Jeitinho “rossonero”

3 09 2013

Milan aposta em contratação a baixo custo de jogadores que já valeram muito

 

Por Matheus de Andrade

Quando Kaká foi comprado pelo Milan, por 8,5 milhões de euros (21,25 milhões de reais), o valor foi considerado extremamente baixo pelos torcedores são paulinos, e pela imprensa brasileira. Até o presidente do “rossonero” considerou a contratação como barata, dizendo que Kaká foi levado por “preço de banana”.

 Kaká, de volta ao Milan, será mais um bom negócio do clube de Milão?  (Foto: AP)

Kaká, de volta ao Milan, será mais um bom negócio do clube de Milão? (Foto: AP)

Dentro de campo, o brasileiro correspondeu. Foi o grande destaque do Milan na conquista da Champions League de 2007, sendo eleito o melhor jogador do mundo naquele ano. Kaká virou ídolo na Itália e, em 2009, o Real Madrid resolveu levar o jogador para a Espanha, em uma transferência de cerca de 69 milhões de euros (172,5 milhões de reais), quase oito vezes o que o clube de Milão pagou ao São Paulo pelo jogador.

O que era a quarta maior contratação da história do futebol, até então, se tornou uma das maiores decepções do esporte. Kaká não conseguiu se firmar no clube madrileno por várias razões, como as constantes lesões e as desavenças com o técnico José Mourinho, até o Milan levar o jogador de volta para o futebol italiano, no último dia da janela de transferências no país. O brasileiro foi sem custos ao clube de Milão, e ainda aceitou uma redução salarial para se juntar ao “rossonero”.

Mas este não foi o primeiro negócio do clube italiano envolvendo a contratação de jogadores desvalorizados em outros clubes. Robinho foi para o Manchester City, após uma passagem conturbada pelo Real Madrid. O clube inglês pagou algo em torno de 40 milhões de euros (quase 100 milhões de reais). Após insucesso em Manchester, o Milan levou o brasileiro para a Itália por 18 milhões de euros (45 milhões de reais).

Ibrahimovic é mais um caso. Em 2009, o Barcelona pagou cerca de 68 milhões de euros (170 milhões de reais), mais Samuel Eto’o, pelo sueco. Com problemas no clube catalão, o Milan pegou o jogador por empréstimo e, depois de uma boa temporada, contratou o sueco por definitivo por 24 milhões de euros (cerca de 60 milhões de reais).

Atuais destaques do “rossonero”, Balotelli e Montolivo também podem ser enquadrados neste perfil. O primeiro, com a forte concorrência no City, foi para o clube italiano, onde foi fundamental na conquista da vaga na Champions League desta temporada; Montolivo chegou sem custos ao Milan, e virou peça importante na equipe.

Balotelli, exemplo de negócio a baixo custo que deu certo em Milão.  (Foto:Valerio Pennicino/Getty Images)

Balotelli, exemplo de negócio a baixo custo que deu certo em Milão. (Foto:Valerio Pennicino/Getty Images)

Nem sempre dá certo

Até agora foram citados exemplos de contratações que deram certo, mas evidentemente, algumas não foram tão bem no clube italiano. Rivaldo representa esta situação: no Barcelona, o jogador chegou a ser eleito melhor do mundo, no entanto, em 2002, rompeu com o clube catalão e foi sem custos para o “rossonero”. Sem sucesso na Itália, o jogador foi para o Cruzeiro em 2004.

Ídolo do Milan, Shevchenko fechou em 2006 sua contratação junto ao Chelsea, por 30 milhões de libras (cerca de 90 milhões de reais). O jogador oscilou muito no clube inglês, mas nunca se firmou em Londres. Em 2009, o “rossonero” acertou o empréstimo do ucraniano, que ficou muito longe das atuações que o consagraram em Milão, retornando ao Chelsea no ano seguinte, situação bem semelhante a encontrada pelo argentino Crespo, contratado pelo Chelsea, junto ao Parma, em 2003, por 28 milhões de euros (70 milhões de reais), o jogador foi por empréstimo para o Milan no ano seguinte, onde não se firmou.

Shevchenko na segunda passagem pelo Milan, custo inversamente proporcional a decepção.   (Foto:Reuters)

Shevchenko na segunda passagem pelo Milan, custo inversamente proporcional a decepção. (Foto:Reuters)

Exemplos para Kaká não faltam e o brasileiro terá nesta temporada a oportunidade de se tornar mais um da leva dos bons negócios do Milan. A missão é difícil: na Champions League, o grupo da equipe conta com mais três campeões continentais: Barcelona, Ajax e Celtic. Só o tempo dirá se o brasileiro foi mais uma vez contratado a “preço de banana”, ou se desta vez o Milan fez um “negócio da China”.

Bons negócios -os que deram certo – com o jeitinho italiano:

Ibrahimovic (2010-2012) comprado por 60 milhões de reais: Sem ser unanimidade no Barcelona de estrelas como Messi e Iniesta, o sueco voltou para a Itália, país onde já havia jogado por Juventus e Inter. Foi muito bem no “rossonero”, e acabou sendo negociado com o PSG.

Montolivo (2012-?) sem custos: Meia com várias passagens pela seleção italiana, inclusive disputando a Copa do Mundo de 2010, deixou a Fiorentina após oito temporadas para assinar com o Milan, sendo peça importante da equipe.

Balotelli (2013-?) por empréstimo: Torcedor “rossonero” declarado, desde que atuava pela Inter, o jogador foi para Milão após ficar sem espaço no Manchester City e foi fundamental ao Milan na última temporada.

Robinho (2010-?) 45 milhões de reais: Sem muito sucesso e acumulando polêmicas no Real Madrid e no Manchester City, Robinho foi para o Milan por um valor bem abaixo do que seus antigos clubes pagaram para contar com seu futebol. Alterna altos e baixos no clube italiano, mas já é o time europeu que o brasileiro ficou mais tempo.

Sem tanto sucesso:

Rivaldo (2002-2004) sem custos: O pentacampeão foi com muitas expectativas para Milão, principalmente após a Copa do Mundo de 2002, no entanto o jogador não se encontrou na Itália e foi para o Cruzeiro em 2004.

Crespo (2004-2005) por empréstimo: Sem corresponder às altas expectativas no Chelsea, o jogador foi emprestado ao Milan, clube no qual ficou apenas uma temporada,e decepcionou depois disso. O argentino nunca mais repetiu as boas atuações de quando jogava pelo Parma.

Shevchenko (2008-2009) por empréstimo: Um dos maiores ídolos da história do Milan, o jogador foi cedido pelo Chelsea, mas as atuações ficaram muito longe das sete temporadas que marcaram o jogador no “rossonero” ,retornando para a Inglaterra na temporada seguinte.





Mercado de transferência na Itália: Kaká retorna ao Milan para tentar desbancar a poderosa Juventus

3 09 2013

Com boas apostas, Napoli, Inter, Lazio e Roma brigaram pela terceira vaga para a Champions League

Por Gustavo Soler

Juventus

 

Após a saída de Del Piero, camisa 10 volta a ser usada por Tevéz (Foto: Getty images)

Após a saída de Del Piero, camisa 10 volta a ser usada por Tevéz (Foto: Getty images)

Com a base mantida da última temporada, a Velha Senhora é de longe o time mais forte da Itália, porém, o técnico Antonio Conte resolveu fortalecer ainda mais o elenco, que brigará pelo tricampeonato. A sua principal contratação foi o atacante argentino Carlitos Tevéz.

Time base: Buffon, Barzagli, Bonucci e Chiellini; Lichtsteiner, Vidal, Pirlo, Marchicio e Asamoah; Vucinic (Llorente) e Tevéz.

Técnico: Antonio Conte.

Expectativa na Serie A: Título.

Milan

Eleito o melhor jogador do mundo em 2007, Kaká recuperar o seu bom futebol no Milan (Foto: Getty images)

Eleito o melhor jogador do mundo em 2007, Kaká recuperar o seu bom futebol no Milan (Foto: Getty images)

Com o vice-campeonato na última temporada, o Milan repatriou o brasileiro Kaká, que estava no Real Madrid. O meia não conseguiu brilhar como a torcida do Real esperava e agora quer recuperar o seu bom futebol e voltar à Seleção Brasileira.

Além do brasileiro, o Milan também assinou com o meia Poli e o zagueiro Silvestre, ambos com passagens pela Internazionale. Outros jogadores que chegaram a San Siro foram os atacante Matri, ex-Juventus, e o jovem Saporana, o goleiro Coppola e o meia Birsa. O holandês Emanuelson retornou de empréstimo e também está à disposição de Massimiliano Alegri.

Time base: Abbiati, Abate, Zapata, Mexes e De Sciglio; Nocerino, Montolivo, De Jong (Poli) e Kaká; Balotelli e El Shaarawy.

Técnico: Massimiliano Alegri.

Expectativa na Serie A: Título.

Lazio

Os atuais campeões da Copa Itália não se destacaram nas contratações. O técnico Vladimir Petkovic optou em negociar com apenas dois jogadores neste mercador. A principal aposta da Lazio para a temporada é o brasileiro Felipe Anderson, ex-Santos. Junto com o jovem meio campista, o volante Biglia, com passagens pela Seleção Argentina, também desembarcou em Roma. No último dia da janela, a Lazio trouxe o jovem goleiro albanês Berisha.

Time base: Marchetti, Cavanda, André Dias, Cana e Radu; Ledesma, Biglia, Candreva, Hernanes e Lulic; Klose.

Técnico: Vladimir Petkovic.

Expectativa na Serie A: Título.

Napoli

Higuain e Pepe Reina foram as principais contratações dos Azzurri (Foto: AFP)

Higuain e Pepe Reina foram as principais contratações dos Azzurri (Foto: AFP)

Com a saída do atacante Cavani para o PSG, o Napoli investiu para melhorar o seu elenco para esta temporada. As principais contratações foram o centroavante argentino Higuain e o goleiro Pepe Reina, que veio por empréstimo do Liverpool. Além do camisa 9, Rafa Benitez, outro recém chegar ao clube, trouxe do Real Madrid o meia-atacante Callejon e o zagueiro Raul Albiol.

Outros jogadores que chegaram à terra da pizza foram o goleiro Rafael, ex-Santos, o meia-atacante Mertens, o atacante Zapata, que veio do Estudiantes, e o lateral Dossena. O colombiano Pablo Armero, que chegou ao clube por empréstimo na última temporada, teve os seus direitos comprados pelo Napoli.

Time base: Reina, Maggio, Raul Albiol, Cannavaro (Britos) e Zuñiga; Inler, Beharami e Hamsik; Insigne, Higuain e Mertens.

Técnico: Rafael Benitez.

Expectativa na Serie A: Vaga na Champions League.

Internazionale

Com grandes temporadas no Napoli, Mazzarri é a aposta da diretoria da Inter (Foto: Getty images)

Com grandes temporadas no Napoli, Mazzarri é a aposta da diretoria da Inter (Foto: Getty images)

A última temporada foi decepcionante para a equipe Nerazzuri, terminando na sexta colocação do Calcio. O presidente Massimo Moratti contratou o técnico Walter Mazzarri, do Napoli, para voltar colocar novamente a sua equipe entre as principais da Itália.

O novo treinador fez um projeto para rejuvenescer o elenco interista. Para isso, o clube trouxe os atacantes Icardi, 20 anos, e Befodil, de 21, e os meias Taïder, Mariga e Botta, além do lateral direito Wallace, que veio por empréstimo do Chelsea.

Time base: Handanovic, Campagnaro (Rolando), Ranocchia e Juan Jesus; Zanetti (Jonathan/Wallace), Guarin, Cambiasso, Kuzmanovic e Álvaro Pereira; Diego Milito e Palacio.

Técnico: Walter Mazzarri.

Expectativa para a Serie A: Vaga na Champions League.

Roma

Maicon tenta recuperar o seu bom futebol com a camisa da Roma (Foto: Getty images)

Maicon tenta recuperar o seu bom futebol com a camisa da Roma (Foto: Getty images)

Com uma campanha instável e triste pelo vice-campeonato da Copa Itália, a diretoria romanista realizou uma série de alterações em sua equipe, começando pelo treinador. O novo comandante giallorossi será o francês Rudi Garcia. Sua principal contratação foi o volante holandês Strootman, que recebeu o aval de Aldair, ídolo do clube, para usar a aposentada camisa 6.

Além do holandês, a Roma apostou no lateral brasileiro Maicon, que na última temporada sofreu com uma série de lesões e não conseguiu ter um grande desempenho com a camisa do Manchester City. Os zagueiros Jedvaj e Benatia, o goleiro da Seleção Italiana De Sanctis, e o meia atacante Gervinho, ex-Arsenal, também desembarcaram na capital italiana.

Time base: De Sanctis, Maicon, Benatia, Leandro Castán e Balzaretti; De Rossi, Pjanic e Strootman; Gervinho (Destro), Ljajic e Totti.

Técnico: Rudi Garcia.

Expectativa para a Seria A: Vaga na Champions League.





Mercado de transferência na Inglaterra: Com Mourinho de volta, Chelsea visa entrar firme na briga contra os times de Manchester

3 09 2013

Tottenham e Manchester City investem pesado para alcançarem os seu objetivos no Campeonato Inglês; Arsenal surpreende no último dia e volta a dar esperanças a torcida

Por Gustavo Soler

Manchester United

Destaques do Everton, Moyes e Fellaini esperam repetir sucesso em Old Trafford (Foto: Divulgação / Site Oficial)

Destaques do Everton, Moyes e Fellaini esperam repetir sucesso em Old Trafford (Foto: Divulgação / Site Oficial)

Após 27 anos, o Manchester United iniciou a temporada com um treinador diferente. Depois da saída do lendário Sir Alex Ferguson, os atuais campeões da Premier League acertaram a contratação de David Moyes, ex-Everton. Junto com o manager, o meia belga Fellaini foi contratado no último dia da janela por 32 milhões de euros.

Time base: De Gea, Jones (Rafael), Ferdnand, Vidic e Evra; Carrick, Fellaini, Valencia (Kagawa) e Welbeck (Zaha); Rooney e van Persie.

Técnico: David Moyes.

Expectativa para a Premier League: Título.

Manchester City

Negredo, Jovetic e Jesús Navas são apresentados no Manchester City (Foto: Getty images)

Negredo, Jovetic e Jesús Navas são apresentados no Manchester City (Foto: Getty images)

O lado azul da cidade de Manchester também teve mudanças no comando técnico. Após a saída de Roberto Mancini, o chileno Manuel Pellegrini foi apresentado no Etihad Stadium. Os Citizens se reforçaram bem para a temporada e trouxeram os espanhois Negredo e Jesús Navas, ambos ex-Sevilla.

No entanto, a contratação mais cara do City foi o brasileiro Fernandinho, ex-Shaktar. Os ingleses pagaram cerca de 40 milhões de euros pelo volante. Além dele, o atacante Jovetic e o experiente zagueiro Demichelis também chegaram ao clube, que brigará pelo título nacional e reconhecimento na Champions League.

Brasileiro foi a contratação mais cara do clube, cerca de 40 milhões de euros fora investidos no camisa 25 (Foto: Divulgação – Site oficial do Man City)

Brasileiro foi a contratação mais cara do clube, cerca de 40 milhões de euros fora investidos no camisa 25 (Foto: Divulgação – Site oficial do Man City)

Time base: Hart, Zabaleta, Kompany, Nastasic e Clichy; Yaya Touré, Fernandinho (Rodwell), Jesús Navas (Nasri) e David Silva; Dzeko (Negredo); Agüero.

Técnico: Manuel Pellegrini.

Expectativa para a Premier League: Título.

Chelsea

Eto’o e Mourinho esperam reviver conquistas, mas agora pelo Chelsea (Foto: Getty images)

Eto’o e Mourinho esperam reviver conquistas, mas agora pelo Chelsea (Foto: Getty images)

Com a terceira colocação na última temporada, o Chelsea manteve a sua base e recontratou José Mourinho, ídolo da torcida dos Blues. O treinador agiu rapidamente e aproveitou a desistência do investidor do Anzhi para trazer Samuel Eto’o, seu homem de confiança na Internazionale. Além do camaronês, o jovem Willian também saiu do clube russo para assinar com os Blues.

Outros jogadores que chegaram ao Stamford Bridge foram o alemão Schürrle, Schwarzer, van Ginkel e Atsu, esse último repassado por empréstimo ao Vitesse. Além deles, Essien, McEarchran e os belgas Lukaku e Kevin De Bruyne retornaram de empréstimo.

Time base: Cech, Azpilicueta, Terry (Cahill), David Luiz e Cole; Ramires, Lampard, Oscar, Mata e Hazard; Eto’o.

Técnico: José Mourinho.

Expectativa para a Premier League: Título.

Arsenal

Meio-campista foi a principal contratação do Arsenal (Foto: Getty images)

Meio-campista foi a principal contratação do Arsenal (Foto: Getty images)

Os Gunners se movimentaram no último dia da janela de transferências. O técnico Arsenè Wenger recebeu um novo camisa 11. Após a tão badalada e polêmica chegada de Bale ao Real Madrid, Mesut Özil desembarcou em Londres por cerca de 47 milhões de euros.

Além do alemão, o goleiro italiano Viviano também chegou no último dia, porém, o arqueiro assinou por empréstimo. Matteo Flamini, que passou pelo time de 2004 a 2008, acertou a sua volta. Junto com o volante, o também francês Yaya Sanogo chegou aos Gunners.

Time base: Viviano, Sagna (Jenkinson), Koscienlny, Vermalen e Gibbs; Ramsey, Wilshere Özil e Santi Cazorla; Walcott, Giroud (Podolski).

Técnico: Arsenè Wenger.

Expectativa para a Premier League: Vaga na Champions League.

Tottenham

Soldado e Paulinho são as novas esperanças de gols do Tottenham (Foto: Getty images)

Soldado e Paulinho são as novas esperanças de gols do Tottenham (Foto: Getty images)

Visando à classificação para a Champions League na próxima temporada, os Spurs abriram os cofres para contratações. O principal nome a desembarcar em Londres foi o volante Paulinho. Destaque da Seleção Brasileira, o ex-corintiano foi negociado por 20 milhões de euros.

Com a saída de Bale, o Tottenham investiu pesado no seu ataque. Com 60 milhões de euros, o clube trouxe o centroavante Soldado e o argentino Lamela. Além deles, os meias Eriksen, Chadli e Capoue, junto com o zagueiro Chiriches, também foram apresentados.

Time base: Lloris, Walker, Dawson (Kaboul), Vertonghen e Assou-Ekoto (Rose); Paulinho, Dembelé, Eriksen, Lamela e Chadli; Soldado

Técnico: Andrés Villas-Boas

Expectativa para a Premier League: Vaga na Champions League.

Liverpool

Jovem goleiro foi contatado para ser a muralha do Liverpool (Foto: Action images)

Jovem goleiro foi contatado para ser a muralha do Liverpool (Foto: Action images)

Assim como o Tottenham, o Liverpool também sonha em voltar a disputar o torneio de clubes mais importante da Europa. Para isso, os Reds foram ao mercado e trouxeram oito jogadores para reforçar o seu time. A principal contratação foi o goleiro Mignolet, que custou 10,5 milhões de euros.

Junto com o arqueiro, os zagueiros Kolo Touré, Illori e Sako e o lateral esquerdo Cissokho também foram apresentados para reforçar o sistema defensivo. Para o ataque, Brendan Rodgers contará com Iago Aspas e Luis Alberto. No último dia de transferências, o nigeriano Victor Moses tomou o mesmo rumo de Sturridge e assinou com o os Reds.

Time base: Mignolet, Johnson, Skrtel, Agger e Cissokho (José Enrique); Lucas Leiva, Henderson (Allen), Gerrard e Phillipe Coutinho; Sturridge e Luis Suarez.

Técnico: Brendan Rodgers.

Expectativa para a Premier League: Vaga na Champions League.





Convocação para os amistosos com Portugal e Austrália

27 08 2013

Por David Simples

O Brasil vai enfrentar Portugal no próximo dia 10 de Setembro, num jogo particular que se irá realizar em Boston, Estados Unidos, com o meia brasileiro do Chelsea, Ramires, a ser a grande novidade na lista de convocados de Luiz Felipe Scolari.

Lembrar apenas que Ramires, um dos grandes meias do futebol internacional, falhou na Taça das Confederações, tendo o jogador dos blues sido convocado para representar a canarinha pela última vez em Março para os amigáveis com a Itália e a Rússia.

Desta convocação fazem parte os jogadores que irão também enfrentar a Austrália no dia 7 de Setembro em Brasília.

Além de Ramires, que jogou em Portugal pelo Benfica, estão também convocados David Luiz, que também jogou pelo Benfica, e Hulk, que jogou pelo FC Porto, sendo que no dia 10 de Setembro irão encontrar alguns ex-colegas dos tempos que jogaram em Portugal.

Depois de revelar a lista de convocados para estes dois particulares, Scolari, na conferência de Imprensa, afirmou:  “Testaremos um ou outro jogador nos próximos particulares, mas temos  uma base e, depois do final do ano, será muito difícil que alguém entre no grupo.”

“Até o último momento, é sempre possível juntar um ou outro jogador. Normalmente, a base será mantida, mas no último particular, em Março do próximo ano, já teremos os 23 e a definição total, mesmo não fechando a porta a ninguém”.

Já Ramires depois, de saber que estava novamente convocado para representar o seu País, mostrou-se muito feliz.

“Não tenho palavras para descrever a alegria de voltar a ser convocado. Estava procurando fazer o meu trabalho da melhor forma possível no Chelsea para merecer isso e agradeço a toda comissão técnica da Selecção Brasileira pelo reconhecimento, confiança e oportunidade. Chego com o pensamento de somar ao excelente trabalho que já vem sendo realizado. Espero corresponder em todos os sentidos e permanecer no grupo até à Copa do Mundo”.

Lembrando que o Brasil enfrenta a Austrália dia 7 de Setembro, em Brasília e enfrenta Portugal, em Boston, dia 10 de Setembro.

Poderá consultar várias Promoções de Futebol, aqui.

CONVOCADO DOS BRASIL

Goleiros: Júlio César (Queens Park Rangers), Jefferson (Botafogo).

Zagueiros: Daniel Alves (Barcelona), Maicon (Roma), Marcelo (Real Madrid), Maxwell (Paris Saint-Germain), Thiago Silva (Paris Saint-Germain), David Luiz (Chelsea), Dante (Bayern de Munique), Henrique (Palmeiras).

Meias: Luiz Gustavo (Wolfsburg), Paulinho (Tottenham) Hernanes (Lazio), Fernando (Shakhtar Donetsk), Oscar (Chelsea), Ramires (Chelsea).





Aberta a temporada de caça aos ingressos da Copa

26 08 2013

FIFA inicia primeira fase de vendas dos ingressos para a Copa do Mundo 2014 e a busca promete ser intensa.

                                                                          Por João Siqueira

As vendas de ingressos para a Copa do Mundo 2014 tiveram início às sete horas da manhã da última terça-feira (20) através do site oficial da FIFA (www.fifa.com) e, ao que tudo indica, terá uma enorme concorrência. A primeira fase do processo de compra das entradas se estenderá até o dia 20 de outubro, quando, de acordo com a procura, será efetuado um sorteio para que um pequeno público obtenha a oportunidade de compra. Os preços dos ingressos vão variar de R$ 60 a R$ 1.980, considerados os valores cheios e com a meia-entrada a um mínimo de R$ 30. No dia em que antecedeu o início das vendas (19), Jérôme Valcke declarou que os ingressos poderão ser recebidos pelo correio – com custo adicional – ao invés de serem exclusivamente retirados em pontos de entrega. Esta medida visa uma melhoria na logística do processo de entrega dos tíquetes.

Jérôme Valcke, secretário-geral da FIFA (Foto: FABRICE COFFRINI / AFP)

O Maraca é nosso ?

É evidente que a Copa do Mundo de 2014 será, na pior das hipóteses, um grande campeonato e uma bela festa, afinal, a principal intenção dos órgãos estatais brasileiros é “mostrar” a cara do Brasil para o mundo. Porém, essa imagem que será veiculada é totalmente idealizada, construída e manipulada. O Brasil da Copa não é e nunca será o Brasil conhecido como país do futebol. Nosso verdadeiro país é aquele das peladas em favelas, campeonatos amadores, torcedores apaixonados, pessoas simples e devotos do domingo à tarde.

A construção e/ou reforma de estádios, a transformação deles em arenas e o preço inacessível dos ingressos está contribuindo massivamente para a segregação social e para a elitização do mais popular esporte nacional. O público que frequentou os estádios durante a Copa das Confederações será o mesmo presente no ano que vem – a elite social brasileira somada aos turistas.

Zico comemorando gol em frente à antiga geral do Maracanã

Talvez seja essa a causa de o Campeonato Brasileiro apresentar uma média de público de, apenas 12.900 pessoas. Tanto o governo quanto os clubes brasileiros estão plagiando o futebol europeu. As arenas, o conforto, o público e o preço estão sendo controlados, porém, diferentemente do modelo europeu, no Brasil só foram praticados insucessos. Consequentemente, a média de público tem sido desastrosa.

O futebol brasileiro está perdendo as suas características e possivelmente se entregará aos padrões FIFA e padrões UEFA. Se persistirmos nesse caminho, o verdadeiro povo brasileiro será privado da sua cultura e o acesso ao futebol será obliterado assim como a antiga geral do Maracanã, ex-patrimônio cultural brasileiro.

A construção e/ou reforma de estádios, a transformação deles em arenas e o preço inacessível dos ingressos está contribuindo massivamente para a segregação social e para a elitização do mais popular esporte nacional. O público que frequentou os estádios durante a Copa das Confederações será o mesmo presente no ano que vem – a elite social brasileira somada aos turistas.





Não sabemos comprar?

26 08 2013

Maiores aquisições do futebol brasileiro se tornaram grandes decepções

 

Por Matheus de Andrade

A tradição sempre foi de o futebol brasileiro exportar jogadores para o exterior. No entanto, nos últimos anos, muitos atletas vêm seguindo um rumo diferente. Depois de atuarem no exterior, voltam para o Brasil. Os motivos para essa inversão são diversos, como o fortalecimento do real frente as outras moedas e a estabilização da economia brasileira, enquanto a União Europeia e a Argentina enfrentam várias crises.

Ganso, altas cifras na contratação, ainda pouco justificadas em campo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Outro ponto importante é a presença de empresários nas negociações. Em 2005, o grupo MSI, foi responsável por levar vários jogadores para o Corinthians, incluindo três das maiores contratações da história do futebol brasileiro: Tévez, Nilmar e Mascherano. Segundo, terceiro e quarto no ranking das compras dos clubes nacionais respectivamente, os três somados chegaram a praticamente 86 milhões de reais.

Dentro de campo os resultados apareceram, o Corinthians foi campeão brasileiro de 2005, com Tévez sendo eleito o melhor jogador do campeonato. No ano seguinte a situação começou a se complicar, escândalos envolvendo a origem do dinheiro da MSI, fizeram o grupo a abandonar as atividades no Parque São Jorge, e levaram Tévez e Mascherano para o West Ham, e Nilmar voltou para o Lyon. Em 2007, o clube com graves problemas em virtude do rombo deixado, caiu para a Série B.

Romário e Sávio, formavam junto com Edmundo o “melhor ataque do mundo” (Foto: Divulgação)

O sucesso das aquisições da MSI é indiscutível, no entanto os clubes nacionais vêm acumulando fracassos em relação às contratações de grandes cifras. Em 1995, o Flamengo, em uma ousada iniciativa, resolveu trazer Romário junto ao Barcelona, maior compra do futebol brasileiro na época, além de Sávio e Edmundo. Chamado de “melhor ataque do mundo”, as expectativas eram enormes, no entanto, o time acabou sem nenhum título no período e o ataque foi desmanchado.

Recentemente temos outras amostras de decepções envolvendo grandes contratações. Sem os contratados pela MSI, o Top 3 das maiores compras do futebol seria formado por: Pato, Ganso e André. Os dois primeiros sofreram com as lesões, e ainda não mostraram a que vieram, sofrendo críticas da torcida e por parte da imprensa. Já o atacante André, passou por duas equipes, depois que o Atlético o contratou junto ao Dinamo de Kyev por quase 20 milhões de reais. Está atualmente no Vasco, depois de uma passagem apagada no Santos.

Quem pensa que contratações caras que dão errado são de exclusividade dos clubes de maior investimento, está enganado. Em 2011, o Atlético Paranaense, fez a maior compra de sua história, trouxe do Nacional do Uruguai, o atacante Morro García, por cerca de 8 milhões de reais, o jogador não fez nem vinte jogos pelo Furacão e abandonou o clube no ano seguinte.

Dentre os grandes, o que parece ter o melhor aproveitamento nas altas transações, é o Botafogo. O clube carioca foi o que menos se arriscou neste mercado, tendo Elkeson e Maicossuel como grandes compras. Os dois somados não custaram o que o Grêmio pagou para tirar Marcelo Moreno da Ucrânia, no entanto o alvinegro conseguiu vender os jogadores e acumular um bom lucro.

Analisar as grandes compras, também ajuda a observar as disparidades do futebol brasileiro. Sete, das dez maiores contratações, foram feitas por times paulistas, enquanto o futebol do Nordeste, não tem nenhuma compra registrada entre as 100 maiores.

Pato, contratação mais cara do futebol brasileiro, ainda não mostrou a que veio (Foto: Eliária Andrade / O Globo)

Mas a análise mais importante a ser feita, é quanto contratações de jogadores como: Pato, Ganso, Valdivia, André, e tantos outros. Custam milhões aos cofres dos clubes, que se endividam sem nenhuma condição de pagar, e tem um retorno em campo absolutamente questionável. Cabendo a pergunta: sabemos comprar?

Alexandre Pato: Contratado por cerca de 40 milhões de reais, ainda não conseguiu uma sequência de boas atuações, chegando a ser criticado pelo torcida.

Ganso: Com muitas lesões, não conseguiu se firmar na equipe principal, e após uma série de partidas ruins, teve seu empenho questionado.

André: Maior compra do futebol mineiro, decepcionou muito no Atlético, onde teve inclusive a forma física questionada. Depois foi para o Santos, onde não teve sucesso, e está no Vasco.

Montillo: Grande esperança santista, ainda não conseguiu demonstrar o bom futebol de quando atuava no Cruzeiro.

Wesley: Esperança do Palmeiras na última temporada, sofreu com as lesões e assistiu ao clube cair para a Série B. O esforço do alviverde em pagar os quase 15 milhões de reais foi tão grande, que chegou a pedir a colaboração de torcedores pela internet.

Dedé: Grande reforço do Cruzeiro para a temporada, o zagueiro custou aos cofres do clube 14 milhões de reais, no entanto, ficou longe do futebol apresentado no Vasco.

Valdivia: O chileno acumulou várias lesões em sua volta ao Palmeiras, a diretoria tentou arranjar outro clube para o meia, mas os altos valores afastaram interessados.

Confira o ranking das 20 maiores compras do futebol nacional:

  1. Alexandre Pato (Milan>Corinthians)/Por 40,5 milhões de reais/Em 2013
  2. Tévez (Boca>Corinthians)/Por 33 milhões de reais/Em 2005
  3. Nilmar (Lyon>Corinthians)/Por 27,8 milhões de reais/Em 2005
  4. Mascherano (River Plate>Corinthians)/Por 25 milhões de reais/Em 2005
  5. Ganso (Santos>São Paulo)/Por 23,9 milhões de reais/Em 2012
  6. André (Dinamo de Kyev>Atlético Mineiro)/Por 19,7 milhões de reais/Em 2012
  7. Luís Fabiano (Sevilla>São Paulo)/Por 17,5 milhões de reais/Em 2011
  8. Montillo (Cruzeiro>Santos)/Por 16,2 milhões de reais/Em 2013
  9. Thiago Neves (Al-Hilal>Fluminense)/Por 16,2 milhões de reais/Em 2012
  10. Oscar (São Paulo>Internacional)/Por 15 milhões de reais/Em 2012
  11. Marcelo Moreno (Shakhtar Donetsk>Grêmio)/Por 14,5 milhões de reais/Em 2012
  12. Vágner Love (CSKA Moscou>Flamengo)/Por 14,4 milhões de reais/Em 2011
  13. Wesley (Werder Bremen>Palmeiras)/Por 14,3 milhões de reais/Em 2012
  14. Guilherme (Dinamo de Kyev>Atlético Mineiro)/Por 14,1 milhões de reais/Em 2011
  15. Alex (Spartak de Moscou>Corinthians)/Por 14 milhões de reais/Em 2011
  16. Tardelli (Al-Gharafa>Atlético Mineiro)/Por 14 milhões de reais/Em 2013
  17. Dedé (Vasco>Cruzeiro)/Por 14 milhões de reais/Em 2013
  18. Valdivia (Al Ain>Palmeiras)/Por 13,7 milhões de reais/Em 2010
  19. Petkovic (Venezia(ITA)>Flamengo)/Por 13 milhões de reais/Em 2000
  20. Sorín (River Plate>Cruzeiro)/Por 12 milhões de reais/Em 2000

 

  





O ‘surpreendente’ Luverdense vence o Corinthians na Copa do Brasil; relembre algumas ‘zebras’ históricas da competição

22 08 2013

Entre tantas surpresas estão o Palmeiras eliminado pelo ASA, Santo André e Paulista campeões contra Flamengo e Fluminense, respectivamente

Por Diogo Arraes

Na noite desta quarta-feira (21) muitos torcedores corintianos pareceram não acreditar no que viram. O campeão mundial, da Libertadores e um dos candidatos ao título do Campeonato Brasileiro deste ano, perdeu para o Luverdense/MT, time da terceira divisão do brasileirão, por 1 a 0, em partida válida pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Além disso, Romarinho e Émerson Sheik foram expulsos e desfalcam a equipe para o jogo de volta, que acontecerá na próxima quarta-feira (28), no Pacaembu.

Parece mesmo que o abismo financeiro e estrutural entre as equipes muitas vezes desaparece quando um time ‘menor’ enfrenta uma equipe de maior expressão, na Copa do Brasil. O torneio começou em 1989 e, por diversas vezes, clubes considerados pequenos aprontaram contra os gigantes do futebol nacional.

Retrospectiva das surpresas na Copa do Brasil

Vasco x CSA

Em 1992 o Vasco tinha um bom time com Valdir, Edmundo e Roberto Dinamite. Enfrentou o CSA nas oitavas-de-final, no primeiro jogo em Alagoas houve empate por 3 a 3. Na partida de volta em São Januário o time carioca pressionou, mas acabou levando a pior com um gol do time alagoano. A partida terminou 1 a 0 e a Copa do Brasil acabou para o time cruzmaltino.

Vasco tinha um bom time, mas foi surpreendido pelo CSA. ( Foto: supervasco.com)

Vasco tinha um bom time, mas foi surpreendido pelo CSA. ( Foto: supervasco.com)

Palmeiras x ASA

No início de 2002, o Palmeiras nem imaginava que chegaria a ser rebaixado para a segunda divisão do brasileirão daquele ano. Estava na primeira fase da Copa do Brasil e se deparou com um time pouco conhecido de Alagoas, o ASA. No primeiro jogo em Arapiraca o time da casa ganhou por 1 a 0.

A partida de volta foi no estádio Palestra Itália e o Palmeiras tinha um bom time com Marcos, Arce, Alex e outros mais. O Verdão começou pressionando, fez 1 a 0, mas o ASA empatou. Com esse gol, os paulistas teriam que fazer 3 a 1 para se classificar para a segunda fase. Fizeram só 2 a 1 e o Palmeiras foi eliminado da competição. Uma das maiores zebras até hoje.

Verdão tropeçou no ASA em 2002 (Foto: jovempan.com.br)

Verdão tropeçou no ASA em 2002 (Foto: jovempan.com.br)

Flamengo x Santo André

O confronto era entre o Flamengo, grande campeão nacional, da Libertadores e Mundial e o Santo André, time modesto do ABC paulista. Tinha tudo para ser uma ‘barbada’, apesar de o time de São Paulo já ter eliminado Palmeiras e Atlético/MG, durante aquela Copa do Brasil de 2004.

Os dois chegaram à final, o primeiro jogo em Santo André terminou empatado por 2 a 2. O Flamengo tinha o goleiro Júlio César, Róger, Athirson e o técnico Abel Braga; além de um Maracanã com mais de 70 mil pessoas. Mas o ‘ramalhão’, como é conhecido o Santo André, não se abateu e marcou 2 a 0. O ABC paulista tinha um campeão inédito.

Santo André calou mais de 70 mil flamenguistas em 2004 (Foto: estadao.com.br)

Santo André calou mais de 70 mil flamenguistas em 2004 (Foto: estadao.com.br)

Fluminense x Paulista

Uma equipe que elimina Internacional, Cruzeiro e Botafogo chega com credenciais muito boas para uma final. Essa era a campanha do Paulista, time do interior de São Paulo, precisamente Jundiaí. Do outro lado havia o Fluminense, time de grande expressão e salários muito maiores que o time paulista. Esse era o cenário para os confrontos decisivos da Copa do Brasil de 2005.

O que ocorreu com o Flamengo no ano anterior estava fresco na memória do tocedor tricolor carioca, mas nem o mais pessimista acreditaria em uma derrota do Flu. O primeiro jogo aconteceu em Jundiaí, com vitória por 2 a 0 para o Paulista. Na partida de volta, em São Januário, o Fluminense se lançou ao ataque, mas o técnico da equipe paulista, Vagner Mancini, armou um esquema bem fechadinho e o time de Jundiaí conquistou a taça pela primeira vez, com um empate em 0 a 0.

Jogadores do Paulista comemoram o feito inédito diante do Fluminense (Foto: Gazeta Press)

Jogadores do Paulista comemoram o feito inédito diante do Fluminense (Foto: Gazeta Press)

O que o torcedor corintiano se pergunta é: ”Será que vamos entrar para esse ‘seleto’ grupo?”. O tempo e a partida de volta contra o Luverdense vão dizer se o Corinthians vai se comportar como time grande que é e passar de fase. Ou se a fábula de Davi e Golias vai ser adaptada aos tempos modernos e o time do Mato Grosso será mais uma surpresa na história da Copa do Brasil.

 








%d blogueiros gostam disto: