Mercado de transferências na França: Bilionários investem pesado em centroavantes

7 09 2013

Com investimento mais baixo, Lyon e Marselha jogam para surpreender na Ligue 1

Por Gustavo Soler

Paris Saint-Germain

Furacão Cavani será o novo companheiro de ataque do sueco Ibrahimovic (Foto: Getty images)

Furacão Cavani será o novo companheiro de ataque do sueco Ibrahimovic (Foto: Getty images)

Atuais campeões do Ligue 1, o bilionário sheik Nasser investiu 113 milhões de euros para montar uma equipe que brigará com os gigantes europeus pelo título da Champions League. A principal contratação do time da capital francesa foi o atacante uruguaio Cavani. O camisa 9 custou 63 mi aos cofres do PSG.

Ao lado de Cavani, garotos Digne e Marquinhos são as apostas do PSG (Foto: Divulgação / Site oficial do PSG)

Ao lado de Cavani, garotos Digne e Marquinhos são as apostas do PSG (Foto: Divulgação / Site oficial do PSG)

Junto com o centroavante, o Paris Saint-Germain investiu em dois jovens que apareceram muito bem na última temporada. Um deles foi o brasileiro Marquinhos, ex-Corinthians e peça fundamental no sistema defensivo da Roma em 2013. O novo camisa 5 custou 35 milhões de euros. O outro garoto é o lateral esquerdo francês Digne. Por 15 mi os campeões nacionais o trouxeram do Lille.

Time base: Sirigu, Jallet (Van Der Wiel), Thiago Silva, Marquinhos e Maxwell (Digne); Verratti, Matuidi, Lucas e Pastore; Ibrahimovic e Cavani.

Técnico: Laurente Blanc.

Expectativa na Ligue 1: Título.

Olympique de Marselha

Com o vice-campeonato na última temporada, a equipe do Marselha corre por fora na disputa pelo título do Campeonato Francês com os bilionários PSG e Mônaco. A equipe treinada por Élie Baup apostou em jovens promessas do país para esta temporada, sendo a principal contratação o meia-atacante Payet, ex-Lile.

Além do Payet, o Marselha também trouxe o seu companheiro de ataque Thauvin por 15 milhões de euros. O lateral esquerdo Mendy, ex-Le Havre, o volante Imbula, ex-Guingamp, e o atacante Lemina, do Lorient, também chegaram ao clube.

Time base: Mandanda, Fanni, N’Koulou, Diawara (Lucas Mendes) e Morel; Cheyrou, Imbula, Payet, Valbuena e André Ayew; Gignac (J. Ayew).

Técnico: Élie Baup.

Expectativa na Ligue 1: Vaga na Champions League.

Lyon

Mantendo a base na última temporada e apostando no talento dos seus jogadores da base, o Lyon não teve grandes investimentos na temporada, tendo contratado apenas o lateral esquerdo Bedimo, do Montpellier, por 2 milhões e euros e pego por empréstimo o lateral direito Miguel Lopes.

Time base: Anthony Lopes, Miguel Lopes, Bisevac, Umit e Bediimo; Gonalons, Mvuemba, Gourcuff e Grenier; Lacazette e Gomis.

Técnico: Rémi Garde.

Expectativa na Ligue 1: Vaga na Champions League.

Mônaco

Falcão foi a grande contratação da equipe do principado (Foto: Getty images)

Falcão foi a grande contratação da equipe do principado (Foto: Getty images)

A equipe se tornou o novo bilionário sensação da temporada. Após o regresso à primeira divisão da França, o Mônaco investiu para montar um time forte e competitivo. A principal contratação foi o atacante Falcão, ex-Atlético de Madri, custando 60 milhões de euros.

Companheiros de Falcão no Porto, James Rodriguez e João Moutinho também são destaques do novo rico (Foto: Divulgação / Site oficial do Mônaco)

Companheiros de Falcão no Porto, James Rodriguez e João Moutinho também são destaques do novo rico (Foto: Divulgação / Site oficial do Mônaco)

Além do centroavante, o também colombiano James Rodriguez, do Porto, e o seu companheiro João Moutinho chegaram ao time do principado. Os experientes Ricardo Carvalho, Toulalan e Abidal chegaram à Mônaco para serem os líderes do time. Além deles, os jovens Kondogbia e Martial, e o goleiro argentino Romero foram apresentados ao clube.

Time base: Romero, Fabinho, Ricardo Carvalho, Raggi (Kurzawa) e Abidal; Toulalan, Kondogbia, João Moutinho; James Rodriguez, Falcão e Ocampos.

Técnico: Claudio Ranieri.

Expectativa na Ligue 1: Título.





Cavani assina por cinco anos com o PSG

16 07 2013

Uruguaio já foi apresentado e falou pela primeira vez como jogador do clube parisiense na tarde desta terça-feira

Por Pedro Orioli

Edinson Cavani Paris Saint-Germain PSG (Foto: AFP)

Jogador já concedeu entrevista no salão nobre do “Parque dos Príncipes” (Foto: AFP)

Cavani é mais o novo reforço do Paris Saint-Germain. Após muita especulação, o clube parisiense confirmou a contratação do atacante uruguaio por cinco temporadas. O goleador já estava na capital francesa desde segunda-feira, quando chegou da Itália para fazer os exames médicos.

Cavani é mais uma contratação galática do Xeque Al Khelaifi, proprietário do clube francês, que afirmou que a vinda do atacante é mais uma prova da capacidade do PSG em seduzir grandes jogadores.

– A contratação de Edinson Cavani é mais uma prova da capacidade desse clube atrair os melhores jogadores do mundo. Ele foi seduzido pelo projeto esportivo e está muito feliz de se unir a um time ambicioso, está impaciente para assumir novos desafios. Estamos especialmente felizes em apresentar um jogador extremamente cobiçado e talentoso para nossos torcedores – disse Al Khelaifi, confirmando a contratação.

O Napoli receberá do clube francês uma compensação financeira de 63 milhões de euros (R$ 182 milhões), e além disso o PSG deve desembolsar 10 milhões de euros (R$ 28 milhões) anuais de salário para o jogador.

Ao que tudo indica, Cavani fará uma dupla com o sueco Ibrahimovic, além de reencontrar o seu companheiro Lavezzi, que atuou por um bom tempo no clube italiano.

– Ibrahimovic é um campeão, um dos melhores do mundo. Será um prazer jogar ao lado dele para ganhar títulos. Chego com muita alegria, confiança e desejo de fazer sucesso aqui. É um dos maiores clubes do mundo e que pode ganhar a Liga dos Campeões – afirmou o uruguaio.

Ainda hoje, está prevista uma sessão de fotos aos pés da Torre Eiffel, assim como aconteceu na chegada do agora companheiro de equipe, Ibrahimovic.





Copa das Confederações: Volante artilheiro é lindo! Aos 40 minutos, Paulinho classifica o Brasil

26 06 2013

Mesmo jogando mal, Brasil supera as dificuldades e as “catimbas” e se garante em mais uma final

Por Gustavo Soler

 

Decisivo, Paulinho garante o triunfo brasileiro no Mineirão (Foto: AFP)

Decisivo, Paulinho garante o triunfo brasileiro no Mineirão (Foto: AFP)

Nesta quarta-feira (26), Brasil e Uruguai se encararam pela semifinal da Copa das Confederações. A partida foi realizada no estádio do Mineirão, no mesmo local em que a Seleção Brasileira venceu na inauguração do estádio. A curiosidade é que a equipe Canarinha foi representada pelo time do Palmeiras. A Celeste tem um passado que assombra o Brasil: em 1950, os uruguaios venceram a Copa do Mundo no Brasil. Nesta partida, o time de Luiz Felipe Scolari venceu no sufoco por 2 a 1 e agora espera pelo vencedor de Espanha e Itália.

A primeira etapa começou com as duas equipes se estudando muito, diferentemente dos outros jogos. O Brasil começou muito mal no jogo. Aos doze minutos, David Luiz puxou Lugano dentro da área e o juiz deu o pênalti. Na cobrança, Forlan bateu no canto direito e Júlio César fez a defesa. A seleção Brasileira não se encontrava no confronto. Aos 26 min, Hulk tabelou com Fred, porém, o camisa 19 mandou a bola pra longe.

Forlan voltou a aparecer. Aos 30 minutos, Matin Cáceres cruzou para o camisa 10, que ajeitou e bateu de esquerda, tirando tinta do gol de Júlio César. O Brasil se encontrou no jogo aos 36, após boa jogada de Marcelo pela esquerda. Fred se esticou e o zagueiro Godin fez o corte, porém, o árbitro deu tiro de meta. A equipe Canarinha chegou mais uma vez com 40 min: Paulinho lançou, Neymar ganhou na corrida de Lugano e deu um toquinho na saída de Muslera, o camisa 1 do Uruguai defendeu, no entanto, Fred aproveitou o rebote e abriu o placar.

No oportunismo, Fred abri o placar para o Brasil no Mineirão (Foto: AFP)

No oportunismo, Fred abri o placar para o Brasil no Mineirão (Foto: AFP)

O Uruguai começou o segundo tempo com tudo. Logo aos 2 min, um bate-rebate dentro da área brasileira: Cavani ganhou de Marcelo  bateu de esquerda no cantinho de Júlio César para empatar o jogo. A resposta veio rápida, aos 8 min. Muslera saiu errado, Oscar tentou o toque de cobertura, mas a zaga conseguiu desviar e mandar para escanteio. Com 11 min, Hulk cobrou falta da intermediária e Muslera rebateu de qualquer jeito.

Luís Suárez por pouco não virou o jogo depois de cobrança de falta de Forlan. O camisa 9 subiu sozinho, porém, a redonda passou sobre o gol de Júlio César. Na primeira jogada de Bernard no jogo, o meia do Atlético Mineiro cruzou na medida para Fred, no entanto, o centroavante brasileiro mandou a bola pra longe. A Celeste respondeu: Cáceres avançou pela esquerda e deixou para Cavani; o atacante do Napoli se livrou de Hernanes e chutou, a jogada desviou em Luiz Gustavo e assustou o arqueiro brasileiro.

Depois de confusão, Neymar manda beijinho irônico para González (Foto: Reprodução Sportv)

Depois de confusão, Neymar manda beijinho irônico para González (Foto: Reprodução Sportv)

Após uma falta sofrida por Neymar, o volante Álvaro González chutou a bola em cima do camisa 10, que se irritou e bateu boca com o uruguaio. Aos 36 min, González foi substituído e ao sair de campo, o camisa 20 irritou novamente o craque brasileiro, que o xingou e mandou beijinhos de tchau. Na cobrança do escanteio, a zaga afastou e no rebote Marcelo mandou por cima do gol. A pressão do Brasil era enorme. Em novo escanteio, Neymar bateu bem, Paulinho subiu mais que Cáceres e tocou para o fundo das redes. Depois do segundo tento, a pressão mudou de lado, a Seleção Uruguai tentou o empate, Muslera foi para a área, mas não deu. O Brasil chegou a mais uma final de Copa das Confederações.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 X 1 URUGUAI

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data e hora: 26/6/13, às 16h
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Assistentes: Carlos Astroza (CHI) e Sergio Roman (CHI)
Público: 57483 presentes
Cartões amarelo: David Luiz, Luiz Gustavo, Marcelo (BRA); Cavani, A. Gonzalez (URU)
Cartão vermelho: –
Gols: Fred, aos 41’/1ºT (1-0), Cavani, aos 3’/2ºT (1-1), e Paulinho, aos 41’/2ºT (2-1)

BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar (Hernanes – 27’/2ºT); Hulk (Bernard – 18’/2ºT), Neymar (Dante – 45’/2ºT) e Fred. Técnico: Felipão.

URUGUAI: Muslera; M. Pereira, Godin, Lugano e Cáceres; A. Gonzalez (Gargano – 37’/2ªT), Arévalo e C. Rodriguez; Cavani, Forlán e Suaréz. Técnico: Oscar Tabaréz.





Copa das Confederações: Ídolos decidem e Uruguai encaminha classificação

21 06 2013

Com gols dos veteranos Lugano e Forlán, Celeste se aproxima de vaga e torce por uma vitória da Espanha diante da Nigéria

Por Pedro Orioli

Veteranos marcam e deixam Uruguai perto da vaga

Lugano marcou o primeiro da Celeste na partida (Foto: Getty Images)

No primeiro jogo entre Uruguai e Nigéria na história do futebol mundial, seja em amistosos ou em competições oficiais, quem levou a melhor foi a Celeste, que contou com a força dos veteranos Lugano e Forlán, que completou a centésima partida com a camisa da seleção de seu país.

E foi o atacante do Internacional quem se destacou, participando do primeiro gol, marcado por Lugano, e fazendo o segundo. Mas o golaço da partida ficou com o nigeriano Obi Mikel, jogador do Chelsea, que limpou o capitão uruguaio e estufou as redes.

O resultado deixou a seleção uruguaia em situação confortável para confirmar sua classificação no grupo B da Copa das Confederações. Os campeões sul-americanos somam os mesmos três pontos da equipe africana, mas enfrentarão o modesto Taiti, que foi goleado pela Espanha, por 10 a 0.

Forlan gol Uruguai x Nigéria (Foto: Reuters)

Forlán saiu como herói, marcando um golaço no segundo tempo (Foto: Reuters)

Como tem acontecido nos jogos em que não envolvem o Brasil, a torcida elegeu a seleção menos tradicional, no caso a Nigéria, para apoiar. Desde a entrada, ao último toque na bola, a Celeste foi vaiada pelos brasileiros, apesar de contar com uma numerosa torcida uruguaia no estádio.

O Uruguai começou bem, pressionando a equipe nigeriana, que logo equilibrou o jogo, e com muita inteligência, forçou o jogo e expôs a lentidão da zaga celeste, formada por Godín e Lugano. Quando os africanos eram melhores, um vacilo dos zagueiros pôs tudo a perder, e Forlán achou o capitão uruguaio sozinho na área, que só teve o trabalho de mandar para as redes.

Seleção Uruguaia chega ao Brasil e deposita suas esperanças na dupla de ataque

Os nigerianos, porém, não sentiram o baque, e buscavam sempre pressionar a seleção uruguaia, e pouco depois, surgiu o empate em uma bela tabelinha de Obi Mikel na entrada da área, que limpou Lugano e bateu forte, sem chances para o goleiro Muslera.

A segunda etapa foi mais nervosa, com as equipes sabendo que um erro poderia ser fatal e decretar a vitória para algum dos times. E ele veio logo no começo, do lado nigeriano. Em um contra-ataque bem armado entre as estrelas da seleção uruguaia, Forlán recebeu na área e chutou forte sem chances para o goleiro nigeriano.

Forlan gol, Nigéria x Uruguai (Foto: Reuters)

Forlán acerta um belo chute, e define o placar para a seleção uruguaia (Foto: Reuters)

Depois disso, os nigerianos dominaram completamente o jogo, mas pararam no ferrolho armado pelo técnico da seleção uruguaia, Óscar Tabarez, que colocou o zagueiro Coates no lugar do centro-avante Suárez, e fechou o jogo.

NIGÉRIA 1 x 2 URUGUAI

Local: Arena Fonte Nova – Salvador, Bahia
Data/hora: 20/06/2013 – 19h (de Brasília)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Cartões amarelos: Babatunde, Akbala (NIG), Lugano, Coates (URU)
Cartões vermelhos:
Gols: Lugano (18′ do 1º tempo), Mikel (36′ da 1ª etapa), Forlán (5′ do 2º tempo)

NIGÉRIA: Enyeama, Ambrose, Oboabona, Omeruo e Echiéjilé; Mikel, Ogu (Mba – 20′ da 2ª etapa), Ogude, Oduamadi (Babatude – 44′ do 1º tempo) e Musa; Ideye (Akbala – 27′ da 2ª etapa) Técnico: Stephen Keshi

URUGUAI: Muslera, Lugano, Godín e Cáceres; Maxi Pereira, Arévalo Ríos, González e Rodríguez (Álvaro Pereira – 42′ do 2º tempo); Forlán, Suárez (Coates – 36′ da 2ª etapa) e Cavani Técnico: Óscar Tabárez

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.





Copa das Confederações: Uruguai e Nigéria farão a primeira decisão do campeonato

20 06 2013

Equipes entram em campo em busca de vaga para a próxima fase

Por Gustavo Soler

Nesta quinta-feira (20), Uruguai e Nigéria se enfrentarão na Arena Fonte Nova, em Salvador. Disputando a segunda posição do Grupo B, as equipes começaram a competição de forma diferente. Os sul-americanos enfrentaram a Espanha e perderam por 2 a 1, agora precisam desesperadamente da vitória para tentar a classificação para a próxima fase. Por outro lado, os africanos golearam a Seleção Taitiana por 6 a 1 e podem garantir vaga na semifinal na segunda rodada.

O jogo contra a Espanha mostrou a necessidade de mudança na Seleção Uruguaia. A Celeste foi dominada do começo ao fim da partida e ficou refém do sistema de jogo e posse de bola da Fúria. O zagueiro Martin Cáceres alertou sobre este desempenho e cobrou de sua equipe mais força ofensiva para a partida contra a Nigéria.

– Esperemos jogar mais. A Espanha complicou o nosso jogo em Recife, foi um jogo difícil, mas agora será diferente. Não importa as dificuldades. Temos que encarar da melhor maneira sempre. Esperamos ganhar – afirmou o defensor da Juventus.

Óscar Tabárez deve fazer alterações com relação ao time que enfrentou a Espanha (Foto: Edgard Maciel de Sá)

Visando a velocidade, principalmente dos atacantes nigerianos, o técnico Óscar Tabárez deve iniciar a partida usando um esquema com três zagueiros e dois alas no meio de campo, que voltam para compor o sistema defensivo uruguaio. Porém, o treinador não quis falar muito sobre o assunto e disse para os jornalistas esperarem pela partida.

Óscar Tabárez deve fazer alterações com relação ao time que enfrentou a Espanha (Foto: Edgard Maciel de Sá)

– Já falei demais. No jogo todos vão ver. Já estou dando a escalação 24 horas antes do jogo. Acredito que isso é muito. Tudo é pensando com base nas características dos rivais. Cada jogo tem sua história. Usamos muito os dados científicos que temos, não apenas a nossa experiência, para tomarmos a decisões sobre quem está em melhores condições para jogar – disse o técnico.

Os nigerianos sabem da dificuldade que terão na partida desta quinta-feira, diferentemente da estréia com goleada sobre o Taiti, a Seleção Nigeriana tem preocupações extras com a dupla Cavani e Luis Suarez, no entanto, o goleiro Enyeama afirmou que os atacantes não são as únicas peças que podem desequilibrar a partida.

 

LESÕES: David Luiz e Paulinho serão avaliados, mas não preocupam

Enyeama durante a entrevista coletiva (Foto: EFE)

– Pessoalmente nós não vamos ter nenhuma questão especial com esses atacantes. Temos 11 jogadores, os reservas e a gente vai enfrentar o Uruguai da melhor maneira que puder jogar. A combinação deles que é difícil. Cavani e Suárez são dois bons jogadores. E, como já respondi anteriormente, não vamos nos focar neles dois. Vamos nos focar no Uruguai. Não vai jogar contra um determinado jogador. A gente vai enfrentar todos os jogadores do Uruguai – comentou o experiente goleiro.

Assim como Óscar Tabárez, o técnico da Nigéria, Stephen Keshi também não revelou o esquema tático e nem a equipe que iniciará a partida. Porém, o treinador deixou em aberto a possibilidade de por o mesmo time em campo nesta quinta-feira, na Arena Fonte Nova.

FAVORITISMO: Fábregas analisa a Espanha: ‘não somos favoritos’

– Se você é um profissional, sua mentalidade é forte, e vai te carregar até o fim do jogo. Então, quero ter certeza de que meus jogadores estejam em suas posições e apenas focados no jogo – afirmou o treinador.

O jogo entre Uruguai e Nigéria será às 19 horas, pelo horário de Brasília. O vencedor da partida deve ficar bem próximo da classificação, pois na última rodada, a última rodada será tranquila para a Celeste e muito complicada para os africanos, que enfrentarão Taiti e Espanha respectivamente.

Ficha técnica:

 

Uruguai: Muslera; Martin Cáceres, Lugano e Godin; Maxi Pereira, Arévalo Ríos, Cristian Rodríguez e González; Fórlan, Suarez e Cavani

Técnico: Óscar Tabárez

Nigéria: Enyeama; Ambrose, Oboabona, Omeruo e Echiejile; Ogude, Obi Mikel e Sunday M’ba; Anthony Ujah, Musa e Oduamadi.

Técnico: Stephen Keshi

Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)

Auxiliares: Sander van Roekel e Edwin Zeinstra (HOL)

Local: Arena Fonte Nova.

Data: 20/06/2013. Horário: 19h.

 

Cobertura completa da Copa das Confederações

A Copa das Confederações acontecerá entre os dias 15 e 30 de junho e contará com cobertura especial do Jornalismo Futebol Clube. Acompanhe de perto cada lance por meio do site e do Google Plus. Em parceria com o Google, divulgaremos nosso conteúdo na página do G+ dedicada à competição, busque pela hashtag #jornalismoFC e fique por dentro de tudo o que acontece nos gramados do Brasil.





Internazionale vence a Juventus de virada e encerra a série invicta de 49 jogos da Velha Senhora

5 11 2012

Mesmo com a derrota, a Juve permanece líder, mas a diferença para a Inter caiu para um ponto; Milan, Fiorentina e Roma goleiam em casa; Lazio é goleada fora de casa; Napoli vacila e cede empate no San Paolo

Por Gustavo Soler

Neste final de semana, a Internazionale acabou com a série de 49 de invencibilidade da Juventus e o Jornalismo FC traz os principais resultados da 11ª rodada do Calcio.

Milan 5 x 1 Chievo Verona

Jogadores do Milan comemorando o quarto gol do jogo (Foto: Getty Images)

O Milan ainda tentava mostrar um futebol convincente nesta temporada para se recuperar. O clube Rossonero abriu a décima primeira rodada recebendo o Chievo, que estava um ponto atrás. Para a alegria da torcida do San Siro, que levou um susto no começo do jogo, o time de Massimiliano Allegri goleou e se recuperou bem na tabela.

As coisas não começaram bem para os milanistas. A torcida logo pensou que teria mais um daqueles jogos terríveis que a equipe vinha fazendo. Os jogadores não se entendiam em campo e o principal atleta, El Shaarawy, não estava em uma noite feliz. Porém, aos 15 minutos, Constant fez o lançamento para dentro da área, o zagueiro Marco Andreolli afastou mal e Emanuelson bateu de primeira para abrir o placar. Dois minutos depois, Luciano bateu escanteio pela esquerda e Pellissier subiu mais que El Shaarawy para empatar o jogo. Tentando voltar à frente do marcador, o Milan foi pra cima e, após um cruzamento de Abate, Emanuelson se jogou na bola, mas o holandês não conseguiu o arremate.

O Chievo quase virou o jogo em duas tentativas de longe com Hetemaj. Na primeira o finlandês bateu forte e a bola passou à direita do gol de Abbiati. Na segunda tentativa, o camisa 56 mandou rasteira, obrigando o arqueiro rossonero a se esticar e espalmar a bola no cantinho. O Milan fez uma boa trama com Pazzini e Emanuelson e o holandês ajeitou a bola para Montolivo, que arrumou a bola e bateu de fora da área, acertando o cantinho do goleiro para pôr o time da casa em vantagem. Com 40 min, Bojan recebeu de Emanuelson e bateu fraquinho de fora da área, porém, a bola desviou em Dainelli e saiu do alcance de Sorrentino, marcando o terceiro gol.

No começo do segundo tempo, Abate foi fazer o cruzamento pela ponta direita e acertou a nuca do meia Dramé, que foi a nocaute e saiu de campo desacordado. Ainda ofuscado na partida, El Shaarawy teve a chance de se isolar na artilharia do Calcio. Após a bola mal afastada pela zaga, o Pequeno Faraó bateu firme de pé esquerdo, mas a bola saiu. Aos 30 minutos, Abate cruzou, a bola foi desviada pela defesa e El Shaarawy conseguiu empurrar para o gol: 4 a 1 Milan. Os rossoneri não desistiram de marcar e, com 43 min, Pazzini fez o pivô para Bojan, que bateu para a grande defesa de Sorrentino. No último minuto de jogo, El Shaarawy tocou de três dedos para Pazzini fechar a goleada em 5 a 1.

Juventus 1 x 3 Internazionale

Destaque da Inter, Diego Milito (à esq.) marcou dois gol na vitória de virada contra a Juve (Foto: Getty Images)

Invicta desde maio de 2011, a Juventus tinha um jogo complicado contra a Inter para manter-se invicta em jogos válidos pelo Campeonato Italiano e se isolar ainda mais na liderança do Calcio. A torcida da Velha Senhora viu algo que não sabia o que era, desde a inauguração do Juventus Stadium, na última temporada: uma derrota. A vitória de virada foi um feito histórico do time de Stramaccioni, que agora está apenas um ponto atrás dos rivais de Turim.

Arturo Vidal abriu o placar antes do primeiro minuto no Juventus Stadium (Foto: Agência Reuters)

A partida começou com tudo. Logo no primeiro ataque, antes do primeiro minuto, Giovinco tocou para Vunicic que, de carrinho achou Asamoah. O ganês bateu cruzado e Vidal bateu para o gol aberto, inaugurando o marcador. A Juve parecia que teria mais uma noite normal, com uma vitória em clássico. Os indícios eram grandes. Aos sete minutos, Pirlo lançou de primeira por trás da zaga para Marchisio, o camisa 8 bateu de primeira e Handanovic fez uma defesa incrível. Aos 43, Asamoah cruzou, a bola foi desviada pela defesa e quase encobriu Handanovic, que ainda conseguiu mandar um tapa para escanteio. No último minuto do primeiro tempo, Samuel desarmou Vucinic, a bola atravessou toda a área, o brasileiro Juan e o japonês Nagatomo vacilaram, e Vidal ganhou na corrida e bateu de primeira para outra boa defesa de Handanovic. No rebote, o chileno mandou pra longe.

O atacante Vucinic sentiu uma lesão no lance contra Samuel e teve que sair. Aos oito minutos da segunda etapa, Milito puxou o contra-ataque e tocou para Palacio, o ex-atacante do Boca Jrs bateu forte, mas a bola acabou subindo. A Inter tentava o empate no começo do segundo tempo, aos 11, Nagatomo recebeu nas costas de Zanetti e bateu firme, mas Buffon fez a defesa. Com 12 min, Cassano cobrou falta ensaiada Cambiasso, que de letra ajeitou para Milito. O atacante foi tocado por Marchisio e Paolo Tagliavento marcou o pênalti. Na cobrança, Diego Milito bateu o famoso pênalti perfeito, empatando a partida.

Milito batendo o pênalti que resultou no gol de empate da Inter (Foto: Getty Images)

A Juve tentava sair para o ataque, mas a Inter se fechava bem e esperava pelos contra-ataques. Aos 30 minutos, Vidal errou feio e deu a bola de presente para Guarin, o colombiano avançou com muita velocidade e bateu com força da entrada da área, obrigando Buffon a fazer uma grande defesa. Porém, no rebote, Milito foi mais rápido que Barzagli e bateu de primeira virando o jogo no Juventus Stadium. O sofrimento da Velha Senhora aumentava: o time não conseguia chegar ao gol de Handanovic e, aos 44 min, Guarin puxou o contra golpe e lançou Nagatomo, o japonês partiu em direção ao gol, mas foi desarmado por Barzagli, o camisa 55 Nerazzurri insistiu na jogada, ganhou na dividida com Chiellini e tocou uma bola à la Pirlo para Palacio, que não perdoou e bateu para marcar o terceiro da Inter, dando ponto final a invencibilidade da Juventus.

Palacio no momento do último gol do jogo (Foto: Agência Reuters)

Catania 4 x 0 Lazio

Autor de dois gols, Gomez (à dir.) comemora o seu segundo gol (Foto: Agência Reuters)

Com uma boa campanha no começo do campeonato, o Catania tentava se aproximar da própria Lazio, que está na zona de Europa League. Por outro lado, o time Biancoazzurri buscava a recuperação no torneio, pois o clube não vencia a duas rodadas e já estava ficando distante do Napoli, primeiro time da faixa de Champions League. Porém, o resultado do jogo foi surpreendente, o time da casa emendou uma goleada de 4 a 0.

O Catania começou melhor no jogo, e com oito minutos, Gomez trouxe pela ponta esquerda, encarou a marcação de Biava e bateu forte por cima de Bizzarri, abrindo o placar. Na comemoração, o atacante dançou o famoso hit do sul-coreano PSY, o “Gangnam Style”. Aos 24 min, Izco fez a jogada pela direita e tentou o levantamento, a bola bateu na mão de André Dias e o árbitro Mazzoneli marcou o pênalti. Na cobrança, Lodi deslocou o arqueiro Bizzarri para marcar o segundo gol. Aos 27, Alvarez cruzou e Gomez bateu de primeira, o zagueiro Biava tirou, e no rebote Barrientos bateu para a boa defesa de Bizzarri, porém, o auxiliar comunicou o juiz que a bola havia passado no corte de Biava e o gol foi validado.

A segunda etapa começou com o Catania administrando o jogo. A Lazio não conseguia jogar e não oferecia riscos ao gol dos mandantes. Com 24 minutos veio o golpe final: Gomez ganhou na velocidade, invadiu a área e tocou para Barrientos livre para marcar o quarto. A Lazio ainda tentou o gol de honra, mas Marchese tomou e a bola foi de pé em pé até chegar em Lodi que bateu colocado, mas jogou por cima do gol.

Fiorentina 4 x 1 Cagliari

Principal jogador do time, Jovetic comemora o seu gol (Foto: AFP)

Com uma campanha respeitável neste começo de temporada, a Fiorentina recebeu o Cagliari em casa. Tentando se aproximar do Napoli, primeiro time da zona de Champions League, o time de Vicenzo Montella manteve a boa fase e goleou por 4 a 1, com direito a gol do veterano Luca Toni.

Os violas logo tomaram a iniciativa do jogo, e com 13 minutos, Gonzalo Rodriguez aproveitou a cobrança de escanteio para subir no último andar e testar pro fundo do gol. A Fiorentina continuou indo pra cima, porém, Jovetic e companhia não conseguiam chegar até a meta de Agazzi. Por outro lado, o Cagliari, que estava fechado na defesa, procura as oportunidades para o contra-ataque. Em uma dessas chegadas ao ataque, os visitantes tiveram uma falta pela esquerda. Na cobrança, Cossu bateu bem aberto para Cassarini, o camisa 32 bateu de primeira, a bola desviou no meio do caminho e entrou. Porém, o árbitro assinalou impedimento de Thiago Ribeiro. Depois de conversar com os seus auxiliares, Gianpaolo Calvarese confirmou o gol, pois a bola desviou em Roncaglia, zagueiro da Fiore, e não no atacante brasileiro.

Aos quatro minutos de segundo tempo, Pizarro cobrou escanteio e Jovetic bateu de primeira para colocar a Fiorentina de volta a frente do marcador. Com oito minutos, Jovetic puxou o contra-ataque e cruzou no meio para Luca Toni, o veterano atacante chegou com velocidade para bater de primeira e marcar mais um gol. O Cagliari tentava diminuir, mas com o bom sistema defensivo da Fiorentina, isso não foi possível, e aos 39 minutos, Agazzi saiu jogando com Dessena, o meia acabou tocando errado e mandou nos pés de Cuadrado, que percebeu o goleiro adiantado e mandou para fazer o quarto gol.

Napoli 1 x 1 Torino

Cavani marca e homenageia sua esposa que está esperando o filho do casal (Foto: Agência Reuters)

Aproveitando a derrota da líder Juventus, o Napoli precisava dos três pontos para se reaproximar dos dois líderes. O confronto desta rodada seria contra o Torino, clube que está tentando fugir da zona de rebaixamento. Os azzurris vacilaram e cederam um empate dentro do San Paolo para o time de Turim. Agora o time de Cavani está a quatro pontos da Inter.

Sabendo do seu dever, o Napoli se mandou para o ataque, e logo aos seis minutos, Campagnaro cobrou lateral para dentro da área, Hamsik bateu cruzado e Cavani abriu o placar. O uruguaio comemorou homenageando a sua mulher, que está grávida. Hamsik teve a chance do segundo, porém o eslovaco mandou por cima do gol. O Torino teve uma grande oportunidade para empatar. Depois de um cruzamento de Cerci, Bianchi testou firme, De Sanctis defendeu, e no rebote, Cannavaro se enrolou com a bola e defendeu para o goleiro De Sanctis que foi obrigado para mandar para escanteio.

Pandev armou um contra-ataque muito veloz pelo meio e bateu de entrada da área, a bola desviou em Glik e saiu rente a trave. O Napoli ficou reclamando de um pênalti sobre Maggio: o ala direito foi desarmado, por Rodriguez, porém, o defensor continuou com o movimento com o pé e deu uma “rapa” no jogador azzurri. Dzemaili aproveitou a bola mal afastada por Rodriguez e bateu forte de fora da área, mas mandou pra fora. Aos 46 min, Gazzi chegou de carrinho para bloquear um chute de Dzemaili, o volante do Torino acabou sentindo uma torção no pé, que ficou preso na grama após o carrinho. Aos nove minutos do segundo tempo, Cerci partiu pela direita e se jogou dentro da área, atento no lance, o auxiliar que fica atrás do gol avisou o juiz Paolo Valeri, que advertiu com o cartão amarelo o atacante.

Em um lance perdido, o Napoli quase marcou um gol sem querer. Após um bico pra frente de Cannavaro, Dossena evitou a saída de bola tentando um cruzamento para o meio da área, a bola quase encobriu o goleiro Gillet, porém, bateu no travessão e saiu. Aos 16 min, o Torino bateu uma falta rápida pelo meio, mas Sgrigna não conseguiu o arremate. Com 25, Cerci aproveitou a bola mal afastada e bateu de primeiro, porém, a bola subiu demais. Santana arriscou de longe, e De Sanctis agarrou firme.

Sansone marcou o gol salvador do Torino (Foto: Agência Reuters)

Darmian perdeu a bola pela direita, e Insigne partiu com velocidade pelo meio, o atacante tocou para Hamsik, que livre invadiu a área, driblou o goleiro e de forma incrível perdeu o gol aos 40 minutos. Aos 47 do segundo tempo, o experiente zagueiro Aronica foi recuar a bola para De Sanctis, mas o passe foi fraquinho, e Sansone aproveitou, driblou o goleiro e bateu com o gol livre para empatar.

Roma 4 x 1 Palermo

Perto de chegar a histórica marca de 216 gols, e ficar em terceiro lugar na artilharia geral do Calcio, Francesco Totti abriu o placar na goleada (Foto: Site Oficial do Roma)

Alternando bons e maus momentos no Calcio, o Roma de Zeman vinha de duas derrotas de virada contra a Udinese e Parma. Para fechar a décima primeira rodada, o time da capital recebeu o Palermo, que está sofrendo para sair da zona de rebaixamento. Com direito a gol de Francesco Totti, os giallorossi golearam e viram o seu ídolo ficar a um gol de Giuseppe Meazza e do brasileiro Mazzola, terceiros colocados na artilharia de todos os tempos do Calcio.

O Roma teve a primeira boa chance de gol aos dez minutos: Piris cruzou, Osvaldo furou e Totti tocou de cabeça, o goleiro Ujkani fez a defesa, a bola tocou na trave e no rebote, o Capitano mandou para o gol. Aos 25 min, Osvaldo levou uma entrada violenta de Muñoz e o árbitro Andrea de Marco nem cartão deu para o zagueiro, que era o último jogador antes do goleiro em frente à área. Com 30 min, De Rossi lançou, Muñoz e Ujkani trombaram e a bola sobrou para Osvaldo, que com o gol aberto marcou o segundo.

Por pouco o Capitano não se igualou a Giuseppe Meazza e Mazzola com 216 gols no Calcio. Após um cruzamento de Osvaldo, Totti chegou batendo de primeira e mandando a bola pra fora. Aos 41 min, Lamela gingou dentro da área e bateu de pé esquerdo, obrigando a boa defesa de Ujkani. A única chegada do Palermo foi aos 45, primeiro com Kurtic bateu forte e Goicoechea foi no cantinho para fazer a defesa. Na cobrança do escanteio, Garcia cabeceou de costas, mas a defesa afastou no rebote. No último minuto, Osvaldo cruzou, Lamela não alcançou e Muñoz afastou antes que a bola chegasse em Totti.

Aos 16 minutos, Totti tocou para Balzaretti, que de bico mandou para o gol, mas Ujkani fez a defesa. Aos 24, Tachtsidis cruzou, Ujkani se esticou todo para chegar na bola, mas não conseguiu, e Lamela chegou escorando de primeira para marcar o terceiro. Com o adversário rendido, Lamela lançou Mattia Destro, a jovem promessa italiana driblou o goleiro em alta velocidade e mandou para o gol, fazendo o quarto gol. Com 39 min, Miccoli roubou a bola e Iliic bateu por cima de Goicoechea para marcar o gol de honra.

Confira todos os resultados da 11ª rodada do Calcio:

Sábado (03/11)

Milan 5 x 1 Chievo Verona

Juventus 1 x 3 Internazionale

Domingo (04/11)

Pescara 2 x 0 Parma

Bologna 1 x 1 Udinese

Catania 4 x 0 Lazio

Fiorentina 4 x 1 Cagliari

Napoli 1 x 1 Torino

Sampdoria 1 x 2 Atalanta

Siena 1 x 0 Genoa

Roma 4 x 1 Palermo





Edinson Cavani dá show e coloca Napoli ao lado de Juventus no topo do Calcio

28 09 2012

Juventus vacila e empata sem gols fora de casa. Milan e Inter vencem e se afastam um pouco da crise. Lazio é atropelada pelo Napoli e perde a terceira posição. Roma segue sem vencer em casa

Por Gustavo Soler

Neste meio de semana, o Napoli aproveitou o tropeço da Juventus, e, com um hat-trick de Cavani, os Azzurri se igualaram à Velha Senhora na ponta do Calcio. O Jornalismo FC traz os principais resultados.

Fiorentina 0 x 0 Juventus

Em um jogo dominado do começo ao fim pela Fiorentina, Jovetic (à direita) perdeu a melhor chance da partida (Foto: Agência Reuters)

Defendendo a liderança e uma invencibilidade de 44 jogos, a Juventus viajou até Florença para encarar a Fiorentina. O time Viola havia vencido os dois jogos em que disputou em casa, o estádio Artemio Franchi. Porém, nenhuma das equipes conseguiu o triunfo e ficaram em um empate sem gols.

Querendo a vitória para ficar isolado na primeira colocação, a Juventus começou o jogo indo pra cima da Fiorentina. A primeira boa chance veio com o pequeno Giovinco. O camisa 12 trouxe da ponta direita para o meio e bateu firme de pé esquerdo, mas a bola acabou saindo. Em uma jogada ensaiada de escanteio, o capitão Pasqual recebeu na meia-lua da grande área e emendou de primeira, mas a bola foi parar na arquibancada.

O capitão da Gigliati apareceu bem novamente. Depois tabelar com Jovetic, Pasqual caiu na área após uma dividida com Arturo Vidal. O arbitro Paolo Tagliavento mandou o jogo seguir. Dominando todas as ações da partida, a Fiorentina foi novamente para o ataque. Depois de uma boa trama com Cuadrado e Jovetic, o montenegrino tocou para Ljajic, que bateu em cima da defesa alvinegra. Com poucas oportunidades no jogo, a Velha Senhora teve a chance com Andrea Pirlo em uma cobrança de falta que levou perigo, porém a bola foi pela linha de fundo. Na resposta, Mati Fernandez cobrou falta na cabeça de Jovetic, o camisa 8 mandou no travessão de Buffon, que estava vendido no lance.

Assim como no primeiro tempo, o time da casa mandou nas ações do jogo. Logo no começo, Roncaglia se livrou de dois marcadores e mandou de fora da área, levando muito perigo ao gol de Buffon. Em outra oportunidade, Cuadrado obrigou o arqueiro da Juve se esticar todo, mas novamente a bola foi pra fora. No final da partida, Cuadrado cruzou, a bola atravessou toda a grande área e chegou para Pasqual, o capitão entrou cabeceando e, de novo, assustou o goleiro da Juventus, mas a bola foi pela linha de fundo.

Chievo Verona 0 x 2 Internazionale

No seu jogo de número 300 no Calcio, Cassano marcou para a Inter (Foto: Getty Images)

Tentando superar o papelão que fez na última rodada, a Inter foi até Verona para encara o Chievo. O jogo começou com o time Nerazzuri preocupando e levando pressão, a torcida pensou que seria mais um daqueles dias sofridos, porém Álvaro Pereira e Cassano salvaram a noite interista.

A primeira chance do jogo foi do Chievo. Após um lançamento para dentro da área, Hetemaj subiu mais que Javier Zanetti e testou para o gol, mas Handanovic fez a defesa. Na base dos lançamentos longos o time da casa chegou de novo. Di Michele lançou, Samuel falhou e a bola sobrou para Pellissier que encheu o pé, mas novamente Handanovic fez a defesa. Aos 43 minutos, Cassano arriscou da entrada da área, a bola desviou na zaga e sobrou praticamente dentro do gol para Álvaro Pereira mandar para o fundo das redes.

Jogadores da Inter comemorando o primeiro gol do jogo, marcado por Álvaro Pereira (31) (Foto: Agência AP)

Tentando o gol de empate, o Chievo foi pra cima e oferecia os contra-ataques para a Inter. O time de amarelo quase empatou o jogo com Hetemaj batendo falta, porém, Handanovic voou no ângulo para espalmar para escanteio. Em um destes contra-golpes, Cassano tocou para Gargano, o uruguaio devolveu para o atacante, que, na velocidade invadiu a área e decidiu o jogo. No final do segundo tempo, Cruzado bateu uma falta com força que explodiu no travessão.

Milan 2 x 0 Cagliari

Em uma noite inspirada, El Shaarawy marca dois e faz a festa no San Siro (Foto: Getty Images)

Com apenas uma vitória em quatro jogos, o Milan entrou pressionadíssimo para enfrentar o Cagliari, para conquistar o seu segundo triunfo, o primeiro em casa. Já o Cagliari, que perdeu na justiça três pontos do jogo contra o Roma, precisava vencer para sair da zona de rebaixamento. Com dois de El Shaarawy, o time Rossonero saiu vitorioso.

Logo aos 15 minutos de jogo, Montolivo enfiou uma bola por trás da zaga para El Shaarawy, o Pequeno Faraó dominou e bateu na saída do goleiro para abrir o placar. Na resposta, o ex-cruzeirense Thiago Ribeiro recebeu um lançamento e mandou de primeira, mas Abbiati fez grande defesa. Os visitantes cresceram no jogo e quase chegaram ao gol de empate com Ibarbo, o atacante bateu levando perigo ao gol milanista. O Milan teve a chance do segundo gol. Após escanteio cobrado por Montolivo, a defesa afastou e a bola sobrou com El Shaarawy, o camisa 92 mandou de primeira, o chute foi desviado no meio do caminho e bateu no travessão, no rebote Pazzini subiu bem e tocou de cabeça, quando a bola estava entrando, a defesa conseguiu afastar.

O segundo tempo começou com o Cagliari em cima. Daniele Conti cobrou falta na cabeça de Ibarbo, que cabeceou assustando a meta do Milan. O mesmo Conti, que era fundamental para o time visitante, recebeu um cartão amarelo com 18 minutos, levou o segundo amarelo aos 21, após deixar o braço no rosto de Pazzini. Em mais uma bela enfiada de bola, mas desta vez por Ambrosini, El Shaarawy se jogou de carrinho para marcar o seu segundo gol.

Napoli 3 x 0 Lazio

Artilheiro, “Furacão” Cavani ataca novamente e marca três na vitória contra a Lazio (Foto: Agência Reuters)

No jogo mais esperado da rodada, Napoli e Lazio se enfrentaram para ver quem encostaria na líder Juventus, que havia empatado com a Fiorentina. Jogando no estádio San Paolo, o time da casa foi empurrado pela torcida e contou com o artilheiro Cavani para decidir o jogo.

Com menos 10 minutos de jogo, Klose abriu o placar. Depois de um escanteio cobrado por Hernanes, o artilheiro mandou a bola para o gol. O tento, no entanto, foi irregular, pois o alemão fez o gol com a mão. O segundo maior artilheiro das Copas, porém, surpreendeu, confessou o seu ato e o árbitro anulou o gol. Bela atitude do goleador. Aos 18, Hamsik carregou a bola e tocou para Cavani, o uruguaio trouxe para o meio e mandou uma bomba, a bola ainda desviou no meio do caminho e tirou o goleiro Marchetti da bola, abrindo o placar para o Napoli.

Tentando o empate, a Lazio foi pra cima do time da casa, mas Paolo Cannavaro recuperou a bola e acertou um lançamento à la Pirlo para Cavani. O camisa 7 encheu o pé e contou com a contribuição de Marchetti, que foi com a mão mole e espalmou pra dentro do gol: 2 a 0 Napoli. No segundo tempo, Konko cruzou e Klose, desta vez de cabeça, mandou para o gol, porém De Sanctis foi buscar.

Aos 19, Behrami lançou Cavani, que aproveitou o vacilo de André Dias, que não o acompanhou, e partiu em direção do gol. O artilheiro do Napoli ainda driblou Marchetti antes de marcar o terceiro. Dez minutos depois do terceiro gol, Insigne invadiu a área com muita velocidade, foi pra cima do zagueiro Ciani, e foi derrubado pelo mesmo. Na cobrança da penalidade, Cavani mandou pra longe do gol.

Roma 1 x 1 Sampdoria

Depois de conquistar na justiça os três pontos do jogo contra o Cagliari, a Roma entrou em campo para tentar a sua primeira vitória em casa e, após o gol de Totti, que fez 36 anos no dia 27 de Setembro, a torcida Giallorossa achou que veria um show romanista, mas o time da Sampdoria, que briga pela ponta da tabela, estragou a festa e empatou o jogo.

As vésperas de mais um aniversário, Totti marca, mas vê Roma ficar apenas com um empate (Foto: Site Oficial da Roma)

Antes de completar 36 anos, Francesco Totti queria se presentear no jogo contra a Sampdoria. Logo no começo do jogo, o Capitano lançou Destro, o camisa 22 devolveu para Totti, que viu o goleiro adiantado e mandou por cobertura, porém a bola bateu no travessão. Aos 34 minutos, Lamela tentou o passe, que foi interceptado pela zaga, mas a bola se ofereceu para Destro cara a cara com Romero, o goleiro argentino saiu bem e conseguiu defender o chute. Na continuação da jogada, Lamela ficou com o rebote, tocou para Florenzi e o meia achou Totti livre do outro lado. O Capitano bateu de primeira e abriu o placar, marcando o seu gol de número 216 na carreira e tornando-se o terceiro maior artilheiro do Calcio, somente atrás de José Altafini, o Mazzola, e Giuseppe Meazza.

No final do primeiro tempo, Balzaretti lançou o jovem Destro, que bateu de primeira, em cima de Romero. Com um minuto do segundo tempo, tudo aparentava ficar mais fácil para a Roma, pois Maresca recebeu o segundo amarelo após fazer falta em Lamela. Com um a menos, o time visitante não saiu para o jogo, mas aos 17, Berardi cruzou, Stekelenburg falhou de forma bisonha e a bola sobrou para Munari empurrar para o fundo das redes. No último lance do jogo, Balzaretti recebeu por trás da zaga e mandou de cabeça pro gol, mas Romero tirou de cima da linha, evitando o gol da vitória romanista.

Confira todos os resultados da quinta rodada do Calcio:

Terça (25/09)

Fiorentina 0 x 0 Juventus

Pescara 1 x 0 Palermo

Quarta (26/09)

Catania 2 x 1 Atalanta

Chievo Verona 0 x 2 Internazionale

Genoa 1 x 1 Parma

Milan 2 x 0 Cagliari

Napoli 3 x 0 Lazio

Roma 1 x 1 Sampdoria

Torino 0 x 0 Udinese

Quinta (27/09)

Siena 1 x 0 Bologna








%d blogueiros gostam disto: