Gareth Bale: 100 milhões de euros, será que vale?

4 09 2013

O atleta revelado pelo Southampton e que foi escolhido por dois anos como melhor jogador da terra da rainha, chega ao Real para mostrar ao mundo que o investimento terá retorno garantido

Por Diogo Arraes

O jogador de 100 milhões de euros. Terá que provar seu valor (Foto: Site Oficial)

O jogador de 100 milhões de euros. Terá que provar seu valor (Foto: Site Oficial)

O meia Gareth Bale chegou à Madrid nesta segunda-feira (2) e foi recebido por cerca de 30 mil torcedores no estádio Santiago Bernabéu. Após perder a queda de braço para o Barcelona na negociação de Neymar, o presidente Florentino Pérez não mediu esforços para contratar o jogador galês por cerca de 100 milhões de euros. Os valores não foram confirmados pela diretoria do clube merengue, mas, se for verdade, se tratará da maior negociação da história do futebol. O que muitos estão se questionando é: Será que o atleta vale tanto? O brasileiro Sandro, que jogou três anos ao lado dele, afirma que sim.

– Acho que vale até mais. Ele joga muito mesmo. Pode ser o cara lá no Real Madrid. O que ele fez aqui eu nunca vi um jogador fazer em toda a minha vida. Ele já fez coisas inacreditáveis no Tottenham. Não é falar que ganhou sozinho, mas ele levou vários jogos aqui com gols decisivos, passes decisivos… nossa! Se continuar nesse nível, vai ser o melhor do mundo com facilidade – disse o volante ao Globo.com.

Bale iniciou sua carreira profissional com apenas 16 anos, em 2006, como lateral-esquerdo do Southampton. Nos Saints,  atuou até maio de 2007, com 40 jogos e 5 gols e foi nomeado o “Jovem jogador da Liga no Ano” em sua primeira temporada.

Em maio de 2007 se transferiu para o Tottenham, mas sem tanta badalação como agora. Na época, a transação giraria em torno de 10 milhões de libras (R$ 36,7 milhões), entretanto como o Southampton estava em uma situação financeira difícil, os Spurs acabaram pagando 7 milhões de libras (R$ 25,7 milhões). No primeiro ano, uma lesão no tornozelo direito o afastou da maior parte da temporada.

Recuperado da lesão, o galês demorou até vencer o primeiro jogo com a camisa do Tottenham, só aconteceu depois de 24 partidas no Campeonato Inglês. Bale já vinha se destacando pelas suas atuações e sucessivas renovações de contrato foram sendo feitas, para afastar os outro clubes.

Em uma oportunidade, o lateral camaronês Assou-Ekotto se machucou, aí Bale virou titular da posição e foi bem. Com a volta de Ekotto, o técnico do Tottenham na época, Harry Redknapp, decidiu avançar Bale para a meia esquerda.

Atuação espetacular contra o Inter de Milão, do brasileiro Maicon (Foto: AFP)

Atuação espetacular contra o Inter de Milão, do brasileiro Maicon (Foto: AFP)

Do improviso nasceu a solução, e o atleta foi ganhando espaço com atuações cada vez mais convincentes. Mas, não há dúvidas que a carreira profissional de Bale se divide em antes e depois do dia 20 de outubro de 2010. Diante do Inter de Milão, campeão europeu na temporada anterior, fez três gols na derrota por 4 a 3. No segundo jogo, deu muito trabalho ao brasileiro Maicon e foi a estrela da vitória por 3 a 1, em uma atuação memorável.

A partir de então, a vida do meia mudou definitivamente. Trocou a camisa 3 pela 11 e virou referência para o Tottenham. Foi eleito o melhor do ano pela Associação de Jogadores Profissionais (PFA, em inglês) em 2011 e 2013, ano em que também levou o prêmio de destaque entre os jogadores mais jovens. Na temporada passada, quase levou a equipe a uma nova classificação para a Liga dos Campeões. A constante atenção de grandes clubes europeus indicava o inevitável, a saída do último grande ídolo dos Spurs. Por cerca de 100 milhões de Euros, o Real pagou para ver as cenas dos próximos capítulos.

BALE TENTA SER O PRIMEIRO BRITÂNICO A CONSOLIDAR-SE NO REAL MADRID

O meia do País de Gales será o sexto britânico a jogar com a camisa do Real Madrid. A maioria deles não obteve grande sucesso, veja as histórias:

Laurie Cunningham (1979-1983)

Quando ele chegou ao Real Madrid do West Bromwich, Cunningham fez história ao se tornar o primeiro jogador de futebol britânico do clube. Em sua primeira temporada no Santiago Bernabéu, ele ajudou o Real a conquistar a La Liga (1979-80) e duas vezes a Copa do Rei (1979-80/1980-81), mas suas performances não foram consideradas suficientes para ser convocado para a Inglaterra que disputaria o Campeonato Europeu de 1980. Após essa decepção, a sua carreira no Real Madrid foi prejudicada por uma série de lesões e no verão de 1983, após um período de empréstimo curto no Manchester United, ele foi emprestado ao Sporting Gijon, antes de ir definitivamente para Marselha.

Steve Mcmanaman (1999-2003)

Mcmanaman (com a taça) foi o jogador britânico de maior sucesso do Real (Foto: BBC)

Mcmanaman (com a taça) foi o jogador britânico de maior sucesso do Real (Foto: BBC)

Depois de fazer mais de 300 jogos pelo Liverpool, McManaman optou por fazer a mudança para o Real, no verão de 1999. Durante seu tempo no clube espanhol, ele se tornou um dos jogadores ingleses mais condecorados por jogar no exterior, ele conquistou dois títulos da Liga dos Campeões e duas coroas de La Liga em quatro anos. O meio-campista criativo foi nomeado homem do jogo, depois de marcar um soberbo remate na final europeia contra o Valencia em 2000, mas jogar pelo clube durante a era ‘Galáticos’ finalmente provou ser sua ruína com a chegada de Zinedine Zidane e Luis Figo. Assim viu suas chances de jogar diminuídas. Em 2003, pouco depois de David Beckham chegar ao clube de Madrid, McManaman foi atuar no Manchester City com o ex-técnico da Inglaterra Kevin Keegan.

David Beckham (2003-2007)

Beckham e Zidane, os 'Galáticos' do Real Madrid. (Foto: Site Trivela)

Beckham e Zidane, os ‘Galáticos’ do Real Madrid. (Foto: Site Trivela)

Beckham foi ídolo no Manchester United, disputou quase 400 jogos e fez cerca de 85 gols. No entanto, uma divergência de ideias e a vontade de jogar ao lado de craques como Ronaldo, Zidane e Roberto Carlos, fizeram com que o atleta inglês aceitasse a proposta do Real em 2003. Em sua primeira temporada lá, ele floresceu em um meio-campo de três homens ao lado de Zidane e Figo. No entanto, apesar de ter vencido a Supercopa espanhola de 2003 e o Campeonato Espanhol de (2006-07), quando Fabio Capello assumiu o cargo em 2006, ele caiu em desgraça no clube. Quando a temporada terminou, o time decidiu não renovar o contrato de Beckham e de lá mudou-se para o Los Angeles Galaxy, para jogar a Major League Soccer.

Jonathan Woodgate (2004-2007)

Muitos ficaram perplexos quando os ‘Galáticos’ de Madrid pagaram 13,5 milhões de euros para contratar o zagueiro Woodgate em 2004, pois o defensor tinha um histórico de lesões muito grande. Tanto que ficou de fora do time na primeira temporada. Só estreou em setembro de 2005 e não foi nada bem, marcou um gol contra e fez um pênalti na partida contra o Atlhetic de Bilbao. Tornou-se titular da equipe por alguns jogos, mas teve que fazer uma cirurgia nas costas e parou novamente. Em 2007 foi negociado em definitivo com o seu clube de juventude, o Middlesbrough.

Michael Owen (2004-2005)

Michael Owen sentiu falta dos ares ingleses e voltou rápido para casa. (Foto: Site Bleacherreport)

Michael Owen sentiu falta dos ares ingleses e voltou rápido para casa. (Foto: Site Bleacherreport)

o ‘Golden Boy’ foi revelado e jogou por oito anos no Liverpool, foi um dos destaques da Inglaterra na Copa de 98, quando marcou um golaço contra a Argentina e na Copa de 2002, oportunidade em que foi eliminado pelo Brasil nas quartas de final. Em agosto de 2004, o Real Madrid pagou cerca de 8 milhões de euros ao clube inglês para ter Owen. Entre altos e baixos, muitas especulações sobre sua forma física inadequada, o atacante deixou o clube merengue em agosto de 2005, principalmente pela chegada dos brasileiros Julio Baptista e Robinho.

DE MENINO TÍMIDO E ESQUISITO A POPSTAR

O jogador mais caro do mundo sempre foi um menino tímido e tinha como ídolo na infância o seu compatriota Giggs, do Manchester United. Com o passar do tempo e ascensão meteórica muitas das características não mudaram. Bale namora sua amiga de adolescência há longos anos, com quem tem uma filha. Dificilmente é visto em eventos sociais, revistas de fofoca ou coisas do tipo. Prefere ficar em casa e, quando tem uma folga, gosta de visitar os pais em Cardif, no País de Gales.

Gesto patenteado e mais dinheiro pra conta de Bale (Foto: Getty Images/Jamie Mcdonald)

Gesto patenteado e mais dinheiro pra conta de Bale (Foto: Getty Images/Jamie Mcdonald)

Entretanto, Garteh Bale sabe como ninguém reverter suas ações para o seu lucro e marketing pessoal. Há algum tempo ele comemora seus gols fazendo um coração com as mãos, uma homenagem à mulher. Não satisfeito, decidiu patentear o gesto com o nome de “Eleven of Hearts” ou “Onze de Copas”, referência ao número da camisa que usava no Tottenham e usará no Real, número 11. O contrato vale cerca de R$ 33 milhões e, possivelmente, comercializará roupas e jóias.

Diferença de visual em 2011, antes da cirurgia, e em 2013, depois. (Foto: Globo.com)

Diferença de visual em 2011, antes da cirurgia, e em 2013, depois. (Foto: Globo.com)

Além disso, Bale decidiu mudar o visual em 2012. Desde que iniciou sua carreira no Southampton, o atleta sempre se incomodou com as orelhas avantajadas. Procurou um cirurgião plástico e mudou. Também modificou seu porte físico e começou a aparecer em comerciais de tv e revistas de moda, como a Esquire. Sua confiança também se fortaleceu e o desempenho nos gramados melhorou ainda mais.

Bale posa como modelo para a revista Esquire, uma das mais conceituadas (Foto: Reprodução/Facebook)

Bale posa como modelo para a revista Esquire, uma das mais conceituadas (Foto: Reprodução/Facebook)

O galês já possui um patrocínio da marca de material esportivo Adidas, que repassa a ele valores que giram entre os R$ 8 milhões por ano. O que pode ser elevado, pois se trata do mesmo patrocinador da equipe madridista. Além disso, fechou um contrato com a BT Sports, empresa de telecomunicações britânica que transmitirá a Premier League na próxima temporada, mas sem valores divulgados pela publicação. Como ele se transferiu para a Espanha e a empresa não transmitirá o campeonato, o assunto será discutido.

Segundo matéria desta terça-feira (3) do jornal AS, o Real Madrid espera vender 40 mil camisas de Bale por temporada. A camisa custa hoje nas lojas oficiais do Real Madrid 86,51 euros (R$ 270,82), e começou a ser vendida oficialmente somente nesta segunda-feira (2), quando o craque se apresentou no Santiago Bernabéu.

Para Steve Martin, da empresa M&C Saatchi Sport and Entertainment, Bale é “um gigante adormecido”, que tem enorme capacidade de gerar dinheiro.

– A diferença de audiência entre Real Madrid e Tottenham (ex-clube do galês) é astronômica. Gareth é um ativo a explorar – garantiu o empresário.

Na última temporada, Bale foi top 10 nas vendas de camisas da Premier League. Ele também tem contrato com a EA Sports para ser figura de destaque no jogo de videogame FIFA 14 ao lado de Lionel Messi.





David Beckham anuncia aposentadoria dos gramados ao final da temporada

16 05 2013

Meia inglês é mais um grande jogador a se retirar em 2013; despedida deve ser no dia 26 de maio, contra o Lorient, na última rodada do Campeonato Francês 

Por Pedro Orioli

Becks com a camisa de seu último clube, o Paris Saint-Germain. (Foto: Gool)

Após 20 anos de carreira, 115 jogos pela seleção inglesa e cinco clubes na carreira, David Beckham anunciou a aposentadoria dos gramados na tarde desta quinta-feira (19), através de um comunicado na própria página oficial. Aos 38 anos, ele havia assinado um contrato de cinco meses com o Paris Saint-Germain, mas o dono do clube queria a renovação por mais um ano. “Becks”, como é apelidado, entretanto, optou por se retirar em alto nível.

A despedia oficial deverá acontecer no dia 26 de maio, fora de casa, pela última rodada do Campeonato Francês, competição a qual o PSG foi campeão.

– Sou grato ao PSG por me dar a oportunidade de continuar, mas sinto que esta é a hora certa para encerrar minha carreira, jogando em alto nível. Se você me dissesse quando eu era jovem que jogaria e ganharia troféus por meu time de infância, o Manchester United, orgulhosamente capitanearia e jogaria pela minha seleção mais de 100 vezes e vestiria a camisa dos maiores clubes do mundo, eu diria que você estaria contando uma fantasia. Sou sortudo de ter realizado esses sonhos – afirmou o jogador em comunicado.

O inglês também deu sinais de que já tem um projeto encaminhado para seguir no futebol fora das quatro linhas, mas sem revelar do que se trata:

– Nada vai substituir totalmente jogar o jogo que amo. Entretanto, sinto que estou começando uma nova aventura, verdadeiramente animado com o que está por vir. Sou sortudo de receber tantas oportunidades ao longo da minha carreira, e agora sinto que é minha hora de devolver.

Na seleção inglesa, são 115 jogos, e 17 gols. (Foto: Catch Seventy)

Beckham é o jogador de linha que mais atuou com a camisa da seleção inglesa: foram ao todo 115 jogos e 17 gols anotados. O astro também foi campeão nacional pelo Manchester United, Real Madrid, Los Angeles Galaxy e Paris Saint-Germain, além de conquistar a UEFA Champions League pelos Reds Devills. No total, são 28 títulos em 20 anos de carreira.





Paris Saint-Germain contrata o veterano David Beckham

2 02 2013

O carismático inglês assinou contrato até o final da temporada e doará todo o seu salário a uma instituição de caridade

Por Gustavo Soler

Assim como no Milan, Beckham usará a camisa 32 (Foto: Agência Reuters)

Assim como no Milan, Beckham usará a camisa 32 (Foto: Agência Reuters)

No último dia da janela de transferências, o veterano meia David Beckham assinou contrato de cinco meses com o Paris Saint-Germain. Este será o último clube do jogador de 37 anos, e o próprio atleta afirmou que doará o seu salário para uma instituição de caridade. Conhecido pela carisma e a pinta de modelo, o inglês vestirá a camisa 32 do PSG.

Beckham chegou a Paris querendo provar que ainda pode jogar em alto nível e foi perguntado do que ele sentia por ser o jogador mais velho do time mais tradicional da França. Sorridente, o meia que já passou por Manchester United, Real Madrid, Milan e LA Galaxy, respondeu que se sentia como um jovem de 21 anos e que tentará passar ensinamentos aos mais jovens.

O acordo até o final da temporada entre o inglês e o PSG é para explorar ao máximo a imagem do atleta na capital da moda, para deixar o clube ainda mais em evidência no mundo. O salário do camisa 32 será de 800 mil dólares (pouco menos de R$ 1,6 milhões), porém, este dinheiro será enviado à uma instituição de caridade pelo próprio atleta.

Ao lado de Wilshere e Podolski, Beckham treinou no Arsenal para recuperar a forma física (Foto: Getty images)

O técnico Arsenè Wenger, do Arsenal, clube no qual Beckham estava treinando para voltar a boa forma física, comentou sobre a contratação do meia pelo PSG:

– É um clube com muita ambição, que tem um grande potencial e quer ganhar mais notoriedade. Beckham pode contribuir para isso. Ele é uma marca mundial, todos os olhos estarão voltados para ele, para o PSG e para o Campeonato Francês neste período – disse.

Beckham ficou um período treinando com o elenco do Arsenal por conta da sua família, que está morando na Inglaterra. Sobre este tempo nos Gunners, o meia foi perguntado por que não assinou com o clube londrino ou com outro time do país. O astro falou sobre a sua lealdade ao Manchester United, clube por qual foi revelado e torce. O camisa 32 também disse os motivos por escolher o PSG:

– Eu escolhi o PSG porque vejo o que o clube está tentando fazer, os jogadores que estão tentando contratar. É um clube que terá sucesso nos próximos dez, 20 anos. Fazer parte disto é algo empolgante para mim. Estou honrado – explicou.

O sheik Al-Khelaifi (esquerda) estava contente com a coletiva de Beckham (Foto: Agência Reuters)

Beckham será companheiro de Lucas e Ibrahimovic no PSG (Foto: EFE)

A coletiva de Beckham foi marcada pela empolgação do jogador de ter assinado com o time e a ansiedade de poder estar em campo e de ajudar os novos companheiros.

Ele também elogiou o diretor esportivo Leonardo e técnico Carlo Ancelotti, com quem trabalhou durante as suas duas passagens pelo Milan. Um dos mais contentes na coletiva era o dono do clube, o sheik Nasser Al-Khelaifi, que falou sobre as inúmeras recusas do reforço  por outros clubes e a escolha pelo Paris Saint-Germain.

Durante a apresentação de Beckham, o meia Lucas postou em seu Twitter sobre o novo companheiro:

– David Beckham é uma contratação excelente. Um ícone no futebol mundial, uma estrela. Jogar ao lado dele será uma honra para mim. Uma influência maravilhosa para mim. Vou aprender muito com ele e o PSG ganhará muito com ele também – publicou.





Messi quebra mais um recorde

22 03 2012

O argentino também tornou-se o artilheiro do Barça de todos os tempos

Por Filipe Barbosa

O atacante Lionel Messi, do Barcelona, foi o jogador mais bem pago do mundo em 2011. Foi o que revelou a revista francesa France Football. Segundo o periódico, o craque argentino faturou no ano passado 33 milhões de euros, o equivalente a cerca de R$ 79 milhões. O 2° colocado do ranking é o inglês David Beckham, do Los Angeles Galaxy (EUA), com uma renda de 31,5 milhões de euros.

Diário espanhol enaltece marca alcançada por Lionel Messi (Foto: Reprodução/ G1)

Ontem, Messi bateu um novo recorde na carreira ao se tornar o maior artilheiro da história do Barcelona em jogos oficiais, com 234 gols. O título pertencia a César Rodriguez, jogador dos anos 40 que marcou 232 vezes. O argentino ultrapassou a marca ao fazer, no Nou Camp, 3 gols na vitória de 5 a 3 do Barcelona sobre o Granada, em partida válida pelo Campeonato Espanhol.





Messi é o jogador mais bem pago do mundo

19 03 2012

Segundo a tradicional revista France Football, o argentino recebe mais que Beckham e Cristiano Ronaldo

Por Caio Martins

Eles tem motivo para comemorar: Messi, Beckham e Cristiano Ronaldo são os três jogadores mais bem pagos do mundo (Edição: Caio Martins/Jornalismo FC)

A superioridade de Messi chegou às cifras. Eleito o melhor jogador do planeta nos últimos três anos, o camisa 10 do Barcelona é, de acordo com a revista France Football, o profissional do futebol mais bem pago do mundo. Com incríveis 33 milhões de euros (cerca de R$ 79 milhões) faturados no último ano, Messi superou atletas como David Beckham e o craque do rival do Barça, Cristiano Ronaldo.

Dentre essa quantia, são € 10,5 milhões (R$ 25,1 milhões) em salários pagos pelo clube catalão, o que deixa seu ganho mensal na casa dos R$ 2,1 milhões, além de € 1,5 milhão (R$ 3,6 milhões) em premiações e € 21 milhões (R$ 50,2 milhões) em contratos de publicidade.

Depois de Messi, o jogador com o maior faturamento é David Beckham, atualmente no LA Galaxy-USA. O astro inglês colocou € 31,5 milhões (R$ 75,3 milhões) em seus fartos bolsos no último ano. São € 4,8 milhões (R$ 11,5 milhões) de vencimentos, € 700 mil (R$ 1,7 milhão) em prêmios e € 26 milhões (R$ 62,2 milhões) em contratos de publicidade.

Terceiro colocado na lista, o português Cristiano Ronaldo recebeu € 29,2 milhões (R$ 69,8 milhões). O atacante do Real Madrid recebe o maior salário do mundo, em quantia que chega à € 13 milhões (R$ 31,1 milhões). Além disso, ele faturou a mesma quantia de Beckham em premiações e ganhou € 15,5 milhões (R$ 37,1 milhões) com publicidade.





#GodSavetheFootball: Sem grandes revelações, Inglaterra terá problemas com próximas gerações

5 03 2012

A missão de Rooney, principal jogador do English Team na atualidade, de liderar jovens atletas para títulos importantes pode estar comprometida por falhas passadas

Por Luiz Queiroga

Às vésperas de dois grandes torneios esportivos no meio do ano, as Olímpiadas e Eurocopa, a Inglaterra vive uma série crise quanto ao futebol praticado no país, que é evidenciada pelo mau momento dos seus clubes em torneios europeus, falta de revelações e clima tenso na seleção principal. Dentro e fora de campo, o esporte tem sido atingido por diversos fatos que acabam enfraquecendo a potência na categoria.

Jornalismo FC através do especial #GodSavetheFootball (baseado no canto “God save the Queen),dividido em seis partes, explica o momento conturbado vivido pelos criadores do esporte mais popular do mundo.

Seleção envelhecida e falta de boas revelações minam o caminho para Londres-2012 e Copa-2014

Gerrad lamenta eliminação na Copa de 2010: veterano sabe que o ciclo no English Team está próximo do fim (Foto: Getty Images)

Precisando voltar a conquistar títulos no cenário mundial, a Inglaterra esbarra num difícil processo de renovação que vem desde 2006. Nomes que estiveram na Copa do Mundo de 2002 ainda são chamados com certa frequência atualmente na Seleção, casos de Rio Ferdinand, titular absoluto até as últimas convocações, do atacante Emile Heskey e Wayne Bridge.

Os remanescentes da Copa disputada na Alemanha em 2006 também permaneceram durante um longo tempo nas seguidas chamadas e formaram a base da seleção até o último torneio mundial, disputado na África do Sul. Jogadores consagrados como Frank Lampard, John Terry, Steven Gerrard e Crouch eram os destaques, quando promessas começavam a surgir, casos de Walcott e Lennon.

2010 talvez encerrou o ciclo de diversos nomes conhecidos no English Team em Copas do Mundo, ano no qual David Beckham, astro e ídolo inglês, não teve a oportunidade de entrar em campo por conta de uma lesão, integrando assim a comissão técnica de Fábio Capello no torneio mundial, dando praticamente adeus à sua bela passagem pela seleção.

Hart, promissor mas não unanime: English Team sofre pela falta de investimento na base (Foto: Divulgação/Manchester City)

Este ano também serviu para evidenciar algo que a Federação Inglesa de Futebol, juntamente com os principais clubes do país, nunca se preocupou: investir nas categorias de base. Com o English Team envelhecido, poucas revelações foram lançadas nos recentes anos para integrarem o time. A começar pelo gol, setor que a equipe sofreu muito na última Copa, contou com um frango de Green e apelou para o veterano James, de 41 anos.

Situação explicada pelo fato de nenhum grande do país ter um goleiro prata da casa, fato que deixou de acontecer após o Manchester City apostar no promissor Joe Hart e dispensar o veterano irlandês Given. Hart passou a ser a aposta do English Team, mas o arqueiro ainda não se firmou com grandes atuações, muito menos passa segurança.

O responsável por comandar a nova geração que está sendo formada é Wayne Rooney, principal atleta ligado ao futebol inglês na atualidade. Com 26 anos, o atacante teve a frustração de participar das últimas duas equipes que foram eliminadas nas Copas de 2006 e 2010, tendo sido expulso inclusive na primeira, nas quartas de final, diante de Portugal, quando protagonizou uma entrada violenta no companheiro de Manchester United à época Cristiano Ronaldo. Rooney terá em 2014 novamente a chance de conseguir levar a Inglaterra ao bicampeonato mundial, mas agora sendo o principal destaque da equipe e liderando uma nova leva de jogadores.

Caberá à Rooney guiar os jogadores da próxima geração dentro de campo (Foto: AP)

De olho nas Olímpiadas, o treinador provisório Stuart Pearce convocou jovens atletas para o amistoso com a Holanda no dia 29 de março, quando a Laranja Mecânica ganhou pelo placar de 3 a 2. Precisando de uma equipe para conquistar o título em casa, a FA convocará apenas uma equipe de ingleses no torneio, ao contrário do que aconteceu em edições passadas, quando uma seleção do Reino Unido era escolhida. Garotos promissores, como Phil Jones, Sturridge e Cleverly foram chamados para o jogo, mas, assim como o desempenho deles na Seleção e o peso de darem sequência ao trabalho de uma geração, a incerteza sobre o futuro do futebol na Inglaterra reina.

– Claro que tudo depende do que o técnico decidir se tenho utilidade ou não, mas quero continuar trabalhando pela Inglaterra. São esperadas muitas mudanças daqui para frente – declarou Steven Gerrard após a eliminação para a Alemanha na Copa do Mundo de 2010. Por enquanto, o volante continua defendendo o English Team e tem chances de disputar o Mundial no Brasil.

Especial #GodSavetheFootball:





Após seguir passos de Pelé, Beckham deixa EUA e tem futuro indefinido

21 11 2011

Depois de conquistar o seu único título pelo LA Galaxy, astro inglês pode assinar com o PSG

Por Luiz Queiroga

Com público recorde de toda a história do clube, pouco mais de 30 mil pagantes, no estádio The Home Depot Center, o Los Angeles Galaxy conquistou o tricampeonato da Major League Soccer, a liga profissional norte-americana de futebol. A vitória contra o rival Houston Dynamo por 1 a 0 na madrugada desta segunda-feira também marcou a última partida de David Beckham na equipe mais milionária da competição.

O jogador teve papel decisivo na conquista da MLS, faturada anteriormente pelo Galaxy em 2002 e 2005, sendo o líder de assistências do torneio com 18 passes para gols, ao lado de Brad Davies, do Dynamo. Beckham também participou do lance que resultou no único gol da vitória desta madrugada, quando aos 27 minutos desviou de cabeça fazendo com que a bola caísse nos pés de Robbie Keane, que carregou até a área e tocou para Lando Donovan tirar do goleiro e assegurar o título nacional.

A chegada de Beckham ao Galaxy foi semelhante à de Pelé quando vestiu a camisa do New York Cosmos por três temporadas, entre os anos de 1975 e 1977. Com um projeto inovador, o santista aceitou atuar nos EUA para divulgar a imagem do futebol no país, esporte pouco prestigiado pelos norte-americanos que tinham como preferência o basquete e basebol. Pelé recebeu cerca de US$ 1,4 milhão por cada ano cumprido e chegou ainda a convidar o alemão Beckenbauer e Carlos Alberto Torres, seu companheiro de Santos e Seleção Brasileira. Durante sua passagem, o camisa 10 conquistou apenas um título, o da North American Soccer League, hoje equivalente à NLS.

Assim como Pelé, Beckham chegou aos EUA para desenvolver uma forte campanha para ingressar o futebol como um dos esportes mais importantes do país. Com os incríveis valores de US$ 6,5 milhões (R$ 11,3 milhões) por temporada, o astro inglês teve um início nada promissor dentro de campo em 2007, mas ao decorrer dos anos seguintes, o sucesso do marketing esportivo utilizando seu nome passou também para dentro das quatro linhas, segundo a visão do jornalista Grant Wahl, da revista americana “Sports Illustrated”:

– Beckham tem tido sucesso em uma perspectiva de negócios desde que chegou. Mais de 300 mil camisas com o seu nome e o número 23 foram vendidas no primeiro ano. Ele, o Galaxy e a Major League Soccer ganharam e muito com isso. Beckham foi um fracasso no início, mas melhorou o desempenho consideravelmente nos últimos três anos e agora tem a chance de ganhar o seu primeiro troféu. Eu acho que é importante ele ganhar esse título para valorizar a sua experiência nas quatro linhas, pois até o momento foi uma passagem de pontos altos e baixos – declarou ao GLOBOESPORTE.COM um dia antes do título.

Beckham durante seu período no LA Galaxy, teve uma ótima passagem por empréstimo no Milan em 2009 e outra em 2010, a pedido do técnico da seleção inglesa Fábio Capello, mas ficou de fora da Copa do Mundo, motivo da transferência, por uma grave lesão no tendão de Aquiles. Nesse período, David perdeu a oportunidade de conquistar seu primeiro título nacional no clube, em novembro de 2009, quando o Galaxy perdeu nos pênaltis para Real Salt Lake.
– Tanto faz se vou ficar ou não, eu vivi cinco anos maravilhosos aqui. Amo isso (o clube). A torcida foi inacreditável, a direção, os jogadores, cada um é herói esta noite – comentou Beckham momentos depois do árbitro ter apitado o fim da partida.

O meia inglês irá definir dentro das próximas semanas qual será o seu próximo passo. Sua ótima forma física e técnica mesmo com 36 anos fizeram o jogador declarar publicamente seu desejo de jogar até os 40. O diretor de futebol do Paris Saint-Germain, Leonardo, já demonstrou interesse em contar com Beckham no projeto de reaver o clube francês como uma das principais potências do futebol europeu. Tottenham e Queens Park Rangers também pretendem oferecer propostas para o jogador, mas até mesmo uma renovação de contrato e sua consequente permanência nos EUA ainda é estudada. David quer desafios.

– Faria tudo de novo. Não há uma coisa sequer que eu me arrependa aqui no Galaxy, jogando nessa liga. Eu queria uma nova experiência e foi exatamente o que consegui – concluiu Beckham, um dos principais atletas da história do futebol mundial nos últimos anos e com muito o que jogar ainda.








%d blogueiros gostam disto: