Copa das Confederações: Onze anos depois do penta, Brasil goleia a Espanha

1 07 2013

Com uma atuação de gala, Brasil encerra com série invicta da Espanha

Por Gustavo Soler

Neste domingo (30), Brasil e Espanha fizeram o jogo mais esperado da Copa das Confederações. Desde o inicio da competição, os amantes da bola torciam por esse confronto. O palco também não poderia ser outro, o estádio do Maracanã estava cheio para a final. Com o time mais admirado e temido, os espanhóis não chegaram para esse jogo como unanimidades, após um jogo duríssimo contra a Itália, a Fúria aumentou as esperanças da torcida brasileira. Já a Seleção Brasileira, que não trazia a confiança dos seus torcedores antes da competição, mas com a sequencia de bons resultados, a equipe de Felipão conquistou a adoração do povo e chegou com muita motivação para a partida.

Fred, na raça abriu o placar para o Brasil (Foto: Ivo Gonzales / Agencia O Globo)

Felipão estudou a partida entre Bayern de Munique e Barcelona, já que a Seleção Espanhola é a base do time catalão, os estudos aparentemente funcionaram, a equipe Canarinha pressionou a saída de bola e conseguiu recuperar a bola. Logo no primeiro minuto, Hulk tentou um passe de letra, a redonda bateu na defesa e sobrou novamente para o atacante. O camisa 19 cruzou na área, Fred e Pique não acharam nada, a bola bateu em Neymar e se ofereceu para o centroavante brasileiro, que mesmo deitado conseguiu empurrar para o fundo das redes de Casillas. O Brasil trocava passes e a torcida gritava: “Olé”, para zoar o estilo tiki taka espanhol. Aos oito, Neymar carregou pela esquerda e tocou para Marcelo, Arbelo tirou mal, a jogada seguiu com Fred, que de letra deixou para Oscar, mas o meia mandou pra fora.

Fred fez 'biquinho' após abrir o placar para a seleção brasileira

Fred saiu pra comemorar com a torcida o primeiro gol (Foto: Getty images)

Só dava Brasil no começo do jogo. Aos 13 min, Paulinho tomou de Busquets, viu Casillas adiantado e tentou a cavadinha, porém, o capitão espanhol conseguiu defender. Com quinze, bola enfiada para Neymar, o camisa 10 foi puxado por Arbeloa, caiu e fez uma cena, o árbitro deu cartão para o lateral e uma confusão entre Busquests e Fred se iniciou, porém, os nervos se acalmaram e os jogadores se separaram. A Espanha chegou pela primeira vez com 19 minutos, Iniesta se livrou da marcação e arriscou de longe, mas Júlio César fez uma bela defesa mandando para escanteio. Na cobrança, Xavi mandou para Torres, que mandou pra fora.

Neymar comemorando o seu gol (Foto: AP)

A partida estava truncada, algumas faltas irritavam os jogadores, que logo começavam a discutir. Em uma delas, aos 29 minutos, Sério Ramos fez falta em Oscar e levou o cartão amarelo. Na cobrança, Neymar ajeitou para Hulk, mas o camisa 19 isolou. O craque brasileiro e nova contratação do Barcelona estava com tudo, ao partir pra cima de Arbeloa, Neymar percebeu um espaço na zaga e tocou para Fred, porém, o atacante chutou em cima de Casillas. Com 40, Mata lançou Pedro, que sozinho invadiu a área e tocou na saída de Júlio César, a redonda estava entrando, até que David Luiz chegou de carrinho e salvou em cima da linha, para delírio da torcida que imediatamente começou a gritar o seu nome. Aos 44, Neymar partiu pra cima de Arbeloa e tocou para Oscar, o meia devolveu para Neymar, que ajeitou de esquerda e mandou no ângulo de Casillas para marcar o segundo.

Fred marcou o também marcou o terceiro (Foto: Getty images)

Vicente Del Bosque tentou acabar com a avenida que a sua equipe tinha pelo lado direito, o treinador tirou o amarelado Arbeloa e colocou Azpilicueta, porém, de nada adiantou, aos dois minutos, Hulk tocou para Neymar, que fez o corta-luz para Fred, o centroavante bateu de chapa de primeira e mandou no cantinho de Casillas pra marcar o terceiro. A Espanha teve a chance de diminuir, Marcelo pisou em Jesus Navas e o juiz deu pênalti. Na cobrança, Sérgio Ramos bizarramente bateu à direita de Júlio César. Aos 12, Iniesta se livrou da marcação, mas o chute saiu fraquinho. Com 13 min, Neymar lançou Hulk, o atacante do Zenit tentou encobrir Casillas, no entanto, o capitão espanhol salvou.

Aos 18 minutos, Marcelo recebeu um bolão de Neymar, o lateral bateu cruzado e mandou pra fora. Com 22 min, Neymar driblou Pique, que não perdoou e deu uma pegada no camisa 10, o árbitro Kuipers expulsou o zagueiro. Na cobrança da falta, Neymar mandou com perigo por cima do gol de Casillas. Aos 30, Daniel Alves tocou para Fred, no entanto, atacante errou o domínio e foi desarmado. A Fúria ainda tentou alguma coisa, com 35, Villa deixou para Pedro, que bateu de primeira e Júlio César defendeu. Jô teve a chance do quarto, mas Casillas defendeu.

Nada dava certo para a Espanha, com 41 minutos, Villa recebeu na esquerda e bateu colocado e Júlio César fez outra grande defesa. O final do jogo já se aproximava a torcida fazia uma grande festa no Maracanã, ao som de: “Olé”, a Seleção Brasileira tocou passes e esperou pelo apito final do juiz Kuipers. Ao término da partida, Neymar saldou os seus novos companheiros de time, e foi carinhosamente abraçado por Iniesta.

Seleção vibrando com o término do jogo (Foto: Alexandre Durão / Globoesporte.com)

FICHA TÉCNICA

BRASIL 3 X 0 ESPANHA

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data e hora: 30/6/2013, às 19h
Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)
Assistentes: Sander Van Roekel (HOL) e Erwin Zeinstra (HOL)
Público: 73.531 presentes
Cartões amarelos: Arbeloa, Sergio Ramos (ESP)
Cartão vermelho: Piqué (ESP)
Gols: Fred, aos 2’/1ºT; Neymar, aos 44’/1ºT; Fred, aos 2’/2ºT

BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho (Hernanes – 42’/2ºT) e Oscar; Hulk (Jadson – 27’/2ºT), Neymar e Fred (Jô – 34’/2ºT). Técnico: Felipão

ESPANHA: Casillas, Arbeloa (Azpilicueta – intervalo), Piqué, Sergio Ramos e Alba; Busquets, Xavi, Iniesta e Mata (Jesús Navas – 7’/2ºT); Pedro e Fernando Torres (David Villa – 13’/2ºT). Técnico: Vicente Del Bosque

Anúncios




Copa das Confederações: Com reservas, Uruguai goleia Taiti, e pega o Brasil nas semis

23 06 2013

Em ritmo de treino, Celeste massacrou os taitianos, que voltam  à Oceania com 24 gols sofridos, e 1 marcado

Por Pedro Orioli

Abel Hernandez gol Uruguai jogo Taiti (Foto: Getty Images)

Abel Hernández foi o nome do jogo, marcando quatro gols (Foto: Getty Images)

Sabendo do grau de dificuldade que encontraria no jogo de hoje, o técnico Óscar Tabaréz optou por escalar uma equipe reserva, e a Celeste confirmou a classificação com uma sonora goleada por 8 a 0. Embora a vitória tenha sido ampla, o Uruguai encontrou algumas dificuldades, como a expulsão do veterano zagueiro Scotti, assim como o time da Oceania, que também teve um jogador expulso.

A superioridade dos profissionais ficou clara logo no primeiro minuto de jogo, onde o artilheiro Abel Hernández marcou o primeiro de seus três gols só no primeiro tempo. Ele também marcou aos 23 e aos 45. Diego Pérez fez o quarto, aos 26.

LEIA TAMBÉM: México vence Japão na última partida das duas equipes pela Copa

Gilbert Meriel goleiro Taiti defende Pênalti jogo Uruguai (Foto: Reuters)

Meriel defendeu o pênalti cobrado por Scotti no segundo tempo (Foto: Reuters)

Na segunda etapa, o destaque foi o goleiro Meriel, do Taiti. Na quinta-feira, Fernando Torres chutou no travessão, hoje a terceira opção taitiana agarrou o pênalti cobrado pelo zagueiro Scotti, expulso por uma falta desnecessária no minuto seguinte. Pouco depois, o zagueiro Ludivon também foi expulso, e com 10 jogadores de cada lado, e Celeste fez mais quatro, com Lodeiro, Abel Hernández, e dois de Luis Suárez, que saiu do banco, e tomou o lugar de Forlán como o maior artilheiro da seleção uruguaia, com 35 gols.

Com a goleada, o Uruguai garantiu a segunda colocação, e agora enfrenta a seleção brasileira, que garantiu a primeira colocação do Grupo A, vencendo a  Itália por 4 a 2.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI 8 X 0 TAITI

Estádio: Arena Pernambuco, Recife (PE)
Data/hora: 23/06/2013 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Pedro Porença (POR)
Auxiliares: Bertino Miranda (POR) e José Trigo (POR)
Cartões amarelos: Ludivion (TAI), Chong Hue (TAI), Scotti (URU), Gargano (URU)
Cartões vermelhos: Scotti (URU) 5’/2ºT, Ludivion (TAI) 13’/2ºT

GOLS: Hernández 1’/1ºT (1-0), Hernández 23’/1ºT (2-0), Diego Pérez 26’/1ºT (3-0), Hernández 45’/1ºT (4-0), Lodeiro 15’/2ºT (5-0), Hernández 21’/2ºT (6-0), Luis Suárez 36’/2ºT (7-0), Luis Suárez 44’/2ºT (8-0)

URUGUAI: Silva, Aguirregaray, Coates, Scotti e Álvaro Pereira; Diego Pérez, Eguren, Gargano e Lodeiro; Gastón Ramírez (Luis Suárez 23’/2ºT) e Hernández. Técnico: Oscar Tabárez.

TAITI: Meriel, Vahirua, Ludivion, Caroine e Vallar; Chong Hue, Jonathan Tehau, Aitamai (Lemaire 7’/2ºT) e Lorenzo Tehau (Atani 26’/2ºT); Simon e Hnanyine (Tihoni 41’/2°T). Técnico: Eddy Etaeta.

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.





Copa das Confederações: Com dois golaços de Alba, Espanha vence sem problemas

23 06 2013

Como já era imaginado, Espanha e Itália se enfrentam na semifinal

Por Gustavo Soler

AnteriorAnterior

jordi alba espanha x nigeria (Foto: Getty Images)

Destaque do jogo, Jordi Alba marcou duas vezes (Foto: Getty images)

Neste domingo (23), Espanha e Nigéria se enfrentaram no Castelão, em Fortaleza. Os espanhóis praticamente classificados em primeiro lugar no Grupo B, voltaram a escalar a equipe titular e tinham a vantagem até de perder para permaneceram em primeiro. Já a Nigéria, precisava de dois milagres, torcer para o Taiti e bater a Fúria. Nenhum desses resultados aconteceu, a Fúria venceu por 3 a 0, e a Celeste por 8 a 0.

PRÉ-JOGO: Espanha e Nigéria se enfrentam em Fortaleza

A partida começou com a Espanha fazendo o seu tradicional tiki-taka. Logo com um minuto de jogo, Iniesta tabelou com Fábregas e deu uma caneta em Ambrose. O camisa 6 ficou cara a cara com Enyeama, que conseguiu fazer a defesa. Se no Castelão não pintou o gol, na Arena Pernambuco, Abel Hernandez marcou o gol que eliminaria qualquer chance para a Nigéria. Na sua segunda oportunidade, Iniesta foi fatal. O meia tocou para Jordi Alba, o lateral se livrou de três marcadores e abriu o placar para a Fúria.

A Espanha teve a chance de ampliar o marcador aos 7 min. Fábregas recebeu dentro da área, mas na hora da finalização Omeruo salvou, no entanto, o camisa 22 se chocou com o goleiro e caiu sobre o ombro que se deslocou. Os nigerianos não se acuraram com o gol espanhol. Com dez minutos, Obi Mikel tabelou com Akpala bateu firme e Sérgio Ramos entrou na frente para evitar o gol e mandou para escanteio. Mba por pouco não empatou o jogo. O meia teve espaço, arriscou de fora da área e Valdés fez uma grande defesa.

Depois dos sustos, a Fúria voltou a se impor no jogo. Com 25 min, Sérgio Ramos lançou Soldado, o atacante bateu firme, mas Enyeama fez a defesa. O centroavante espanhol teve outra oportunidade de marcar, desta vez foi Pedro quem o lançou, mas novamente o camisa 14 viu Enyeama defender. Aos 38, a Espanha trocou passes no meio campo, Pedro achou Soldado na ponta direita, que por sua vez cruzou rasteiro para Fábregas, porém, o camisa 10 mandou a bola na trave.

CONFIRA: Fred espanta a seca e Brasill “foge” da Espanha

O segundo tempo começou com a Espanha cadenciando a partida e ouvindo a torcida gritar, “Nigéria! Nigéria!”. Aos 7 min, Soldado sofreu falta na entrada da área; na cobrança, Xavi assustou Enyeama, mas a bola passou sobre o gol. Com 16 min, Jordi Alba carregou pela esquerda, soltou em David Silva, o camisa 21 abriu na esquerda para Pedro, que cruzou de primeira para Fernando Torres mergulhar de peixinho e marcar o segundo. O El Niño chegou ao seu quinto gol no torneio e se isolou na artilharia da Copa das Confederações com cinco tentos.

https://i0.wp.com/s2.glbimg.com/Wrz_e3kiyPiugJoZiPk2jmetj4g=/620x470/top/s.glbimg.com/es/ge/f/original/2013/06/23/torres-esapnha-efe.jpg

Artilheiro da Copa das Confederações, Torres deixou a marca dele (Foto: EFE)

Fernando Torres teve a chance de marcar mais um. O centroavante ajeitou no meio, invadiu a área e bateu, mas Oboabona travou o artilheiro e mandou a bola para escanteio. Os africanos tiveram uma grande oportunidade de diminuir o marcador aos 28 min. Musa, em velocidade pela direita, passou pela marcação e tocou. A redonda se ofereceu para Muhammad, o camisa 11 tocou na saída de Valdés, no entanto, a Cafusa saiu à esquerda. Com 41 min, David Villa tabelou com David Silva, relembrando os tempos de Valencia, o atacante, que atualmente está no Barcelona, acabou finalizando sobre a meta de Enyeama.

Com o ritmo do jogo muito lento, já com os jogadores se poupando, Villa sofreu falta próximo ao meio campo defensivo da Espanha. Sérgio Ramos chegou rápido na cobrança e percebeu Jordi Alba disparando pela ponta esquerda, o lançamento do zagueiro foi primoroso, Alba avançou com muita velocidade sem marcação alguma, driblou Enyeama e marcou o seu segundo golaço na partida. Com 45, Villa recebe no meio, domina e bate, mas o goleiro fez a defesa.

FICHA TÉCNICA:

NIGÉRIA 0 X 3 ESPANHA
Local: Castelão, Fortaleza (CE)
Data/Hora: 23/6/2013, às 16h

Árbitro: Joel Aguilar (SLV)
Gols: Jordi Alba, 3’/1ºT (0-1); Fernando Torres, 17’/2ºT (0-2); Jordi Alba, 43’/2ºT (0-3)
Cartões amarelos:

ESPANHA: Valdés; Arbeloa, Sergio Ramos, Piqué e Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro (David Villa, 30’/2ºT), Fàbregas (David Silva, 9’/2ºT) e Soldado (Fernando Torres, 15’/2ºT). Técnico: Vicente del Bosque

NIGÉRIA: Enyeama, Ambrose, Oboabona, Omeruo (Egwuekwe, 11’/1ºT) e Echiejile; Obi Mikel, Mba (Ogu, 18’/2ºT) e Ogude; Musa, Akpala (26’/2ºT) e Ideye. Técnico: Stephan Keshi

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.





Copa das Confederações: Com destaque para Chicharito Hernández, México vence Japão na última partida das duas equipes pela Copa

22 06 2013

Estrela mexicana marca duas vezes e perde um pênalti

Por Victória Rodrigues

 

Chicharito se adianta e marca o primeiro gol (Foto: Marcos Ribolli)

Chicharito se adianta e marca o primeiro gol (Foto: Marcos Ribolli)

As duas equipes entraram em campo apenas para cumprir tabela, já que ambas estavam eliminadas da Copa. Em jogo equilibrado, o México saiu com a vitória com destaque para o atacante do Manchester United, Chicharito Hernández, que fez dois gols e teve um pênalti defendido no final da partida. O jogo ocorreu neste sábado (22), no estádio do Mineirão.

Os torcedores brasileiros presentes do Mineirão também acompanhavam o jogo da seleção brasileira e comemoravam mais os gols brasileiros do que os da equipe mexicana. Também dava para ouvir as manifestações vindas do centro de Belo Horizonte, que aconteciam perto do estádio.

O Japão começou a partida com o time bem fechado dificultando a saída mexicana, melhor no jogo e pressionando a equipe do México. Destaque para o atacante japonês Okazaki que foi bastante acionado nos 20 primeiros minutos do jogo.

Aos oito minutos de jogo o Japão chutou de fora da área, mas a bola bateu em Okazaki em posição duvidosa e entra. A arbitragem marcou impedimento e gol foi invalidado. Até os 25 min de jogo, apesar de um jogo equilibrado, o Japão aproveitava melhor as chances. Mas o México passou a tomar conta do jogo e teve a maior posse de bola. Aos 39 min, Guardado cabeceia a bola na trave; foi primeira grande chance mexicana. O primeiro tempo não teve muitas jogadas de perigo para nenhum dos lados, foram três finalizações japonesas e sete mexicanas.

Kagawa é marcado tentando armar jogada pra equipe japonesa (Foto: Marcos Ribolli)

Kagawa é marcado tentando armar jogada pra equipe japonesa (Foto: Marcos Ribolli)

O México começou o segundo tempo atacando. Logo aos três minutos, Chicharito chutou e a bola desviou no zagueiro japonês. Jogadores reclamaram de um toque de mão e o juiz mandou seguir. Aos 8 min do segundo tempo, Guardado cruzou e Chicharito marcou de cabeça. Os mexicanos pressionaram e não deixavam os japoneses reagirem. Aos 16 min, o Japão tentou uma reação com chute de Maeda, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. No escanteio cobrado por Giovani dos Santos, novamente Chicharito subiu e marcou de cabeça. Com 20 min da segunda etapa, o México já abria dois gols de vantagem contra o Japão e os torcedores gritavam “olé” nas trocas de passes mexicanas. Japão ameaçou nova reação e aos 40 min, com bela jogada, Okazaki diminuiu para seleção japonesa. Ainda aos 45 min do segundo tempo, Chicharito perdeu um pênalti e a chance de marcar o terceiro gol na partida. Com cinco minutos de acréscimo o Japão continuou pressionando, mas o México saiu com a vitória.

 

Chicharito e Giovani dos Santos comemoram durante o jogo (Foto: Marcos Ribolli)

Chicharito e Giovani dos Santos comemoram durante o jogo (Foto: Marcos Ribolli)

 

FICHA TÉCNICA

JAPÃO 1  X  2 MÉXICO

Data/hora: 22/06/2013 – 16h

Local: Mineirão – Belo Horizonte, Minas Gerais

Árbitro: Felix Brych (ALE)

Auxiliares: Mark Bosrch e Stefan Lupp (ALE)

Cartões amarelos: Hiroki Sakai (JAP) e Ochoa (MEX)

Gols: Chicharito Hernández, 8’/2ºT (1-0) e 20’/ 2ºT (2-0) (MEX) e Okazaki, 40’/ 2ºT (2-1) (JAP)

 

Japão: Kawashima; Hiroki Sakai (Uchida), Konno, Kurihara e Nagatomo (Nakamura); Endo, Hosogai, Kagawa e Honda; Maeda (Yoshida) e Okazaki. Técnico: Alberto Zaccheroni.

 

México: Ochoa; Mier, Reyes, Moreno e Torres; Torrado, Guardado (Salcido), Zavala e Giovani dos Santos (Barrera); Chicharito Hernández e Jimenez (Aquino). Técnico: José Manuel de la Torre.

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.

 

 





Copa das Confederações: Fred espanta a seca e Brasil “foge” da Espanha

22 06 2013

Brasil espera por Nigéria ou Uruguai para a semifinal da Copa das Confederações

Por Gustavo Soler

Neste sábado (22), a Seleção Brasileira encarou a Itália na última rodada do Grupo A, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Marcados por grandes confrontos decisivos como as finais da Copa de 70 e 94, e também o confronto em 82, o  Brasil leva vantagem nos confrontos. Em oito jogos, são quatro vitórias, dois empates e duas derrotas para a Seleção. A partida terminou mais uma vez positiva para o time de Felipão, que venceu por 4 a 2.

Fred marca duas vezes e garante o triunfo brasileiro (Foto: AP)

Fred marca duas vezes e garante o triunfo brasileiro (Foto: AP)

O Brasil começou o jogo a todo vapor. Nos primeiros segundos de jogo, a equipe de Felipão pressionou a saída de bola e tomou a redonda perto da área, porém, a zaga italiana conseguiu bloquear a finalização de Fred. Na sobra, Hulk escapou da marcação de Abate e bateu firme para a defesa de Buffon. O nível da partida caiu muito após os primeiro minutos, as boas jogadas deram espaço às faltas, dentre elas, Montolivo sentiu uma lesão e saiu para a entrada de Giaccherini.

Dante abriu o placar para o Brasil (Foto: AP)

Dante abriu o placar para o Brasil (Foto: AP)

Aos 23 minutos, Hernanes tocou no meio para Oscar, o camisa 11 ajeitou de calcanhar para Neymar, o craque da Seleção Brasileira invadiu a área com espaço, mas a finalização saiu mal e foi pela linha de fundo. Com 29 min, Neymar deu uma entrada criminosa em Abate, o lateral italiano teve que ser substituído por Maggio. As lesões não pararam por aí, porém, elas mudaram de lado. Aos 33, David Luiz sentiu a coxa e deu lugar ao Dante. O zagueiro deu um susto logo na sua primeira participação. Após cruzamento na área, o camisa 13 furou, no entanto, Balotelli não conseguiu chegar na jogada. No último minuto, Neymar cobrou falta para dentro da área, Fred tocou de cabeça, Buffon operou uma grande defesa, e no rebote, Dante, em posição duvidosa, abriu o placar.

Na segunda etapa, o Brasil começou de novo indo para o ataque. Após troca de passes, a redonda chegou ao pé de Fred, mas o camisa 9 pegou fraquinho na bola e Buffon fez tranquila defesa. Aos cinco minutos, Buffon cobrou tiro de meta, Marcelo perdeu no alto para Maggio, a bola se ofereceu para Balotelli, o centroavante lançou de calcanhar para Giaccherini, que invadiu a área e bateu no cantinho de Júlio Cesar para empatar o jogo. Com nove, Neymar, encarou a marcação de Maggio e foi derrubado pelo lateral. Na cobrança, o camisa 10, ao maior estilo Pirlo, jogou a bola no ângulo de Buffon para marcar o segundo.

Em mais uma boa atuação, Neymar marca mais um golaço (Foto: Vipcomm)

Em mais uma boa atuação, Neymar marca mais um golaço (Foto: Vipcomm)

Aos 15 min, o atacante Balotelli cobrou falta de muito longe e Júlio Cesar espalmou. Com 21 min, Marcelo lançou Fred, o centroavante brasileiro ganhou no corpo de Chiellini e tocou na saída de Buffon para marcar o terceiro. O juiz do Uzbequistão se complicou sozinho: depois de cobrança de escanteio para dentro da área, Luiz Gustavo puxou Balotelli pela camisa, na sobra Chiellini mandou para o gol, no entanto, Ravshan Irmatov apitou o pênalti, e segundo a regra, não há vantagem em marcações de pênalti, porém, o árbitro validou o gol.

Aos 37 minutos, Candreva bateu escanteio, Maggio subiu sozinho, mas a bola explodiu no travessão de Júlio Cesar. A Itália crescia na partida e buscava o gol de empate, no entanto, Luiz Gustavo recuperou a bola no meio campo, a redonda se ofereceu para Bernard, que deixou para Marcelo. O lateral chegou batendo de primeiro, Buffon espalmou e Fred marcou o quarto, em posição duvidosa. Com a vitória, o Brasil escapa de um confronto contra a Espanha na semifinal e agora espera por Uruguai ou Nigéria.

FICHA TÉCNICA

ITÁLIA 2 X 4 BRASIL

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data/Hora: 22/6/2013 – 16h
Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Auxiliares: Abdukhamidullo Rasulov (UZB) e Bakhadyr Kochakarov (KGZ)
Público: 48.874 pagantes
Cartões Amarelos: Machisio (ITA); David Luiz, Neymar, Luiz Gustavo (BRA)
Cartões Vermelhos: –

GOLS: Dante, 45’/2ºT (0-1); Giaccherini, 6’/2ºT (1-1); Neymar, 9’/2ºT (1-2); Fred, 20’/2ºT (1-3); Chiellini, 25’/2ºT (2-3); Fred, 42’/2ºT (2-4)

ITALIA: Buffon, Abate (Maggio – 29’/1ºT), Bonucci, Chellini, Sciglio; Montolivo (Giaccherini – 26’/1ºT), Aquilani, Machisio, Candreva, Diamanti (El Shaarawy – 27’/2ºT); Balotelli. Técnico: Cesare Prandelli.

BRASIL:  Julio Cesar, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz (David Luiz – 33’/1ºT), Marcelo; Luiz Gustavo, Hernanes, Oscar; Hulk (Fernando – 30’/2ºT), Neymar (Bernard – 23’/2ºT) e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

 

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.





Copa das Confederações: ‘Manchester United’ no Mineirão: Kagawa e Chicharito são os destaques do confrontro entre os eliminados

22 06 2013

Jogadores do clube inglês são os principais destaques de Japão e México no ‘amistoso’ disputado logo mais em Belo Horizonte

Por Diogo Arraes

Japão e México já estão eliminados da Copa das Confederações, mas logo mais, às 16h no Mineirão, haverá um duelo interessante entre dois jogadores do mesmo time. Shinji Kagawa pelo Japão e Javier “Chicharito” Hernández pelo México. Os dois jogam pelo Manchester United da Inglaterra, e apesar de não serem titulares do clube inglês até ganharam músicas feitas pela torcida dos ‘Diabos Vermelhos’.

A canção do japonês é uma adaptação de “Radio Ga Ga”, do Queen, e diz “Tudo o que precisamos é de Shinji Kagawa, Shinji Kagawa”. Já a do atacante é inspirada em “Let It Be”, dos Beatles, e faz menção ao apelido dele, “Chicharito”, algo como “pequena ervilha” para os mexicanos. Os inglês cantam: “When I find myself in times of trouble, Chicharito scores for me, Javier Hernández, Little Pea” ( “Quando me vejo com problemas / Chicharito marca para mim / Javier Hernández / Pequena ervilha”).

Leia mais: Uruguai encaminha classificação depois da vitória contra a Nigéria

O meia japonês destaca que Chicharito é perigoso e precisa de atenção. “Ele é um grande centroavante. Todo o time precisa ter preocupação com ele. Espero que o Japão esteja firme na defesa e consiga parar não só ele, mas todo o ataque mexicano.”, disse Kagawa, em entrevista após o treino desta sexta.

 (Legenda: Chicharito marcou apenas 1 gol nesta Copa das Confederações/Foto: Getty Images)

(Legenda: Chicharito marcou apenas 1 gol nesta Copa das Confederações/Foto: Getty Images)

Chicharito não quis muito contato com a imprensa nesta semana, ele que foi o responsável pelo único gol mexicano na competição, na derrota para a Itália por 2 a 1. Esperava-se um pouco mais dele, que foi reserva do holândes Van Persie, mas mesmo assim marcou nove gols em dez jogos no Campeonato Inglês. Shinji Kagawa teve uma disputa mais acirrada com os companheiros de Manchester, disputou posição com Young, Valencia e Nani; marcou seis vezes em 17 partidas.

O técnico do México, Manuel de La Torre, elogiou não só Kagawa, mas também Keisuke Honda, do CSKA Moscou, da Rússia. “São dois jogadores velozes, que sabem jogar pelos cantos. Mas temos de saber que eles também acabam deixando espaços, e foi o que Brasil e Itália souberam aproveitar nos jogos contra eles.”, afirmou.

Veja também: Fifa admite ter retirado cartazes em estádios da Copa das Confederações

Apesar da eliminação precoce da Copa das Confederações, o treinador mexicano não quer saber dessa história de ‘amistoso’ e destaca que o Grupo A foi muito disputado. “Nós gostaríamos de ter conseguido a classificação, mas não foi possível. Caímos num grupo com seleções muito fortes. Uma concentração como essa só se vê em quartas de final de Copa do Mundo.”, ponderou o mexicano.

(Legenda: Shinji Kagawa em ação na derrota contra a Itália por 4 a 3/ Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

(Legenda: Shinji Kagawa em ação na derrota contra a Itália por 4 a 3/ Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

Alberto Zaccheroni, técnico do Japão, também disse que os japoneses precisam ficar atentos com o time mexicano que é muito versátil. “A capacidade que eles têm de mudar de um esquema para outro é grande. Nas duas partidas, o técnico deles passou por vários esquemas. A equipe toda é bastante técnica, especialmente os atacantes. Eles não desistem, jogam de forma compacta. Será um grande desafio.”, disse Zaccheroni.

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.

 





Copa das Confederações: Ídolos decidem e Uruguai encaminha classificação

21 06 2013

Com gols dos veteranos Lugano e Forlán, Celeste se aproxima de vaga e torce por uma vitória da Espanha diante da Nigéria

Por Pedro Orioli

Veteranos marcam e deixam Uruguai perto da vaga

Lugano marcou o primeiro da Celeste na partida (Foto: Getty Images)

No primeiro jogo entre Uruguai e Nigéria na história do futebol mundial, seja em amistosos ou em competições oficiais, quem levou a melhor foi a Celeste, que contou com a força dos veteranos Lugano e Forlán, que completou a centésima partida com a camisa da seleção de seu país.

E foi o atacante do Internacional quem se destacou, participando do primeiro gol, marcado por Lugano, e fazendo o segundo. Mas o golaço da partida ficou com o nigeriano Obi Mikel, jogador do Chelsea, que limpou o capitão uruguaio e estufou as redes.

O resultado deixou a seleção uruguaia em situação confortável para confirmar sua classificação no grupo B da Copa das Confederações. Os campeões sul-americanos somam os mesmos três pontos da equipe africana, mas enfrentarão o modesto Taiti, que foi goleado pela Espanha, por 10 a 0.

Forlan gol Uruguai x Nigéria (Foto: Reuters)

Forlán saiu como herói, marcando um golaço no segundo tempo (Foto: Reuters)

Como tem acontecido nos jogos em que não envolvem o Brasil, a torcida elegeu a seleção menos tradicional, no caso a Nigéria, para apoiar. Desde a entrada, ao último toque na bola, a Celeste foi vaiada pelos brasileiros, apesar de contar com uma numerosa torcida uruguaia no estádio.

O Uruguai começou bem, pressionando a equipe nigeriana, que logo equilibrou o jogo, e com muita inteligência, forçou o jogo e expôs a lentidão da zaga celeste, formada por Godín e Lugano. Quando os africanos eram melhores, um vacilo dos zagueiros pôs tudo a perder, e Forlán achou o capitão uruguaio sozinho na área, que só teve o trabalho de mandar para as redes.

Seleção Uruguaia chega ao Brasil e deposita suas esperanças na dupla de ataque

Os nigerianos, porém, não sentiram o baque, e buscavam sempre pressionar a seleção uruguaia, e pouco depois, surgiu o empate em uma bela tabelinha de Obi Mikel na entrada da área, que limpou Lugano e bateu forte, sem chances para o goleiro Muslera.

A segunda etapa foi mais nervosa, com as equipes sabendo que um erro poderia ser fatal e decretar a vitória para algum dos times. E ele veio logo no começo, do lado nigeriano. Em um contra-ataque bem armado entre as estrelas da seleção uruguaia, Forlán recebeu na área e chutou forte sem chances para o goleiro nigeriano.

Forlan gol, Nigéria x Uruguai (Foto: Reuters)

Forlán acerta um belo chute, e define o placar para a seleção uruguaia (Foto: Reuters)

Depois disso, os nigerianos dominaram completamente o jogo, mas pararam no ferrolho armado pelo técnico da seleção uruguaia, Óscar Tabarez, que colocou o zagueiro Coates no lugar do centro-avante Suárez, e fechou o jogo.

NIGÉRIA 1 x 2 URUGUAI

Local: Arena Fonte Nova – Salvador, Bahia
Data/hora: 20/06/2013 – 19h (de Brasília)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Cartões amarelos: Babatunde, Akbala (NIG), Lugano, Coates (URU)
Cartões vermelhos:
Gols: Lugano (18′ do 1º tempo), Mikel (36′ da 1ª etapa), Forlán (5′ do 2º tempo)

NIGÉRIA: Enyeama, Ambrose, Oboabona, Omeruo e Echiéjilé; Mikel, Ogu (Mba – 20′ da 2ª etapa), Ogude, Oduamadi (Babatude – 44′ do 1º tempo) e Musa; Ideye (Akbala – 27′ da 2ª etapa) Técnico: Stephen Keshi

URUGUAI: Muslera, Lugano, Godín e Cáceres; Maxi Pereira, Arévalo Ríos, González e Rodríguez (Álvaro Pereira – 42′ do 2º tempo); Forlán, Suárez (Coates – 36′ da 2ª etapa) e Cavani Técnico: Óscar Tabárez

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.








%d blogueiros gostam disto: