Após era Guardiola, Barcelona mantém a mesma estrutura

16 08 2012

Visando retomar com hegemonia, catalães seguem sem mudanças sob comando de Vilanova

Por Luiz Queiroga

Informações de Jose Garcia, direto de Valencia, Espanha

Messi continua sendo o principal jogador do Barcelona nesta temporada (Foto: Miguel Ruiz/Barcelona FC)

Song está na mira do Barcelona, mas Arsenal dificulta a negociação (Foto: Victor Fraile/Getty Images)

Assim como o rival Real Madrid, o Barcelona vem para esta temporada sem nenhuma grande contratação. Até o momento, não houve nenhum movimento tanto para trazer nomes de peso ou então dispensar jogadores. Desde a saída do técnico Jose Guardiola, o seu substituto Tito Vilanova não exigiu reforços.

O único nome, porém, que surge ligado ao Barcelona atualmente é o do camaronês Alex Song, mas parece que o Arsenal, da Inglaterra, não está disposto a negociar o atleta. Ainda mais que, segundo informou o treinador Àrsene Wenger, o meio campista “ainda tem três anos de contrato”.

Como o time catalão realmente mostra interesse em contar com o futebol do jogador de Camarões, a diretoria já começou a trabalhar, mesmo que de forma tímida, para baixar os valores pedidos pelo Arsenal, em torno de 20 milhões de euros (cerca de R$50 milhões).

Uma “novidade” muito comemorada é o retorno do atacante David Villa, que se lesionou no Japão, no Mundial de Clubes do ano passado. O capitão Carles Puyol também está de volta aos gramados após recupera-se de lesão, deixando o departamento médico sem ninguém atualmente sob tratamento.

Villa e Puyol, na arquibancada: cena comum no fim da temporada passada (Foto: EPA)

Vilanova está otimista para o início dessa temporada e se diz feliz por estar à frente do “melhor time de futebol do mundo”, segundo afirmam os especialistas do esporte, mas essa condição é discutida, uma vez que, além do Real Madrid, clubes como Valencia, Sevilla e Bilbao já sabem como efetuar a marcação em cima do time de Messi.

Anúncios




Barcelona e Milan abrem a fase de grupos da Champions League

13 09 2011

Gigantes do futebol europeu se encontram pela 12ª vez

Por Renato Fugulin

32 equipes começam hoje a disputa pelo troféu mais cobiçado do futebol europeu. Foto: Getty Images

Começa hoje a fase de grupos da Champions League. 32 equipes partem em busca do troféu mais cobiçado do futebol europeu. Entre elas estão Barcelona e Milan, que duelam esta tarde pelo Grupo H. Nas demais partidas, destacam-se os confrontos entre Chelsea e Bayer Leverkusen, bem como entre Borussia Dortmund e Arsenal.

Barcelona x Milan
As duas equipes vêm de um empate por 2 a 2 nos respectivos campeonatos nacionais. O Barcelona encarou fora de casa a Real Sociedad pela segunda rodada do Espanhol, enquanto o Milan se igualou à Lazio no San Siro no jogo de abertura da Serie A.

Cesc Fàbregas é opção para o meia campo do Barcelona. Foto: Laurence Griffiths/Getty Images

Do lado catalão, o técnico Pep Guardiola tem titulares lesionados na defesa e no ataque. Gerard Piqué não joga desde 23 de agosto, data em que lesionou a sua canela durante um treino. Na frente, o chileno Alexis Sánchez sofreu uma contusão muscular no empate contra a Real Sociedad e desfalcará os blaugrana por dois meses.
Por outro lado, o capitão Carles Puyol e os laterais brasileiros Adriano e Maxwell voltaram de lesão e são opção para o treinador do atual campeão europeu.

No Milan, dois jogadores são cartas fora do baralho de Massimiliano Allegri, técnico do time detentor do scudetto. O lateral esquerdo nigeriano Taye Taiwo sofreu uma lesão no tornozelo no amistoso frente à Juventus no dia 21 de agosto, enquanto o meia francês Mathieu Flamini foi operado no final do mês passado devido a uma contusão nos ligamentos cruzados do joelho, sofrida na mesma partida.

Esta será a 12ª vez que os dois clubes se encontram em jogos oficiais. Nos outros 11 confrontos, registraram-se quatro vitórias, três empates e quatro derrotas para cada lado. As duas últimas partidas entre os dois emblemas ocorreram na semifinal da edição de 2006. O Barcelona venceu o jogo de ida no San Siro por 1 a 0 com gol de Giuly e empatou a zero em casa para garantir a classificação para a final, que venceria frente ao Arsenal.
No entanto, foi do Milan a vitória mais expressiva no embate entre as duas equipes. Na final da Champions League de 1994, os rossoneri venceram os catalães por 4 a 0, com dois gols de Massaro, um de Savicevic e outro de Desailly.

Reencontros

Chelsea e Bayer Leverkusen se encontram pela primeira vez em competições europeias. Entre os dois há um elemento em comum. Michael Ballack, meia do time alemão, jogou quatro temporadas pelo Chelsea e conquistou um título da Premier League, três Copas da Inglaterra e uma Copa da Liga Inglesa. O reencontro de Ballack com os “blues” terá lugar em Stamford Bridge, no embate inicial do Grupo E.

À semelhança do jogo entre Chelsea e Bayer Leverkusen, também haverá um reecontro no Grupo F quando Borussia Dortmund, campeão da Bundesliga, e Arsenal, quarto classificado da última Premier League, se encontrarem no BVB Stadion Dortmund. O meia Rosicky foi jogador do Borussia Dortmund antes de se transferir para o emblema inglês. Os dois times já se encontraram em duas ocasiões, ambas na fase de grupos da Champions League de 2002. O Arsenal venceu o primeiro jogo no Highbury Park por 2 a 0 com gols de Bergkamp e Ljungberg, enquanto o Borussia Dortmund bateu os “gunners” por 2 a 1 na Alemanha. Rosicky marcou para o time da casa e Thierry Henry descontou para os londrinos.

Rosicky, hoje a serviço do Arsenal, enfrenta o Borussia Dortmund, seu antigo clube. Foto: Getty Images





Messi brilha e Barcelona conquista título da UEFA Champions League

28 05 2011

Manchester tentou, mas a equipe liderada pelo craque argentino bateu os ingleses por 3 a 1

Por Luiz Queiroga

Um grande espetáculo! Esse foi o cenário da grande final entre Barcelona e Manchester United pela UEFA Champions League. Com Messi inspirado, a equipe espanhola conseguiu um excelente resultado por 3 a 1 e chegou ao quarto título da história do clube. O capitão da equipe, Puyol, que começou a partida no banco de reservas devido a um problema muscular, entrou no fim do jogo como uma homenagem pela sua história no time.

No estádio Wembley, os campeões da Inglaterra e Espanha se enfrentaram para decidir quem seria o maior clube da Europa. Sem contar com Puyol, o técnico Josep Guardiola escalou o francês Abidal na lateral esquerda e deslocou o volante Mascherano para compor a zaga com Piqué. Começando pressionado, o time viu um Manchester United atacando demais e pressionando, com Rooney avançando pelos lados do campo. O sul-coreano Park marcava intensamente o lateral Daniel Alves e Messi tinha dificuldades de correr com a bola.

O time de Alex Ferguson, porém, não soube administrar bem o bom início de jogo e viu o adversário aos poucos controlar a partida. Aos 27 minutos, Xavi deu uma linda assistência para Pedro chutar no canto direito do gol, sem chances para o goleiro Van der Sar. Restou aos ingleses partirem para o ataque, e aos 34 minutos Rooney tabelou com Chicharito, que estava em posição de impedimento, e deu um forte chute contra o gol de Victor Valdés, empatando a partida.

No segundo tempo, o Barcelona continuou controlando a partida e tendo mais posse de bola, restando apenas ao Manchester United marcar no campo de defesa. Aos oito minutos, Messi soube aproveitar a falha de marcação para se posicionar bem e chutar de canhota para ampliar o placar.

Os ingleses tentavam empatar novamente a partida nos contra-ataque, enquanto o Barcelona seguia dominando o jogo. Muitas chances foram criadas pelos espanhóis ao decorrer do segundo tempo até que aos 23 minutos Messi em linda jogada pelo lado esquerdo da defesa adversário cruzou para Pedro, que rolou para David Villa na entrada da área e bateu colocado, marcando o terceiro gol do Barça.

Perto do fim da final, Pep Guardiola substituiu Daniel Alves por Puyol. O capitão da equipe durante toda a temporada esteve no banco de suplentes devido um desconforto muscular e recebeu a braçadeira de capitão das mãos de Xavi para poder levantar novamente o troféu da UEFA Champions League para o Barcelona.

Ao término da partida, os jogadores do Manchester United receberam as medalhas de prata das mãos do presidente da UEFA, Michel Platini, que cumprimentou o treinador Alex Ferguson. Os Diabos Vermelhos foram aplaudidos por todos os torcedores presentes em Wembley. Quando o Barcelona foi receber o troféu, Carles Puyol fez um bonito gesto e passou a braçadeira de capitão para o francês Abidal para que este erguesse o caneco. O lateral esquerdo foi submetido a uma cirurgia no fígado para a retirada de um tumor. Barcelona conquistando pela quarta vez na história do clube e Messi eleito o melhor jogador em campo, com méritos.

FICHA TÉCNICA da partida entre BARCELONA 3×1 MANCHESTER UNITED

ESTÁDIO: Wembley, em Londres, InglaterraDATA E HORA: Sábado, 28 de maio de 2011, às 15h45 (de Brasília)
ÁRBITRO: Viktor Kassai (HUN)
CARTÕES: Daniel Alves, Valdés (BAR); Carrick, Valencia (MAN)
PÚBLICO: 87.695 pagantes
GOLS: Pedro (1-0), aos 27’/1ºT; Rooney (1-1), aos 34’/1ºT; Messi (2-1), aos 9’/2ºT; Villa (3-1), aos 24’/2ºT

BARCELONA: Valdés; Daniel Alves (Puyol), Mascherano, Piqué, Abidal; Busquets, Xavi, Iniesta; Pedro (Afellay), Villa (Keita) e Messi
TÉCNICO: Pep Guardiola

MANCHESTER UNITED: Van der Sar; Fabio (Nani), Vidic, Ferdinand, Evra; Carrick (Scholes), Giggs, Park, Valencia; Rooney e Chicharito Hernández
TÉCNICO: Alex Ferguson

Confira a cobertura completa da final da UEFA Champions League no Jornalismo FC.

Veja também:

Time de Roberto Carlos, Jucilei e Tardelli estará em Wembley

Mano Menezes assistirá à final da UEFA Champions League

Londres lotada de torcedores de Barcelona e Manchester United

Mascherano tentará pela segunda vez conquistar título da Champions

Barcelona e Manchester United se enfrentam pela decisão da UEFA Champions League

Dados e curiosidades da final entre Barcelona e Manchester United

Evra: “Não posso perder a Champions outra vez”

Finalistas dominam seleção dos melhores jogadores da Copa dos Campeões

Cinemas vão transmitir final da Champions em 3D

Daniel Alves usará chuteira especial na final da Champions

UEFA define árbitro da final da Champions League

Palco da final traz boas memórias a Barcelona e Manchester United





Surpresa, capitão Puyol será reserva na grande decisão

28 05 2011

Momentos antes da final, o técnico Pep Guardiola anunciou a entrada do francês Abidal no lugar do zagueiro espanhol

Por Luiz Queiroga

O técnico Josep Guardiola surpreendeu a todos na escalação da equipe que irá entrar em campo contra o Manchester United, pela briga do título da UEFA Champions League. O treinador deixou o zagueiro e capitão da equipe Puyol no banco de reservas, colocando o lateral esquerdo Abidal como titular.

O francês se recuperou da retirada de um tumor no fígado e voltou aos gramados na semifinal da UEFA Champions League, contra o Real Madrid. Desde então, Guardiola tem escalado o jogador nas rodadas finais do Campeonato Espanhol.

Carles Puyol sentiu um problema muscular ao término do treino desta sexta-feira, motivo pelo qual o treinador do Barcelona optou em coloca-lo no banco de suplentes. Desta forma, a zaga catalã será formada por Piqué e Mascherano.

Alex Ferguson, por sua vez, não fez nenhuma alteração na equipe que estará em campo na decisão. A principal ausência foi a do artilheiro do Campeonato Inglês, o búlgaro Dimitar Berbatov, com 21 gols, ao lado do argentino Carlitos Tevez. Para o seu lugar, o treinador dos Diabos Vermelhos convocou o veterano Michael Owen.

A partida será as 15h45 (horário de Brasília), no estádio Wembley. Acesse o pré-jogo da grande final aqui, postado anteriormente.

Confira a cobertura completa da final da UEFA Champions League no Jornalismo FC.

Veja também:

Time de Roberto Carlos, Jucilei e Tardelli estará em Wembley

Mano Menezes assistirá à final da UEFA Champions League

Londres lotada de torcedores de Barcelona e Manchester United

Mascherano tentará pela segunda vez conquistar título da Champions

Barcelona e Manchester United se enfrentam pela decisão da UEFA Champions League

Dados e curiosidades da final entre Barcelona e Manchester United

Evra: “Não posso perder a Champions outra vez”

Finalistas dominam seleção dos melhores jogadores da Copa dos Campeões

Cinemas vão transmitir final da Champions em 3D

Daniel Alves usará chuteira especial na final da Champions

UEFA define árbitro da final da Champions League

Palco da final traz boas memórias a Barcelona e Manchester United








%d blogueiros gostam disto: