‘Podemos reverter isso’, afirma Muricy de volta ao São Paulo. Treinador tem bom histórico no 2º turno em brasileiros

11 09 2013

Técnico vai ter que melhorar o aproveitamento do time em quase 20% para afastar definitivamente a chance de rebaixamento

Por Diogo Arraes e Diogo Belley

Muricy Ramalho é o novo técnico do São Paulo e foi apresentado nesta última terça-feira (10). Ele substitui Paulo Autuori, que ficou no cargo quase dois meses, mas os resultados positivos não vieram.

Em sua terceira passagem pelo Tricolor, Muricy encontra um time bem diferente de sua última oportunidade. A equipe está na zona de rebaixamento, na 18ª posição, com 18 pontos. E teve um aproveitamento de 31,6% no 1º turno. Apesar disso, o comandante confia numa virada na segunda etapa do campeonato.

– Não pode ter medo, tem que trabalhar. O Felipão fez seu melhor e ganhou a Copa do Brasil (pelo Palmeiras no ano passado). Achei que poderia contribuir, por isso que aceitei. Senão poderia ter ido pro Catar, pois estavam me convidando. Estou muito acostumado a ficar muito tempo nos clubes. Claro que o São Paulo passa por um mal momento, mas podemos reverter isso e fazer um planejamento para o próximo ano – disse Muricy ao Estadão.

O técnico e seus comandados terão um objetivo, chegar aos 46 pontos. Para isso, o São Paulo precisa conquistar 28 pontos dos 57 que estarão em disputa no 2º turno e obter um aproveitamento de 49,1%. Mesma porcentagem do Coritiba, por exemplo. O time do Paraná teve 7 vitórias, 7 empates e 5 derrotas, no 1º turno.

Essa margem de 46 pontos é retirada de uma base que desde 2006 (quando o campeonato passou a ter 20 times) e quatro rebaixados, nenhuma equipe caiu com no mínimo esse patamar de pontuação.

Cada campeonato tem a sua história. No ano passado o último rebaixado foi o Sport, na 17ª posição, com 41 pontos. Se a base for essa, o time que chegar aos 42 ou 43 pontos pode ser que escape da zona da degola. Os matemáticos já começaram os cálculos para este campeonato de 2013.

Probabilidades para o Campeonato Brasileiro de 2013 (Arte: UOL)

Probabilidades para o Campeonato Brasileiro de 2013 (Arte: UOL)

Retrospecto de Muricy no São Paulo é favorável

O São Paulo vive um momento totalmente diferente daquele que passou quando foi tricampeão brasileiro sob o comando de Muricy. Brigas políticas, rusgas internas entre diretoria e jogadores, atletas afastados e muitas outras coisas.

Entretanto, o técnico que começou a sua carreira de jogador e treinador no Tricolor tem um histórico muito animador para os torcedores e dirigentes que apostam suas fichas nele para tirar o time dessa zona de rebaixamento definitivamente.

Muricy emocionado com o tricampeonato brasileiro (Foto: Gazeta Press)

Muricy emocionado com o tricampeonato brasileiro (Foto: Gazeta Press)

O primeiro brasileiro disputado e conquistado por Muricy no comando do São Paulo foi em 2006. Em 19 jogos no 2º turno daquele ano, o time conseguiu fazer 40 pontos. Média superior ao que precisa agora. A diferença é que a equipe tinha terminado o 1º turno na primeira posição, com 38 pontos.

Em 2007 veio a segunda conquista, diferentemente da primeira o Tricolor terminou o 1º turno com 39 pontos, também na liderança, mas no 2º turno acabou somando menos, 38 pontos, total de 77. Também pontuação e aproveitamento acima do que necessita atualmente para a segunda etapa da competição.

Por fim chegamos a 2008, ano do tricampeonato e consagração de Muricy Ramalho como técnico do São Paulo. O time havia ficado em 4º lugar no 1º turno com 33 pontos. Logo na primeira partida do 2º turno, o São Paulo perdeu do Grêmio, que era o líder, e ficou a 11 pontos do time gaúcho.

Depois disso, o time teve uma arrancada fenomenal e somou 42 pontos no 2º turno, com 12 vitórias, 6 empates e 1 derrota. Com um total de 75 pontos, o Tricolor chegou ao terceiro título seguido e Muricy Ramalho entrou para sempre na galeria de treinadores notáveis da história do São Paulo.

Muricy Ramalho tentará novamente uma façanha. Talvez tão difícil quanto os três Campeonatos Brasileiros que ganhou em sequência, resgatar a alto estima de jogadores, o bom futebol e motivá-los para uma nova empreitada nesse 2º turno. Afinal, como ele mesmo diz, “Aqui é trabalho, meu filho!”.

TRABALHO A CURTO PRAZO

Em 2006, o técnico Muricy Ramalho chegou ao São Paulo e sagrou-se tricampeão brasileiro. O trabalho dele ficou caracterizado por dar resultados a longo prazo, já que por muitas vezes ele balançou no cargo do comando tricolor pelo mau rendimento da equipe nos primeiros semestres dos anos à frente do time, não conseguindo bons resultados na Copa Libertadores e no Campeonato Paulista.

Gesto característico mostrando que o treinador tem "sangue na veia" (Foto: Terra)

Gesto característico mostrando que o treinador tem “sangue na veia” (Foto: Terra)

Os dois últimos clubes do treinador foram Fluminense e Santos. E neles, diferentemente, conseguiu obter resultados imediatos. Na equipe das Laranjeiras, ele chegou em abril de 2010 e rapidamente montou o esquadrão que viria a ser campeão do Campeonato Brasileiro daquele ano, liderando o torneio quase que inteiro, de ponta à ponta.

Pelo Peixe não foi diferente. Muricy substituiu Adilson Baptista e logo venceu o Campeonato Paulista e a Libertadores da América. No entanto, a semelhança entre os dois trabalhos não param por aí. Após as repentinas vitórias, o técnico não conseguiu permanecer com a boa sequência nos dois clubes e acabou saindo. Situações inversas ao que se deu no Morumbi.

Agora, com o São Paulo na zona de rebaixamento, ele terá de manter o retrospecto inicial que teve por Fluminense e Santos para salvar o time de um vexame histórico. A identificação dele com clube é inegável, mas é necessário trabalho, como ele mesmo gosta de dizer. Resultados em tempo curto que o caracterizaram nos últimos anos e a montagem de grandes elencos que fizeram dele tricampeão brasileiro serão fundamentais para que Muricy tenha vida longa no clube de coração. Resta esperar.





Ídolo como técnico e jogador? Rogério Ceni quer ser o próximo

5 08 2013

Presidente ofereceu plano para o capitão continuar no clube após aposentadoria; goleiro aprova a ideia

Por Diogo Belley

Já é certo que Rogério Ceni irá pendurar as chuteiras ao fim desta temporada. Mas é impossível imaginar o futuro do capitão do São Paulo longe do Morumbi. Assim, o presidente Juvenal Juvêncio pretende oferecer ao goleiro-artilheiro um projeto para que ele se torne treinador do clube nos próximos anos.

Ceni, jogador que mais vezes vestiu a camisa do São Paulo, poderá ser treinador do clube (Foto: Eduardo Viana)

Tido como o maior jogador na história do Tricolor, Ceni já demonstrou interesse em virar técnico da equipe. Segundo reportagem do “LANCE!Net”, o goleiro teria dito a amigos que deseja se preparar para o possível cargo e que gostaria de se tornar auxiliar do time já em 2014.

– A minha perceptiva do Rogério não é a burocracia de uma diretoria. Ele pode até no começo começar a visualizar esse processo, não necessariamente imediatamente após a aposentadoria, mas no meu ideário ele será um cidadão que no futuro será um técnico. E eu o conheço bem – disse Juvenal, em entrevista ao site do “Diário Lance!”.

CAMPEÕES MUNDIAIS: veja qual rumo tomou a carreira dos são paulinos que jogaram o Mundial de 2005 

É possível notar a força e a liderança do atleta não só dentro das quatro linhas. Recentemente, o então diretor de futebol Adalberto Baptista, após troca de farpas com o goleiro através da imprensa, acabou demitido. A atitude do dirigente foi fortemente repreendida pela cúpula são paulina e o presidente não teve alternativas, se não a de escolher outra pessoa para o cargo.

No começo de 2012, enquanto se recuperava de uma lesão no ombro, Rogério viajou para a Europa para conhecer as estruturas e os métodos de treinamento de grandes equipes como Real Madrid e Barcelona. Apesar de já ter declarado que gostaria de chegar à presidência do São Paulo, a ideia de dirigir o time dentro de campo agrada bastante o ídolo tricolor.

Ídolos como jogadores e como treinadores

A história do futebol tem exemplos semelhantes ao que pode acontecer com Rogério Ceni. No próprio São Paulo, Muricy Ramalho foi um jogador vitorioso no clube e como técnico tricolor conquistou três vezes seguidas o Campeonato Brasileiro, um feito inédito.

Nos anos 60, Telê Santana, após passagem vencedora como jogador do Fluminense, começou a carreira de treinador na equipe carioca e conquistou um campeonato estadual em cima do rival Flamengo. Hoje ele é lembrado como um dos maiores treinadores que o Brasil já teve.

O mesmo aconteceu com Pepe, ex-jogador do Santos. Grande ídolo da história do Peixe, segundo maior artilheiro com a camisa alvinegra (atrás somente do Rei Pelé), o ex- ponta, assim que encerrou a carreira, em 1969, assumiu a base da equipe da Vila Belmiro. Em 1973, quando chegou aos profissionais, conquistou de cara um Campeonato Paulista. Depois, comandou outras equipes do futebol nacional realizando bons trabalhos.

Falcão não deu certo como treinador no Internacional (Foto: Jeremias Wernek/UOL Esporte)

Recentemente, Paulo Roberto Falcão, idolatrado no Internacional, tomou a frente do comando técnico da equipe. Mesmo conquistando o Campeonato Gaúcho de 2011, ele não resistiu a campanha irregular durante o Brasileirão daquele mesmo ano e toda a história dele no clube não valeu de nada, acabando demitido após derrota por 3×0 para o São Paulo, no Beira-Rio. O mesmo aconteceu com o ex-atacante Fernandão, que chegou para substituir Dorival Júnior, mas não foi bem dirigindo a equipe e acabou dispensado depois de 26 partidas.

Hoje, o treinador do Colorado é outro ídolo da equipe gaúcha. O primeiro trabalho do ex-volante Dunga como técnico foi na seleção brasileira (assim como Falcão, em 1990). O técnico vem tendo um bom desempenho e a equipe dele é uma das cotadas a ser campeã nacional deste ano.

A outra metade do Rio Grande do Sul também e comandada por um ídolo. Renato Portaluppi foi campeão da Libertadores e do Mundo como jogador do Grêmio e hoje tenta repetir o feito como treinador, na segunda passagem dele neste cargo pela equipe. Com um bom time em mãos, ele tem grandes chances de obter resultados positivos.

Guardiola fez sucesso como jogador e como técnico no Barcelona (Foto: David Ramos/Getty Images)

Fora do Brasil, existem os exemplos de Fabio Capello, que com o Milan ganhou duas Champions League como jogador e duas como treinador. Pep Guardiola, ídolo do poderoso Barcelona, fez história tanto dentro como fora das quatro linhas, sendo multicampeão pelo clube catalão.

Resta agora esperar para saber se Rogério Ceni irá manter a sina vitoriosa como atleta e ajudará o São Paulo a reconquistar grandes títulos, ou se o destino trará para ele um futuro sem sucesso como possível treinador. O passado já mostrou os dois lados da moeda.





Paulo Autuori é o novo técnico do São Paulo

11 07 2013

Após especulações, finalmente Tricolor anuncia o sucessor de Ney Franco; Autuori é solução política e econômica

Por Luiz Queiroga

Paulo Autuori retorna ao São Paulo credenciado pelos títulos da Libertadores e do Mundial (Foto: Getty Images)

A diretoria do São Paulo confirmou o técnico Paulo Autuori como o substituto de Ney Franco, nesta quinta-feira (11). O anúncio se deu através do perfil oficial do clube no Twitter e a apresentação acontecerá às 15h (de Brasília). Após muitas especulações, finalmente se encerrou uma novela que contou também com Muricy Ramalho.

– Campeão Mundial e da Libertadores, Paulo Autuori é o novo técnico do SP. O treinador será apresentado hoje, às 15hs, no CT da Barra Funda – publicou o São Paulo.

Após a saída de Ney Franco, a cúpula tricolor resolveu não apostar novamente e admitiu estar a procura de um técnico experiente e vitorioso. Mesmo com grande parte da torcida pedindo por Muricy Ramalho, que foi tricampeão brasileiro pelo São Paulo, o presidente Juvenal Juvêncio preferiu o perfil de Paulo Autuori para resolver os problemas do atual elenco. Ele foi campeão da Libertadores da América e do Mundial de Clubes pela equipe do Morumbi em 2005, o que o deixa com respaldo com boa parte da diretoria e comissão técnica.

A escolha de Autuori também foi positiva no aspecto financeiro. Por mais que Muricy Ramalho aceitasse diminuir o salário de R$700 mil mensais que recebia no Santos, certamente os valores não se aproximariam dos R$200 mil que o novo comandante do São Paulo recebia no Vasco da Gama.

Outro ponto positivo para a escolha de Paulo é o aspecto agregador dele. Por todas as equipes que passou, sempre teve o elenco na mão, algo que custou caro para Ney Franco durante a passagem pelo Morumbi. Ney perdeu apoio de jogadores importantes, como Fabrício e Paulo Henrique Ganso, ainda teve rusgas com o capitão Rogério Ceni e foi responsável pela dispensa de cinco jogadores.





Paulo Autuori não é mais o técnico do Vasco

9 07 2013

Presidente Roberto Dinamite lamenta saída do treinador, mas garante anunciar sucesso até essa quarta-feira; Autuori é solução política e econômica para o São Paulo

Por Luiz Queiroga

Sem paciência! Paulo Autuori se incomodou com o atraso de salários no Vasco (Foto: Divulgação/Vasco da Gama)

O Vasco da Gama confirmou a saída do técnico Paulo Autuori do clube, na manhã desta terça-feira, em coletiva de imprensa que contou com a presença do presidente Roberto Dinamite, diretor-geral, Cristiano Koehler, e o diretor-técnico, Ricardo Gomes. O mandatário lamentou o desligamento do treinador com o clube, mas confirmaram que até a próxima quarta-feira o sucessor já terá sido anunciado.

– Como presidente do clube estou tornando oficial a saída do Autori. E, dentro daquilo que foi conversado durante a semana, estamos dizendo que nos próximos dias estaremos anunciando um novo técnico. O trabalho do Paulo foi reconhecido, mas a vida segue, segue com a decisão que foi tomada – declarou Roberto Dinamite.

Solução política e econômica 

Com o nome ligado ao São Paulo, Autuori está prestes a voltar à equipe do Morumbi, pela qual teve passagem vitoriosa em 2005, com conquistas da Libertadores da América e do Mundial de Clubes. Revoltado com o atraso nos pagamentos de salário no Vasco, o técnico ganhou mais força para assumir a vaga deixada por Ney Franco no Tricolor, ainda mais por Muricy Ramalho, outro cogitado, esbarrar em questões econômicas e, principalmente, políticas.

Paulo Autuori seria a melhor solução para a atual diretoria, que se preocupa com as eleições presidenciais do ano que vem dentro do clube; com um salário bastante abaixo dos R$ 700 mil pedidos por Muricy, o nome dele agrada a boa parte da cúpula paulista.

Um dos responsáveis por derrubar Muricy Ramalho em 2009, o vice-presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, pretende se candidatar a presidente e não vê com bons olhos o retorno do técnico tricampeão brasileiro. Em entrevista ao repórter Fábio Sormani, da Jovem Pan, porém, o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes negou que Leco tenha influência na decisão do novo comandante.





Sem definição com o Santos, Bruno Lamas aguarda para saber de seu futuro

30 01 2013

Mesmo com contrato até abril, jogador ainda não tem posição do Santos sobre renovação 

Por Stephanie Contiero

De férias desde a última segunda-feira (28), Bruno Lamas, atualmente na base do Santos, tem seu contrato com o clube até abril, mas ainda não sabe se permanecerá na equipe. Aproveitado pelo técnico Muricy Ramalho nos treinos da equipe principal, Bruno Lamas chegou a não disputar a Copa SP com o a equipe do Santos, pois seria cortado todo jogo. Em resposta ao Jornalismo FC, o jogador explicou a situação, dizendo que optou em não fazer parte da equipe:

Foto: Divulgação Santos FC

Foto: Divulgação Santos FC

– “Então, eles iam me levar para a Copa (São Paulo), mas para ser cortado todo jogo. Eu cheguei e e falei: ‘prefiro ficar treinando para ficar bem, já que acaba meu contrato em abril.”

Próximo do fim do vínculo com o jogador, e com a pedida de Muricy Ramalho pelo atleta nos treinos com o grupo principal, o Santos realizou uma proposta para renovação do acordo, que foi rebatida pelo pai do jogador. O Santos ainda não se manifestou a respeito para outra resposta. Bruno, com o cenário, já trabalha com a ideia de ter que sair do clube:

-“Eu sempre gostei do Santos e minha intenção era ficar. Eu vou cumprir meu contrato, mas agora acho que eles não querem mais negociar, então a opção vai ser mesmo sair e ir para outro time e mostrar ainda o que não mostrei no Santos. Estou querendo ir para um time em que posso jogar à vontade e mostrar meu futebol.”

Questionado sobre a procura por outros clubes, o jogador não citou nomes por preferir tratar primeiramente com o Santos, sua prioridade.

-“Estou muito focado esse ano e a chance que eu tiver agora, não sei onde vai ser. Vou mostrar meu futebol e meu objetivo esse ano vai ser que a partir do meu próximo jogo vão conhecer realmente o futebol do Bruno Lamas.”





‘Neymardependência’ faz Muricy ter seu pior aproveitamento em Brasileiros

25 09 2012

Técnico do Santos tem, até o momento, 42,3% de aproveitamento dos pontos em 2012

Por Caio Martins

Muricy tem seu pior aproveitamento em Brasileirões (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC)

Enquanto milhares de torcedores vaiam Neymar em alguns jogos da seleção brasileira, há uma pessoa que deve lamentar muito a presença do atacante nos jogos da equipe de Mano Menezes: Muricy Ramalho. O craque santista vem desfalcando o Santos em muitos jogos durante o Brasileirão, algo que vem prejudicando muito o desempenho do atual campeão paulista na competição.

Neymar é um dos “responsáveis” pelo péssimo aproveitamento santista no Brasileirão (Foto: Divulgação)

O aproveitamento do Peixe no Brasileirão 2012, até o momento, é de 42,3%. Apesar de ser um número que deixa a equipe da Baixada Santista a certa distância da temida zona de rebaixamento, essa é a pior marca que Muricy tem em toda a sua história no Brasileirão de pontos corridos. Conhecido e famoso por sua eficiência nesta fórmula da competição, o treinador vem sofrendo para escalar o Santos, que, além de sofrer com lesões de jogadores, conta com a ausência de Neymar por conta das convocações do camisa 11 para a seleção do Brasil. A diferença de aproveitamento do Santos com e sem o craque é muito grande.

Neymar atuou em apenas 9 jogos da competição. Ficou fora dos outros 17 por conta de suas participações em amistosos do Brasil, Olimpíadas de Londres, suspensão e até indisposição estomacal. Dessas partidas, o Santos conquistou seis vitórias, empatou duas vezes e saiu derrotado em uma oportunidade. São 20 pontos de 27 possíveis, um aproveitamento de 74%. Agora, o restante das partidas foi desastroso: o Peixe venceu apenas duas vezes, empatou sete jogos e perdeu oito, ou seja, 24,5% de aproveitamento, rendimento inferior ao do lanterna Atlético-GO, que atingiu a marca de 26,7%.

Desempenho de Muricy nos Brasileirões de 2006, 2007 e 2008, com o São Paulo foi espetacular (Foto: Divulgação)

Por que focar tanto em Neymar? Simples. Nas últimas equipes que treinou, principalmente em Campeonatos Brasileiros, Muricy Ramalho nunca dependeu tanto de um jogador. No São Paulo, quando foi tricampeão consecutivo do Nacional, o técnico tinha o elenco que era considerado o melhor do Brasil: saia um titular, entrava um substituto do mesmo nível. Não é à toa que, desde que o Brasileirão tem 38 rodadas, o Tricolor Paulista atingiu incríveis 78 pontos na edição de 2006, marca que nenhum campeão igualou até o momento. Seus aproveitamentos do tricampeonato foram: 68,4%, 67,5% e 65,7%.

No Fluminense, em 2010, cenário parecido ao do Morumbi. Time compacto e sem dependência de jogadores, apesar do grupo contar com atletas como Fred, Conca e Emerson Sheik. Comandando o Figueirense em 2003, Muricy levou o time catarinense ao 11º lugar, com 65 pontos e 47,1% de aproveitamento. Já no Palmeiras, mesmo tendo assumido a equipe na liderança do Brasileirão em 2009, ficou fora até da Taça Libertadores do ano seguinte, mas teve um aproveitamento de 54,3%, número muito superior ao do atual Santos. Vale lembrar que o técnico santista é o maior campeão do Brasileirão da era dos pontos corridos, com 4 conquistas. Vanderlei Luxemburgo, atualmente no Grêmio, acumula 2 títulos.

Confira a equipe, o aproveitamento e o número de pontos conquistados por Muricy na era dos pontos corridos:

Tabela com o aproveitamento de Muricy Ramalho nos Campeonatos Brasileiros de pontos corridos. Clique para ampliar (Edição: Caio Martins/Jornalismo FC)





Malouda, do Chelsea, negocia com o Santos

13 07 2012

Francês, de 32 anos, conversou com Laor em Santos; pedida salarial é de R$ 1 milhão por mês

Por Caio Martins

Malouda pode ir para o Santos (Foto: Getty Images)

Em busca de reforços para qualificar ainda mais o seu elenco, o Santos conversa com o experiente meia francês Florent Malouda, do Chelsea. Um grupo de empresários ofereceu o jogador ao Peixe. Malouda já esteve em Santos para conversar o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro.

A diretoria santista vê o nome com bons olhos, mas sua pedida salarial espantou os dirigentes. O atleta teria pedido, só em salários, cerca de R$ 1 milhão por mês. Com esse valor, o negócio é inviável. Outro obstáculo que dificulta a vinda de Malouda é a multa rescisória de seu contrato com o Chelsea, que vai até 2013.

O Santos não irá atrás do jogador. O meia teria dito que voltaria a entrar em contato depois de repensar sua proposta, que, para os cartolas da Baixada Santista, tem que ser bem menor.

O treinador Muricy Ramalho disse que a pedida salarial de Malouda é completamente fora da realidade do futebol brasileiro. No entanto, elogiou o francês.

– Foi oferecido, mas quando se fala da pedida dele, não tem nem como iniciar a conversa. O problema é que esses caras vêm de uma situação muito diferente da nossa. Agora, é um jogador muito interessante, um meia à moda antiga, que cadencia o jogo e é experiente – disse.








%d blogueiros gostam disto: