Autuori prevê dificuldades para recuperação do São Paulo no Brasileirão

2 08 2013

Técnico exalta comportamento do time durante excursão para reverter crise

Por Luiz Queiroga

Autuori tem procurado aproveitar ao máximo excursão do São Paulo no exterior
(Foto: Divulgação/São Paulo)

Por mais que o São Paulo tenha ficado em último na Copa Audi, após ser derrotado pelo placar mínimo para o Milan, nessa quinta-feira (1), o técnico Paulo Autuori tem visto com bons olhos a excursão do time no exterior. Para ele, por mais que haja o desgaste físico, a experiência tem sido boa para todo o elenco, que está ganhando confiança e poderá reverter a crise estabelecida no Morumbi.

– A viagem está nos exigindo muito sacrifício e nós vamos sofrer para sair dessa situação no Campeonato Brasileiro. Mas o elenco está encarando isso de frente e alguns jogadores souberam aproveitar as oportunidades para ganhar espaço e confiança para seguir adiante – declarou ao site oficial do clube.

As derrotas por placares apertados contra Bayern de Munique e Milan na Copa Audi reforçam como a defesa tem se portado bem com a chegada de Autuori no comando. O empate sem gols contra o Corinthians, no último domingo (28), mostrou como o treinador conseguiu acertar o que era a dor de cabeça da torcida do São Paulo.

Se atrás o time demonstrou melhora, do meio para frente é preciso de mais evolução. Por mais que tenha perdido contra o Milan, o Tricolor foi mais ao ataque em comparação ao jogo contra o Bayern, no qual se preocupou apenas em defender. Autuori terá bastante trabalho pela frente, mas usará bem os próximos compromissos internacionais em Portugal e no Japão para tirar pontos positivos para o retorno no Brasileirão.

– Estou aproveitando esse período para rodar o elenco. Até mesmo pela necessidade, nós estamos usando todos os atletas e eles estão ganhando espaço com isso. Precisamos muito da entrega dos jogadores nesse momento e eles não estão fugindo disso – comentou.

Anúncios




Após 20 anos, São Paulo reencontra Milan, agora pela Audi Cup

31 07 2013

Reedição da final do Mundial Interclubes de 1993 coloca em jogo a disputa do terceiro lugar do torneio na Alemanha

Por Diogo Belley 

As derrotas de São Paulo e Milan, pelas semifinais da Audi Cup, recolocam as equipes frente a frente 20 anos depois do último encontro. Naquela ocasião, em 1993, o título Mundial Interclubes estava em jogo. Desta vez, o duelo valerá o terceiro lugar do torneio amistoso disputado na Alemanha.

Nesta quarta-feira (31), o time do Morumbi foi eliminado pelo Bayern de Munique por 2×0, mesmo com a grande atuação do goleiro e capitão Rogério Ceni. Já o time italiano se livrou de levar uma goleada. O adversário inglês Manchester City chegou a abrir cinco gols de vantagem, mas com a classificação praticamente garantida tirou o pé e deixou o Milan se aproximar no placar, fechando o marcador em 5×3.

Há 20 anos, São Paulo e Milan duelavam em Tóquio pelo título Mundial (Foto: Divulgação/São Paulo)

Quando brasileiros e italianos disputaram para ver quem era o melhor time do mundo, os tempos eram outros. Na época, o então bicampeão da Libertadores e campeão Mundial São Paulo, comandado por Telê Santana, vinha embalado por uma sequência fantástica de títulos. O time, sob o comando de grandes estrelas como Zetti e Muller, enchiam os olhos da torcida tricolor e do mundo todo. Em 1992, um ano antes, também na disputa pelo Mundial, havia derrotado o Barcelona de Pep Guardiola e Stoichkov.

Muller comemora o gol do título do São Paulo (Foto: Arquibancada Tricolor)

Já o Milan, treinado por Fábio Capello, tinha jogadores como Costacurta, Maldini e Massaro. Naquele momento, eram os atuais campeões italianos e vinham de um vice-campeonato da  UEFA Champions League – o campeão Olympique de Marseille foi suspenso por manipulação de arbitragem. Na ocasião, o time do Mestre Telê venceu por 3×2 com gol espírita do atacante Muller e sagrou-se bicampeão Mundial.

Hoje, em situações diferentes das vividas há 20 anos, o Tricolor busca um padrão de jogo para reagir no Campeonato Brasileiro, pois não está em uma situação confortável na tabela de classificação. Já a equipe milanesa está se estruturando para a temporada 2013/14 que irá começar, com o objetivo de fazer uma boa campanha no torneio europeu e buscar o título nacional.

São Paulo e Milan se enfrentam nessa quinta-feira (1), às 13h15 (de Brasília), na Allianz Arena. Mais tarde, às 15h30, é a vez de Bayern de Munique e Manchester City entrarem em campo pela disputa do título da Audi Cup.





Bayern e City avançam na Copa Audi

31 07 2013

Clubes farão a final da competição; São Paulo e Milan se enfrentam pelo terceiro lugar

 Por Matheus de Andrade

Dzeko, destaque do City, autor de dois gols (Foto:EFE)

A primeira partida da Copa Audi na edição de 2013 foi entre Manchester City e Milan e quem vencesse garantia vaga na final dessa quinta feira (01), contra o vencedor de Bayern e São Paulo. Os ingleses confirmaram o favoritismo contra uma desfalcada equipe italiana e logo com 35min do primeiro tempo já venciam por 5×0, com gols de Dzeko(2), David Silva, Micah Richards e Kolarov. Os caros reforços Fernandinho, Jovetic e Jesus Navas também participaram da equipe do City, que viu o Milan marcar três gols ainda na primeira etapa, com, El Shaarawy(2) e Petagna.

Após um primeiro tempo de oito gols, as equipes mexeram bastante e o resultado foi uma segunda parte pouco movimentada, que sacramentou a vitória do time de Manchester por 5×3. Essa foi a terceira participação dos italianos, que nunca chegaram á final da competição. Já o City , na primeira participação do torneio, terá a oportunidade de disputar a decisão.

Bayern de Munique x São Paulo

A outra semifinal também possuía uma equipe com grande favoritismo, o Bayern de Munique, atual campeão europeu, enfrentava o São Paulo, que está a 12 partidas sem conseguir vencer. No primeiro tempo, os bávaros tiveram amplo domínio, no entanto uma grande exibição do goleiro Rogério Ceni impediu que o placar fosse aberto.

Rogério Ceni defende chute de Alaba: boa atuação do goleiro não impediu derrota tricolor (Foto:Reuters)

Próximos confrontos

Mas a segunda etapa foi diferente, Mandžukić e Weiser marcaram para os alemães, e no fim da partida Rogério Ceni desperdiçou um pênalti. O Bayern e enfrenta o City na final. A última vez que os dois se enfrentaram foi na fase de grupos da UEFA Champions League da temporada 2011/2012, e os ingleses venceram por 2×0.

A disputa de terceiro lugar será entre São Paulo e Milan. Os dois já fizeram a final do Mundial Interclubes de 1993, na qual o Tricolor venceu por 3×2. Essa será a segunda partida da excursão do clube paulista por Europa e Ásia. A Copa Eusébio, disputa em Portugal, contra o Benfica, e a Copa Suruga, jogada no Japão contra o campeão da J-League, ainda estão no calendário são paulino. Pelo Campeonato Brasileiro, o próximo confronto é contra a Portuguesa, no dia 09/08, no entanto como a partida contra o Kashima Antlers será jogada dois dias antes, o Tricolor tenta o adiamento do jogo contra a Lusa.





São Paulo pode se apegar a resultados passados para vencer rival alemão na Audi Cup

30 07 2013

Em 1999, o Tricolor Paulista goleou por 5×0 o Bayern Leverkusen; contra o Bayern de Munique, derrota em 2007 por 2×1, apesar de grande atuação com o Time B

Por Diogo Belley

 

Delegação do São Paulo desembarca na Alemanha (Foto: Reprodução/São Paulo)

Os dias pelos lados do Morumbi não são dos melhores. O clube vive uma sequencia histórica sem vitórias, problemas com jogadores tidos como líderes do elenco e uma forte pressão de parte da torcida por trocas na diretoria. Mesmo assim, amanhã (31), na Alemanha, o São Paulo estreia na Audi Cup contra o Bayern de Munique, atual campeão da UEFA Champions League.

Mas o tricolor paulista pode se apegar ao passado para acreditar em um bom resultado. Os tempos são outros, mas na última vez que a equipe de Rogério Ceni enfrentou um time alemão, o resultado foi histórico. Liderados pelo treinador Paulo César Carpegiani, o Bayern Leverkusen sofreu uma goleada de 5×0 no Morumbi, pela Copa Euro-América, em 1999.

Com gols de Ramelow (contra), Zé Carlos, Souza, Dodô e Sérginho, o São Paulo sagrou-se campeão do torneio, que contava também com a participação do paraguaio Olimpia, derrotado na partida de estreia por 4×1 pelo Tricolor.

Já em 2007, mas com o time B, o São Paulo foi até a China jogar um amistoso contra o Bayern de Munique, e perdeu de virada por 2×1, com gols de Marcel, Klose e Altintop, apesar do domínio do jogo ter sido da equipe brasileira. O duelo serviu para celebrar os 10 anos do regresso de Hong Kong à soberania chinesa.

As outras duas equipes participantes da Audi Cup são Milan e Manchester City, que se enfrentam amanhã, às 13h15. Depois, às 15h30, é a vez do atual campeão da Copa Sul-Americana entrar em campo. Dia 1 de agosto ocorrerão as disputas de 3º e 4º e a grande decisão.





Borussia e Bayern decidem a Supercopa da Alemanha neste sábado

26 07 2013

Desfalcados, os times fazem a reedição da final da última Champions

Por Gabriela Tomaseto

Bayern e Borussia abrem a temporada 2013/2014 do futebol alemão. (Foto: Christof Stache/AFP)

Depois de estrelarem a primeira final alemã da história UEFA Champions League, há pouco mais de dois meses, Borussia Dortmund e Bayern de Munique decidem, nesse sábado (27), às 15h30 (horário de Brasília), a Supercopa da Alemanha.

A competição traz um confronto entre o campeão nacional e o vencedor da Copa da Alemanha. No entanto, como o Bayern ficou com os dois títulos, além da taça da Champions, o Dortmund entra na disputa por ter sido o segundo colocado da Bundesliga.

FORTE CONCORRÊNCIA: ida de Thiago Alcântara ao Bayern pode ser problema para o clube

Além da primeira partida oficial de Pep Guardiola no comando bávaro, o confronto será marcado pelos problemas médicos em ambas as equipes. Neuer e Ribéry, com lesões leves, serão poupados. Além deles, Götze ,ex-Dortmund, se recupera de um estiramento muscular na coxa e também está vetado. Já Schweinsteiger viajou com a delegação, mas é dúvida.

Pelo lado do Borussia, o recém-contratado armênio Mkhitaryan, lesionado, ainda não está liberado para estrear. Outra mudança pode acontecer na lateral direita, com Sokratis começando como titular no lugar de Piszczek. Derrotado na final da Champions League e atual vice-campeão alemão, o técnico Jurgen Klopp negou o clima de revanche.

– Não há sentimento de vingança para esse jogo. Perdemos a final da Liga dos Campeões, mas aprendemos muito naquele confronto. Certamente faremos o possível para vencer essa final. É nossa terceira final seguida e não vencemos nos últimos dois – declarou.





Após dispensar Ronaldinho do Barça, Guardiola pode reencontrar o meia no Mundial

26 07 2013

Quando assumiu o time catalão, o técnico dispensou R10 e medalhões: ‘Se eu sentisse que ele quer ser o jogador que foi outra vez, ele estaria aqui’; os dois podem se reencontrar na final do Mundial de Clubes

Por Luiz Queiroga

Pra rua! Guardiola dispensou Ronaldinho do Barcelona, em 2008 (Foto: AFP)

O título inédito da Taça Libertadores da América conquistado pelo Atlético-MG já remete automaticamente o pensamento para o Mundial de Clubes, no fim do ano, que será realizado em Marrocos. E um dos capítulos que surgem na história que o Galo está realizando é o possível reencontro do técnico Josep Guardiola com o meia Ronaldinho Gaúcho, após o espanhol ter dispensado o brasileiro do Barcelona, em 2008.

Quando assumiu a vaga deixada pelo holandês Frank Rijkaard, Pep adotou uma medida radical e dispensou jogadores considerados medalhões da equipe catalã na época. Além de Ronaldinho, o meia Deco e o atacante Samuel Eto’o também não estavam mais nos planos do novo técnico:

– Todos os jogadores da última temporada têm um nível alto. Mas em reuniões com a diretoria, determinamos que Deco, Ronaldinho e Eto’o não estão nos planos – esclareceu Guardiola, na época. O técnico, inclusive, deu a entender que o brasileiro não era mais saudável para o ambiente do clube:

O “cara” do Barcelona até 2008, Ronaldinho sai e Messi virou o maestro do time (Foto: AP)

– Se eu sentisse que ele quer ser o jogador que foi outra vez, ele estaria aqui. Mas a situação se deteriorou e a ideia é construir um vestiário forte – comentou.

A medida foi para dar espaço a atletas que eram “sombras” desses medalhões e que poderiam reverter o cenário do clube, que depois de atingir as glórias da UEFA Champions League, em 2006, ficou sem ganhar mais nenhum título. Messi passou a ser o protagonista do time e contou com a ajuda de Xavi, Iniesta e Daniel Alves para acabar com a seca de troféus no Camp Nou.

Coincidência ou não, o Barcelona passou a dominar o cenário europeu e até mesmo mundial, conquistando dois Mundiais de Clube, depois que Pep assumiu e reformulou o elenco. A hegemonia catalã só acabou após a saída de Guardiola do comando, que agora surge como forte candidato a liderar uma nova era na Europa, pelo Bayern de Munique.

Em dezembro próximo, Atlético-MG e Bayern de Munique têm grandes chances de protagonizar a decisão do Mundial de Clubes. Conquistando todos os títulos que tinha direito na última temporada, o clube alemão certamente buscará o troféu do torneio. Por mais que Ronaldinho não culpe Guardiola pela saída dele do Barcelona, talvez seja uma motivação a mais para o brasileiro dentro de campo.

CAMPEÃO EUROPEU: Bayern abre caminho para hegemonia com título da Champions League

– Eu não saí por causa de Guardiola. Toda vez que o encontro, é uma alegria tremenda. É um grande treinador e vai dar um ganho de qualidade ao Bayern. O meu melhor treinador foi Rijkaard. É um dos que mais sabem de “jogo bonito” e as características dos jogadores – amenizou Ronaldinho.





Messi elogia Neymar e acredita no sucesso da dupla dentro e fora de campo

17 07 2013

O craque destacou a capacidade do brasileiro de fazer muitos gols e disse não ver problemas para a adaptação da dupla fora das quatro linhas

Por Leonardo Perri

Messi concedeu sua primeira entrevista coletiva na temporada (Foto: Miguel Ruiz - FCB)

Messi concedeu sua primeira entrevista coletiva na temporada (Foto: Miguel Ruiz – FCB)

Na primeira grande aparição de Lionel Messi para a imprensa espanhola, o argentino respondeu principalmente sobre o seu novo companheiro de clube Neymar. O argentino ressaltou as qualidades do ex-santista e apostou no sucesso da dupla, destacando a qualidade do brasileiro em marcar gols.

– Espero que Neymar faça muitos gols pelo bem da equipe, é por isso que devemos lutar. Será muito positivo alguém que faça tantos gols como ele –  disse o grande craque do time catalão em entrevista coletiva.

Em relação ao convívio dos dois fora de campo, o camisa 10 não vê problemas já que enxerga Neymar como um bom garoto e que irá se adaptar facilmente ao vestiário do time espanhol.

– Espero que dentro do trabalho de campo (Neymar) funcione. É um grande jogador, vem para uma equipe cheia de craques e parece que não terá problemas para se adaptar. Fora de campo não terá nenhum problema porque parece um bom garoto e, no vestiário, há pessoas muito boas. Não haverá problemas dentro nem fora dos gramados – falou o craque, que se reapresentou para a pré-temporada.

Adversários mais fortes e lesões

Messi em seu trabalho de pré-temporada (Foto: Reprodução Instagram)

Messi em seu trabalho de pré-temporada (Foto: Reprodução Instagram)

A forte concorrência dos adversários nessa atual temporada também foi destacada por Messi. O craque falou da força do Bayern de Munique, que contratou o ex-Barça Thiago Alcântara e conta com Pep Guardiola, que comandou o time catalão na mais vitoriosa fase do clube.

– O Bayern tem uma grande equipe. Eles mostraram isso ao vencer a Liga dos Campeões de forma tão convincente e, com o reforço de Guardiola, serão ainda mais fortes – completou Messi.

O grande rival, Real Madrid também foi assunto e Lionel destacou que a briga pelo Campeonato Espanhol será mais difícil ainda.

– Eles reforçam a equipe a cada ano. Vai ser um campeonato muito difícil.

Grande adversário do astro argentino na temporada passada, as lesões foram assunto na coletiva. Messi admite que jogou sem estar 100% nas partidas contra o PSG e Bayern de Munique pela Liga dos Campeões e que isso contribuiu para agrava sua lesão. No entanto, disse não se arrepender e que qualquer um está sujeito.

– Eu não tinha me lesionado por algum tempo, mas sempre existe o risco. Pode acontecer com qualquer um de nós. Realmente, não foi uma lesão muito grande, mas o fato de eu ter jogado quando eu não estava 100% fisicamente a agravou. Só que eu sabia disso e não me arrependo – finalizou o craque.








%d blogueiros gostam disto: