Fim do sonho: Apoel dá adeus à Champions ao ser derrotado pelo Real Madrid por 5 a 2

4 04 2012

Mourinho poupou alguns de seus titulares e viu Kaká marcar um golaço no Santiago Bernabéu

Por Caio Martins

Kaká e Cristiano Ronaldo marcaram no Santiago Bernabéu (Foto: Getty Images)

O Real Madrid se garantiu nas semifinais da UEFA Champions League ao derrotar o Apoel com tranquilidade pelo placar de 3 a 1 no Santiago Bernabéu, nesta quarta-feira (4). Com a classificação encaminhada após vencer a partida de ida por 3 a 0 no Chipre, os merengues marcaram com Cristiano Ronaldo, duas vezes, Kaká, Callejón e Di María. A equipe da capital espanhola segue em busca da sua décima conquista da competição e espera acabar com a hegemonia do rival Barcelona. Ao Apoel, que fez os seus gols com Gustavo Manduca e Solari, resta o orgulho pela excelente e surpreendente campanha do time no torneio, em que eliminou grandes equipes, como Porto, Shakhtar Donetsk e Lyon.

Com alguns titulares poupados, o Real já mostrou seu poderio ofensivo logo com dois minutos, quando Cristiano Ronaldo fez boa jogada individual e cruzou para Higuaín, que cabeceou rente à trave direita do goleiro cipriota, animando a torcida merengue no Santiago Bernabéu. Tentando despedir-se dignamente da Liga dos Campeões, o Apoel procurava se defender e sair nos contra-ataques. Entretanto, a ligação entre defesa e ataque não existia. A superioridade dos blancos ficou evidente na posse de bola: 73%. Com 25min, Marcelo cobrou falta pela esquerda e Cristiano Ronaldo cabeceou com perigo contra o gol de Pardo.

Artilheiro, CR7 marcou mais dois pelo Real (Foto: Getty Images)

Aos 26, um novo cruzamento de Marcelo pela esquerda e a bola passou por quase todos os jogadores dentro da área. Quase. O artilheiro Cristiano Ronaldo estava lá para empurrar pro fundo do gol e marcar seu sétimo gol na Champions, abrindo o placar em Madrid: 1 a 0 Real.

Com 28min, a primeira finalização cipriota na partida. O brasileiro Ailton recebeu na entrada da área e bateu rasteiro. Contudo, a finalização não saiu como o esperado e a bola ficou facilmente defensável para Casillas. Aos 37, a estrela de Kaká brilhou. O meia recebeu passe de Marcelo e, da meia-esquerda e de fora da área, colocou a bola no ângulo de Pardo para ampliar o marcador em grande estilo no Santiago Bernabéu. E o contestado jogador brasileiro quase fez mais um. Cristiano Ronaldo rolou para ele chutar novamente colocado. No entanto, a bola não teve o mesmo destino do chute anterior e bateu na trave.

Sem forçar muito, o Real já havia chegado ao ataque pela primeira na segunda etapa quando, aos quatro minutos, Kaká e Cristiano Ronaldo tabelaram e o brasileiro arriscou mais uma vez de fora da área, mas sem sucesso.

Kaká marcou um golaço na partida (Foto: Getty Images)

Mesmo com a iminente eliminação, o Apoel surpreendeu. Aos 20min, a equipe cipriota promoveu uma ótima troca de passes que deixou o brasileiro Gustavo Manduca na cara de Casillas. O atacante teve a frieza de tocar na saída do goleiro espanhol e diminuiu o placar para 2 a 1. E por muito pouco a equipe visitante não empatou a partida logo depois, aos 26min, quando Charalambides fez ótima jogada individual e obrigou Casillas a fazer ótima defesa ao chutar colocado no canto esquerdo.

Mas a equipe de Madrid era muito superior e contava com um jogador com faro de gol: Cristiano Ronaldo. O luso ampliou o marcador ao cobrar falta perfeita no ângulo esquerdo de Pardo, fazendo 3 a 1 para o Real. E os gols não pararam por aí. Callejón, que havia acabado de entrar, recebeu lindo lançamento de Di María e chutou no canto do goleiro para aumentar a vantagem aos 34min.

Entretanto, o time merengue mal pôde comemorar. Dois minutos depois, o árbitro marcou pênalti de Varane em Adorno. Solari converteu e diminuiu o marcador. O jogo não parava. Com 38, foi a vez do Real estragar a festa do gol dos cipriotas. Di María puxou contra-ataque e, ao ver Pardo adiantado, deu um toque por cobertura para marcar um lindo gol e fazer 5 a 2 Real, dando números finais a partida em Madrid.

O Real Madrid, agora, jogará contra o Bayern de Munique por uma vaga na grande final da Liga dos Campeões, que acontecerá no estádio do próprio clube alemão. Para os bávaros, chegar à decisão teria um gosto diferente, pois o jogo será disputado em seu estádio.

FICHA TÉCNICA
REAL MADRID 5 x 2 APOEL

Local: Santiago Bernabéu, Madri (ESP)
Data-Horário: 04/04/2012 – 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Gianluca Rocchi (ITA)
Auxiliares: Luca Maggiani (ITA) e Elenito di Liberatore (ITA)
Cartão amarelo: Poursaitidis (APO)
Cartões vermelhos: –
Gols: Cristiano Ronaldo 26’/1ºT (1-0), Kaká 37’/1ºT (2-0), Manduca 21’/2ºT (2-1), Cristiano Ronaldo 30’/2ºT (3-1), Callejón 34’/2ºT (4-1), Solari 36’/2ºT (4-2), Di María 38’/2ºT (5-2)

REAL MADRID: Casillas, Sergio Ramos, Varane, Pepe e Marcelo (Callejón, intervalo); Sahin, Granero (Albiol 20’/2ºT), Altintop, Kaká e Cristiano Ronaldo; Higuaín (Di María 8’/2ºT) – Técnico: José Mourinho.

APOEL: Pardo, Poursaitides, Paulo Jorge, Kaká e William Boaventura; Nuno Morais, Hélio Pinto (Satsias 32’/2ºT), Charalambides, Marcinho e Manduca (Adorno 22’/2ºT); Ailton (Solari 24’/2ºT) – Técnico: Ivan Jovanovic.

Anúncios




Real Madrid não dá chance ao Apoel e vence por 3 a 0 no Chipre pela Liga dos Campeões

27 03 2012

Com a vitória, Cristiano Ronaldo e companhia estão muito próximos de mais uma semifinal do torneio

Por Caio Martins

Jogadores do Real comemoram o primeiro gol da equipe, com assistência de Kaká (Foto: Getty Images)

Nesta quarta (27), o Real Madrid venceu o Apoel, fora de casa, pela partida de ida das quartas de final da Liga dos Campeões da Europa pelo placar de 3 a 0 e abriu excelente vantagem para a partida de volta, na Espanha. Superior do início ao fim da partida, com 23 finalizações na partida, o time merengue marcou com Benzema, duas vezes, e Kaká, que entrou no segundo tempo. O time da casa, considerado a zebra desta temporada na competição, não assustou Casillas uma vez sequer na partida e se complicou no torneio.

Muito pressionado pela torcida cipriota quando tinha a posse de bola, o Real parecia estar jogando em casa e tomou as primeiras iniciativas da partida. Aos 11min, Cristiano Ronaldo lançou Fábio Coentrão na esquerda. O lateral do time espanhol levantou na área, Higuaín não conseguiu o cabeceio e Özil arrematou de primeira, obrigando o goleiro Chiotis. Depois, com 15min, Coentrão cruzou para Higuaín, que cabeceou com perigo contra a meta do goleiro cipriota. O time da casa, acuado, mal conseguia chegar ao ataque.

Ailton (esquerda) tenta escapar da marcação de Pepe em Nicósia (Foto: Getty Images)

O jogo de ataque contra defesa dava perigo ao time do Apoel. Aos 27min, Cristiano Ronaldo arrancou e, sem ângulo, soltou a bomba em direção ao gol, fazendo com que Chiotis fizesse a defesa. Aos 32, a melhor oportunidade de gol da primeira etapa. Após jogada coletiva do time merengue, Sahin recebeu de Ronaldo na esquerda e cruzou rasteiro para Benzema. O francês, de frente para o gol vazio, chutou por cima da meta e perdeu um gol inacreditável.

Aos 43, em um dos raros contra-ataques promovidos pelos espanhois, Özil invadiu a área adversária e tocou para Cristiano Ronaldo, que finalizou à esquerda do gol, assustando a torcida local. Com incríveis onze finalizações merengues contra nenhuma do Apoel, o Real Madrid não conseguiu abrir o placar antes que o árbitro Felix Brych apitasse o fim do primeiro tempo em Nicósia.

O intervalo e as prováveis instruções de José Mourinho no vestiário não foram suficientes para alterar o jogo no início da segunda etapa. O jogo voltou da mesma forma como terminou no primeiro tempo. O Real, muito mais com a bola nos pés, não assustava a equipe do Apoel, que por sua vez não assustava Casillas e via sua torcida fazer uma linda festa no GSP Stadium. Mesmo quando o brasileiro Ailton fez ótima jogada individual e sofreu uma falta que poderia levar perigo ao gol espanhol, aos 13min, o time cipriota soube aproveitar a chance.

A primeira boa chance do time de Mourinho no segundo tempo veio apenas aos 21min, quando Cristiano Ronaldo cobrou falta na barreira e sobrou para Sergio Ramos, de calcanhar, bater para o gol. William Boaventura, porém, conseguiu afastar. Um novo lance de perigo surgiu com 23min. O camisa 7 merengue, muito participativo na partida, tocou para Benzema bater na rede pelo lado de fora à esquerda do gol de Chiotis.

Casillas não teve muito trabalho durante a partida (Foto: Getty Images)

Aos 27, a redenção de Benzema. Após perder grande chance no primeiro tempo, Kaká, que entrou no lugar de Higuaín, cruzou na medida para Benzema, de peixinho, abrir o marcador em Nicósia: 1 a 0 Real Madrid. A partir daí, uma enxurrada de excelentes oportunidades para os visitantes. A maioria delas, desperdiçadas. A melhor delas foi com 30min, quando Benzema tocou para Cristiano Ronaldo, livre dentro da área, finalizar e obrigar Chiotis salvar o Apoel. Mas nem todas essas chances foram perdidas. Aos 35min, Marcelo foi à linha de fundo e tocou para Kaká, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol e ampliar o placar para o Real.

E ainda deu tempo para mais um. Com 45min,  Cristiano Ronaldo arrancou e abriu para Özil na direita. O meia alemão rolou para Benzema, que chutou e fez o terceiro da equipe espanhola, fechando o placar em 3 a 0 para o Real. Apesar da festa dos torcedores cipriotas, quem tem motivos para comemorar são os espanhois, que, com a vitória, estão muito perto de avançar na Liga dos Campeões.

Real Madrid e Apoel voltam a se enfrentar por uma vaga nas semifinais da UEFA Champions League na próxima quarta-feira, no Santiago Bernabéu.

Benzema (duas vezes) e Kaká marcaram na vitória do Real Madrid (Edição: Caio Martins/Jornalismo FC)

FICHA TÉCNICA:
APOEL 0 X 3 REAL MADRID

Estádio: GSP Stadium, em Nicosia (CHP)
Data/hora: 27/03/2012, às 15h45
Árbitro: Felix Brych (ALE)
Cartões Amarelos:
Cartões Vermelhos:
Gols: Benzema (27’/2ºT), Kaká (35’/2ºT), Benzema (44’/2ºT)

Apoel: Chiotis, Paulo Jorge, Oliveira (Kaká, 12’/1ºT), Poursaitides e Boaventura; Charalambides, Hélio Pinto (Solari, 26’/2ºT), Nuno Morais e Alexandrou (Helder Souza, intervalo); Aílton e Trickovski

REAL MADRID: Casillas, Arbeloa, Pepe, Sergio Ramos e Fábio Coentrão (Marcelo, 17’/2ºT); Sahin (Granero, 38’/2ºT), Khedira e Özil; Cristiano Ronaldo, Benzema e Higuaín (Kaká, 17’/2ºT)





Barcelona e Milan se reencontram nas quartas de final da Champions; Chelsea encara Benfica

16 03 2012

Barcelona e Milan são as únicas equipes que já se enfrentaram

Por Renato Fugulin

O ex-jogador da Seleção Alemã Paul Breitner participou do sorteio das quartas de final da Champions League. Foto: http://www.uefa.com

O sorteio das quartas de final da Champions League realizado hoje em Nyon, na Suíça, ditou que Barcelona e Milan se reencontrassem. Após um empate a dois gols no Camp Nou e uma vitória catalã em San Siro na fase de grupos, “rossoneri” e “blaugranas” enfrentam-se novamente. A partida é a única que tem equipes que já jogaram entre si na competição. Quem se classificar encarará o Benfica ou o Chelsea nas semifinais rumo à final na Allianz Arena.

Dos quatro confrontos das quartas de final, três são inéditos. No jogo de ida, em Lisboa, o Benfica receberá o Chelsea. Com boa passagem pelo emblema “encarnado”, Ramires e David Luiz, hoje no clube inglês, terão a oportunidade de retornar ao Estádio da Luz.

Para o Bayern de Munique se tornar a terceira equipe na história a levantar o troféu no seu próprio estádio, o time bávaro terá que passar pelo Olympique de Marselha, campeão da edição de 1993. A eliminatória será especial para o gaulês Franck Ribéry, camisa 7 do time bávaro, que irá defrontar a sua antiga equipe. Quem se classificar encarará Real Madrid ou APOEL nas semifinais.

Surpresa da competição, os cipriotas do APOEL terão pela frente o Real Madrid, maior vencedor da liga milionária com nove títulos conquistados. Depois de eliminar o Lyon nos pênaltis, o time dos brasileiros Manduca e Aílton tentará parar os “blancos”.

Os jogos de ida das quartas de final estão marcados para os dias 27 e 28 de março, enquanto que os de volta serão disputados nos dias 3 e 4 de abril. Nas semifinais, as partidas de ida ocorrerão no dia 17 e 18 de abril, e as de volta terão lugar nos dias 24 e 25 do mesmo mês. A grande final jogar-se-á no dia 19 de maio, na Allianz Arena, em Munique.

Confira abaixo o caminho das equipes até a final da Champions League:

Quartas de final
27/03 (ida) e 04/04 (volta)
APOEL x Real Madrid
Benfica x Chelsea

28/03 (ida) e 03/04 (volta)

Olympique de Marselha x Bayern de Munique
Milan x Barcelona

Semifinais
17/04 (ida) e 25/04 (volta)
Olympique de Marselha/Bayern de Munique x APOEL/Real Madrid
18/04 (ida) e 24/04 (volta)
Benfica/Chelsea x Milan/Barcelona





Zebra cipriota, Apoel bate Lyon nos pênaltis e avança na Champions

7 03 2012

Gigante francês esbarrou no mau momento e na raça cipriota dentro de campo

Por Luiz Queiroga

Na base da superação, o Apoel bateu o Lyon diante de sua torcida e avançou às quartas de final (Foto: Getty Images)

A legião luso-brasileira do Apoel entrou em campo nesta quarta-feira (7) e promoveu uma das maiores zebras dos últimos anos da UEFA Champions League. Com quatro brasileiros e três portugueses, o time do Chipre bateu o gigante Olympique de Lyon nos pênaltis e conseguiu o feito inédito na história do clube de avançar para às quartas de final da competição.

Precisando reverter o resultado adverso do primeiro jogo, quando os franceses venceram por 1 a 0, o Apoel contou com o apoio da fanática torcida para balançar as redes logo aos oito minutos, com o brasileiro Manduca.

O gol fez com que o Lyon saísse da postura defensiva para a ofensiva, aproveitando as descidas de Michel Bastos pela esquerda e os chutes de Ederson pela direita. O empate só não aconteceu por incompetência de Lisandro López e Briand, que estavam desperdiçando grandes oportunidades.

O melhor momento francês no primeiro tempo foi em lance inusitado de Ederson, que cruzou na área mas teve a bola lançada em direção ao gol, assustando ao goleiro Chiotis, que espalmou para fora.

Na etapa complementar, a superação cipriota permanecia. Desperdiçando alguns bons lances no ataque, o Apoel soube se segurar bem na defesa, ainda mais depois de Manduca ter sido expulso, e levou a decisão para a prorrogação.

Meia hora de jogo não foi suficiente para a classificação ser assegurada por uma das duas equipes, que precisou ser definida nos pênaltis. Em duas grandes defesas do goleiro Chiotis nas bolas de Michel Bastos e Lacazette, o Apoel foi a zebra amarela e azul do torneio europeu.

Alexandrou não desperdiçou sua cobrança (Foto: Getty Images)

FICHA TÉCNICA:
APOEL 1 (4) X (3) 0 LYON

Estádio: GSP Stadium, Nicósia (CHP)
Data/hora: 07/3/2012 – 16h45 (de Brasília)
Árbitro: Alberto Undiano (ESP)
Auxiliares: Roberto Fernández (ESP) e Jesus Guadamuro (ESP)
Cartões amarelos: Manduca (APO), Solari (APO), Ailton (APO), William (APO); Michel Bastos (LYO), Gonalons (LYO)
Cartões vermelhos: Manduca (APO)
GOLS: Manduca 8’/1ºT (1-0)

APOEL: Chiotis, Paulo Jorge, Oliveira, Poursaitides e Hélder Sousa (Alexandrou 3’/1ºT prorrogação); William, Charalambides (Marcinho 31’/2ºT), Manduca e Nuno Morais; Aílton e Solari (Trickoviski 28’/2ºT). Técnico: Ivan Jovanovic.

LYON: Lloris, Cris, Koné e Réveillère; Cissokho, Källström, Ederson (Gomis 27’/2ºT) e Michel Bastos; Gonalons, Lisandro López e Briand (Lacazette 9’/1ºT prorrogação). Técnico: Rémi Garde.





Pouco convincente, Lyon bate o Apoel na Champions

14 02 2012

Mesmo contando com o calor da torcida, time francês venceu pelo placar mínimo

Por Luiz Queiroga

Em partida válida pelas oitavas-de-final da UEFA Champions League, Olympique de Lyon e Apoel entraram em campo no estádio Gerland, na França. O time da casa tomou conta do jogo, mas pouco conseguiu aproveitar as inúmeras chances criadas,

Com o apoio da torcida, o Lyon controlou os principais lances de perigo e ao mesmo tempo sou segurar o Apoel no seu campo. Tendo posse maior de bola, o prata da casa Lacazette e Ederson eram os responsáveis de dar trabalho para o goleiro Chiotis. O brasileiro apareceu aos 12min após assistência do francês e chutou cruzado forte, mas foi defendida.

O camisa 10 novamente assustou, aos 27min, quando arrematou da entrada da área pra longe. A pressão do Lyon seguiu nos minutos seguintes, primeiro com o argentino Lisandro López, que mirou o canto esquerdo do gol, e depois com Lacazette, que fez bela jogada individual, mas chutou por cima.

O time da casa criava bastantes oportunidades, mas as desperdiçava. Michel Bastos e Kallstrom também arrematavam bastante de fora da área, mas sem sucesso. O último grande lance do primeiro tempo foi com Lacazette, que soltou uma bomba de fora da área, exigindo difícil defesa de Chiotis.

Na etapa complementar, o Lyon seguia melhor, mas precisava balançar as redes para não ter problemas no jogo de volta, na casa do adversário. Logo aos dois minutos, Ederson avançou pela direita, passou do goleiro, mas seu chute foi interceptado pelo zagueiro Paulo Jorge, que se jogou para evitar o gol.

Na base da insistência, o time da casa abriu o marcador com Lacazette, melhor da partida, aos 12min. O francês contou com a assistência do brasileiro e capitão Cris, que avançou por todo o meio de campo, e chutou contando com desvio para anotar o primeiro da partida. Logo após o gol, o atacante deu lugar para Briand, saindo de campo bastante ovacionado pela torcida.

O Lyon passou a administrar a partida, controlando bem o Apoel, que tinha bastante dificuldade de criar jogadas. Os franceses agora contam com a vantagem para se classificar à próxima fase da competição no confronto de volta, que acontecerá no dia 7 de março, no Chipre.





Duelo entre brasileiros marca vitória do Porto sobre o Shakhtar

13 09 2011

Primeira rodada do grupo G contou com cinco gols canarinhos nos dois confrontos da estreia

Por Luiz Queiroga


Em terras lusitanas ocorreu o jogo mais brasileiro possível da UEFA Champions League. A partida entre Porto e Shakhtar Donetsk contou com nove brasileiros em campo, levando em consideração também Eduardo da Silva, naturalizado croata.

Jogando no Estádio do Dragão, o time da casa quase abriu o marcador logo aos cinco minutos, quando Hulk acertou um forte chute fora da área e quase marcou. Aos nove, o atacante novamente desperdiçou outra oportunidade de abrir o placar, acertando a trave após cobrança de pênalti sofrida em cima de seu companheiro James Rodriguez.

O Shakhtar aproveitou as chances perdidas pelos portugueses e marcou o primeiro gol da partida com Luiz Adriano, após o goleiro Hélton ter rebatido para o centro da área o chute dado por Willian, aos 12 minutos. A partir de então a partida tornou-se mais disputada, com poucas jogadas de ataque e a bola presa num meio de campo congestionado. Até que aos 28 minutos Jadson encostou a mão na bola e Hulk cobrou de maneira espetacular a falta, chutando da intermediária. Com o empate, o Porto ficou animado e partiu pra cima do rival, tendo novamente o atacante brasileiro quase marcando novamente com um chute de fora da área.

Pressionado, o Shakhtar ainda contou com a expulsão de Rakitskiy, que fez falta duríssima em João Moutinho. Precisando para o adversário, o técnico Mircea Lucescu tirou Eduardo e colocou Kucher, mas na primeira pressão do Porto na tentativa de furar o bloqueio ucraniano, James Rodriguez driblou o adversário que acabara de entrar em campo e tocou para Kléber marcar 2 a 1 para o time da casa. O Shahtar pouco fez na partida e ainda teve outro jogador expulso aos 35 minutos, o zagueiro Chygrynskiy.

Brasileiros também foram destaque da outra partida do grupo G, no confronto entre Apoel e Zenit. Manduca, ex-Grêmio, e Aílton, ex-Atlético Mineiro, foram os responsáveis pela vitória do time de Chipre contra os russos por 2 a 1.

PORTO 2 X 1 SHAKHTAR DONETSK

Local: Estádio do Dragão, em Porto (Portugal)
Data: terça-feira, 13/09/2011
Horário: 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (ALE)
Assistentes: Thorsten Schiffner e Mark Borsch (ambos ALE)
Cartões amarelos: Álvaro Pereira (Porto); Srna, Luiz Adriano, Chygrynskiy (Shakhtar)
Cartão vermelho: Chygrynskiy (Shakhtar)
Gols: PORTO: Hulk, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Kléber, aos 6 minutos do segundo tempo; SHAKHTAR: Luiz Adriano, aos 12 minutos do primeiro tempo

PORTO: Hélton; Álvaro Pereira, Maicon, Otamendi e Fucile; João Moutinho, James Rodríguez, Defour e Fernando (Belluschi); Hulk (Varela) e Kléber (Djalma). Técnico: Vítor Pereira.

SHAKHTAR: Rybka; Rat, Chygrynskiy, Rakitskiy e Srna; Mkhitaryan, Fernandinho, Jadson (Alex Teixeira) e Willian (Hubschman); Eduardo da Silva (Kucher) e Luiz Adriano. Técnico: Mircea Lucescu.








%d blogueiros gostam disto: