é maravilhosa. O carinho deles é enorme e isso é muito gratificante, sinal que vocês fazendo bem seu papel em campo. Comparação não existe, até porque são estilos diferente, apesar de estar vestindo a camisa 10 também agora. Mas sem dúvida eles são e serão sempre lembrados por aqui pelo que fizeram.

Especial #FalaNenê:





#FalaNenê: os primeiros passos no futebol

7 03 2012

“O pensamento inicial é sempre tornar o sonho em realidade”

Por Luiz Queiroga

Anderson Luís de Carvalho é um homem que não foge de um bom desafio. Nascido em Jundiaí, Nenê, como passou a ser conhecido no futebol, sempre se dedicou ao máximo para não ser apenas mais um no esporte. Com passagens por grandes clubes, como Palmeiras, Santos e Paris Saint-Germain, o brasileiro de 30 anos deixou sua marca em todas as equipes em que passou, seja pela dedicação em campo ou habilidade com a bola nos pés.

No especial #FalaNenê, dividido em três partes, o Jornalismo FC bateu um papo com o maior ídolo na década do PSG.

Na primeira parte da entrevista, Nenê fala sobre os primeiros passos na carreira, comenta sobre dois técnicos bastante queridos por ele – responsáveis, em sua visão, pelas suas várias conquistas no esporte – e como foi ser o primeiro jogador profissional de futebol da família.

1. Quando você marcou o seu primeiro gol pelo Floresta, equipe na qual começou a trajetória no futebol, em Jundiaí, pensou que um dia conquistaria tudo o que conseguiu até agora?
Jamais. O pensamento inicial é sempre tornar o sonho em realidade, ou seja, se tornar um jogador profissional e jogar por uma grande equipe. Mas sou muito grato por tudo que conquistei até hoje, graças ao futebol e a minha dedicação.

2. Como foi a reação da família quando você decidiu seguir a carreira de jogador de futebol, uma vez que nenhum parente até então chegou a atuar no meio?
Foi tranquilo e desde o começo todos me apoiaram e incentivaram, coisa que muita vezes não acontece. Ter esse respaldo e importante e lhe dá mais confiança de você ir atrás do seu objetivo.

3. Com o segundo grau completo, qual seria sua alternativa caso os planos de se profissionalizar no futebol não desse certo?
Olha, sinceramente não sei e não parei para pensar sobre como seria se isso acontecesse. Afinal, desde pequeno era fanático por bola.

Nenê aproveitou a chance de Luiz Carlos Ferreira e foi o destaque do Paulista durante sua passagem (Foto: Divulgação/nenefutebol.com.br)

4. O técnico Luiz Carlos Ferreira foi o responsável por você integrar o time principal do Paulista de Jundiaí após ter visto seu desempenho nas categorias de base do clube, até onde você credita seu sucesso no esporte por causa dele?
Primordial, pois foi quem me abriu as portas para que pudesse mostrar meu potencial. Quantos jogadores talentosos têm por aí no amador, várzea e até nas categorias de base dos clubes, por exemplo, e que não ganham uma chance ou uma oportunidade. Com isso desanimam e não seguem na carreira.
Faz tempo, hein… (risos). Com certeza foi para meus familiares, que sempre me apoiaram e deram força para que eu pudesse realizar o sonho de me tornar um atleta profissional.5. A estreia contra o Madureira no Campeonato Brasileiro da Série C de 2001 marcou também seu primeiro gol, lembra-se para quem você o dedicou?

Nenê foi um dos poucos destaques positivos da campanha do rebaixamento do Palmeiras em 2002 (Foto: Divulgação/nenefutebol.com.br)

6. Após as ótimas atuações pelo Paulista de Jundiaí, chegou a ser contratado pelo Palmeiras, em 2002. Pela grandeza do clube, como foi a sua reação quando a equipe foi rebaixada para a Série B do mesmo ano?
Foi uma tristeza enorme, porque era minha primeira oportunidade num grande clube e da aquela sensação de objetivo não alcançado. Mas por outro lado saí aliviado por ter a consciência de ter feito meu melhor, tanto que mesmo com aquela campanha do time fui considerado pela torcida um dos destaques.

7. Logo em seguida você acabou sendo convocado para a Seleção Brasileira Sub-23 pelo treinador Ricardo Gomes e depois transferiu-se para o Santos, em 2003. Como pode descrever este momento da sua vida?

Estava tudo acontecendo muito rápido e parecia um sonho. Jogar no Santos, time do Rei do futebol e meu segundo clube de expressão, e ainda por cima defender a Seleção, desejo de qualquer atleta, foi indescritível.





Em disputa pela liderança, PSG empata com o Montpellier e assegura ponta

20 02 2012

Time parisiense contou abriu o marcador com bonito chute de Alex; briga pela classificação para a Europa League está acirrada

Por Luiz Queiroga

Nesse final de semana aconteceu a 24ª rodada do Campeonato Francês e o Jornalismo FC traz um resumo dos principais resultados:

PSG 2 x 2 Montpellier

Alex comemora com o companheiro Nenê primeiro gol da partida (Foto: Reuters)

O confronto entre Paris Saint-Germain e Montpellier era visto como uma final antecipada pela imprensa local ao decorrer da semana. Os dois são os únicos que brigam pelo título, mas o empate por 2 a 2 apenas deu mais emoção ao campeonato.

Em jogo disputado no Estádio Parque dos Príncipes, o marcador só foi inaugurado aos 40min, em lance brasileiro. Cobrando falta próxima da área, Nenê rolou a bola para o companheiro Alex acertar um fortíssimo chute. Passados apenas seis minutos, o Montpellier empatou com Belhanda, de cabeça.

Na etapa complementar, os visitantes viraram com Utaka, aos 37min. Com o resultado, a equipe assumia a liderança, mas graças a bela jogada individual de Menez pelo lado do campo, o PSG retomou o topo da tabela após o francês cruzar para Hoarau igualar o marcador. O resultado fez com que os parisienses somassem 51 pontos, um a mais que o Montpellier.

Olympique de Marselha 1 x 1 Valenciennes

Brandão e Gil: companheiros de Cruzeiro se reencontraram na França (Foto: AP)

O Valenciennes conseguiu um empate fora de casa contra o Olympique de Marselha graças a um brasileiro. Disputando vaga para a UEFA Europa League, o time da casa partiu para o ataque e balançou as redes logo aos 16 minutos, em grande jogada de Alou Diarra.

No segundo tempo, porém, os visitantes conseguiram o empate após o ex-cruzeirense Gil finalizar bem aos seis minutos. O resultado fez com que o Olympique embolasse a briga pela classificação para o torneio europeu somando 39 pontos, alcançando a quarta posição. Já o Valenciennes está em 13º lugar, com apenas 25 pontos.

 

Briga pela vaga da UEFA Europa League

A quarta posição do Campeonato Francês, atualmente do Olympique de Marselhesa, recebe uma análise especial por estar sendo disputada por seis equipes.

O Bordeaux venceu o rival direto Olympique de Lyon pelo placar mínimo, com o gol de Gouffran, aos 41min do primeiro tempo, em casa. O resultado fez com que os girondinos somassem 36 pontos.

A equipe girondina conseguiu um grande resultado diante o rival (Foto: Divulgação/Olympique de Lyon)

Outro que também venceu foi o Saint-Etienne com uma goleada de 4 a 0 em cima do Rennes, adversário direto para a vaga tão desejada. Os gols foram feitos por Mignot, Batlles, Sako e Gradel, deixando a equipe com os mesmos pontos que o Bordeaux.

O Toulouse fecha a lista da concorrência, com 37 pontos. A equipe venceu por três a zero o Nancy e segue firme na briga.

Confiras os jogos da 24ª rodada do Campeonato Francês:

Sábado, 18/02
Sochaux 0 x 0 Auxerre
Ajaccio 0 x 0 Brest
Caen 2 x 2 Évian Thonon Gaillard
Lorient 0 x 1 Lille
Dijon 3 x 0 Nice
Nancy 0 x 3 Toulouse
Olympique de Marselha 1 x 1 Valenciennes

Domingo, 19/02
Paris Saint-Germain 2 x 2 Montpellier
Bordeaux 1 x 0 Lyon
Saint-Etienne 4 x 0 Rennes





Campeonato Francês – 23ª Rodada

13 02 2012

Goleada de Montpellier e tropeço do PSG esquentam a briga pela ponta

Por Luiz Queiroga

Neste final de semana aconteceu a 23º Rodada do Campeonato Francês e o Jornalismo FC traz um resumo dos principais jogos da League 1:

Nice 0 x 0 PSG

Mesmo com um empate sem gols, o Paris Saint-Germain segue na liderança do torneio, um ponto apenas à frente do Montpellier. Mesmo Nenê, Alex, Maxwell e Thiago Motta, o time do técnico Carlo Ancelotti não conseguiu balançar as redes.

Chamou atenção a expulsão do auxiliar do treinador, o ex-jogador Claude Makelele, após discussão com membros da arbitragem. Nenê foi um dos melhores em campo, criou boas oportunidades, mas não conseguiu dar a vitória ao time da capital francesa.

Montpellier 3 x 0 Ajaccio

Com 49 pontos somados, o Montpellier segue firme em busca do título. A surpreendente campanha da equipe teve mais uma grande vitória nesse sábado (11) e está apenas a um ponto do líder PSG.

O primeiro tempo foi sem grandes emoções, mas a etapa complementar teve uma partida completamente diferente. Aos oito minutos, Belhanda marcou de pênalti. Depois foi a vez de Cabella balançar as redes, aos 19min. Quatro minutos depois, Giroud deu números finais à goleada.

Próxima rodada decisiva e com fortes emoções: Paris Saint-Germain e Montpellier se enfrentarão em pleno Parque dos Príncipes, casa do time de Nenê.

Lyon 1 x 2 Caen

Atuando diante de sua torcida no estádio Gerland, o Olympique de Lyon decepcionou ao perder para o modesto Caen. O time que está lutando contra o rebaixamento abriu o placar logo aos 13min, com Hamouma. Aos 29, Nabab anotou o segundo dos visitantes.

O time dos brasileiros Cris, Ederson e Michel Bastos não acordou e pouco criou em toda a partida. O argentino Lisandro López foi o responsável pelo gol de honra do Lyon, aos 41min do segundo tempo. A equipe está em quarto lugar com apenas 39 pontos.
Lille 4 x 5 Bordeaux

O principal destaque da rodada foi a grande partida entre Lille e Bordeaux. Desde o apito inicial, o clima de goleada surgiu quando Nicolas Maurice-Belay aproveitou o rebote do goleiro após chute de Ludovic Obraniak para estrear o placar logo aos dois minutos para o Bordeaux.

Pouco depois, o time da casa empatou com David Rozehnal e virou aos 18min, quando Grouffan tocou para Obraniak virar o jogo. O resultado voltou apenas a ser alterado no segundo tempo, quando Maurice-Belay arrematou para anotar o terceiro gol. Aos 15min, Grouffan marcou mais um para o Bordeaux, praticamente selando a vitória.

Os minutos seguintes, porém, não foram como os visitantes esperavam. O Lille teve uma reação surpreendente, começando pelos pés de Eden Hazard, cobiçado por grandes da Europa, ao cobrar perfeitamente falta próxima à área, sem chances de gol, aos 19min. Aos 29, Debuchy diminuiu o prejuízo e o empate veio aos 44min.

Mais surpreendente que a reação do time da casa, contudo, foi a determinação girondina em não deixar que a vitória quase assegurada ao decorrer do jogo fosse em vão. No último de acréscimos, o ex-Fluminense Mariano cruzou para Sertic desviar de cabeça e deixar o polonês Obraniak em ótima posição para deixar o Bordeaux novamente à frente no placar.

SÁBADO (11/02)
Auxerre 1×1 Lorient
* Evian x Olympique de Marselha
Lyon 1×2 Caen
Montpellier 3×0 Caen
Valenciennes 1×0 Nancy
Rennes 1×0 Sochaux
Brest 1×1 Dijon

DOMINGO (12/02)
Lille 4×5 Bordeaux
Nice 0x0 PSG
Toulouse 0x1 Saint Etienne

* Jogo adiado devido ao mau tempo





NBA tem final de semana com triple-double de Rajon Rondo e mais uma vitória do Miami Heat

13 02 2012

Equipe da Flórida segue forte e armador dos Celtics da show contra Chicago Bulls

Por Ederson Manoel

Em final de semana que marcou domínio do Miami Heat na temporada 2012, Lebron James e Dwyane Wade brilharam na vitória sobre o Atlanta Hawks por 107 a 87, no duelo dos lideres da Divisão Sudeste da NBA.

Wade chegou aos 21 pontos e Lebron, cestinha da partida, chegou aos 23. O Miami se isolou de vez na liderança com 21 uma vitórias, três a mais do que os Hawks.

O Celtics se recuperou na competição em grande estilo. Em noite inspirada do armador Rajon Rondo, que emplacou um triple-double ao marcar 32 pontos, 15 assistências e pegar dez rebotes, a equipe de Boston bateu o Chicago por 95 a 91. Mesmo com os Bulls fazendo um jogo equilibrado, foi impossível para o incrível Rajon Rondo.

Destaque também para o ala-pivô Kevin Garnet que chegou ao double-double com 13 pontos e 12 assistências. No Chicago, destaque para os pivôs Carlos Boozer, 22 pontos e sete rebotes e Joakim Noah com 16 pontos e nove rebotes.

Brasileiros

O final de semana ficou marcado pela lesão do pivô Anderson Varejão, do Cleveland Cavaliers, na derrota da sua equipe para o Milwaukee Bucks por 113 a 112. O brasileiro fazia uma boa partida, somava dez pontos e quatro rebotes, quando sofreu a lesão no punho.

De acordo com o departamento médico do Cavs, Varejão sofreu uma micro fratura e não há previsão para o seu retorno.

Nenê Hilário teve atuação discreta, marcou 11 pontos e pegou cinco rebotes, na vitória do Denver sobre o Indiana Pacers por 113 a 109. O cestinha dos Nuggets foi o armador Ty Lawson com 27 pontos. Na equipe dos Pacers, destaque para o ala Danny Granger com 26 pontos.

Com a vitória, o Denver quebrou uma incomoda sequência de cinco derrotas consecutivas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Imagens: AP








%d blogueiros gostam disto: