Corinthians é freguês histórico do Grêmio na Copa do Brasil

25 09 2013

Time paulista venceu apenas uma vez o confronto, enquanto os gaúchos possuem quatro êxitos. Marcelinho Carioca é o artilheiro do embate com 5 gols

Por Diogo Arraes

Corinthians e Grêmio começarão a escrever um novo capítulo na história dos confrontos entre as duas equipes na Copa do Brasil, nesta quarta-feira (25), no Pacaembu. Até agora são 10 jogos, com 4 vitórias do Grêmio, 2 vitórias do Corinthians e 4 empates. Mas, em termos de classificação ou título, o time de Parque São Jorge só levou a melhor em 1995, quando foi campeão. Em todos os jogos, o artilheiro é Marcelinho Carioca com 5 gols.

O alvinegro não vence há 6 jogos e passa por um período de turbulência como há tempos não tinha. O Grêmio também está sem vencer há 3 partidas, apesar de estar em uma situação mais tranquila no Campeonato Brasileiro. Resta saber se o tricolor gaúcho continuará com essa hegemonia ou o coringão vai diminuir os números negativos. Um confronto de muita tradição novamente na Copa do Brasil.

1991 – Quartas de Final

O primeiro confronto foi em 1991, o Corinthians havia sido campeão brasileiro um ano antes e enfrentou o Grêmio no Pacaembu. Com gols de Neto (Corinthians) e China (Grêmio), a primeira partida terminou empatada em 1 a 1.

No jogo de volta, o Grêmio venceu por 2 a 1, no estádio Olímpico, com gols de Caio e Chiquinho (Grêmio) e Édson Pezinho (Corinthians), eliminando o time de Parque São Jorge.

1994 – Oitavas de Final

Casagrande brinca no gol em treino antes do jogo contra o Grêmio em 94 (Foto: Gazetta Press)

Casagrande brinca no gol em treino antes do jogo contra o Grêmio em 94 (Foto: Gazetta Press)

Três anos depois houve uma nova chance de reencontro, agora na fase Oitavas de Final. A primeira partida foi no Olímpico e os gaúchos se deram bem novamente, com gols de Fabinho e Gilson o  time da casa venceu por 2 a 0.

O segundo jogo foi no Pacaembu, o Corinthians até tentou e fez dois gols. Um de Marcelinho Carioca e outro do zagueiro do Grêmio, Agnaldo Liz, contra. Só que o Grêmio mostrou porque é um time “copeiro” e empatou com Fabinho e Nildo. Resultado final 2 a 2 e o Timão novamente fora.

1995 – Final

O ano de 1995 reservou uma emoção a mais aos torcedores dos dois times, a primeira final disputada. O Corinthians vinha de duas eliminações seguidas para o Grêmio na Copa do Brasil e estava disposto a reverter isso. O primeiro jogo feito no Pacaembu terminou 2 a 1 para o clube alvinegro, com gols de Viola e Marcelinho Carioca (Corinthians) e Luiz Carlos Goiano (Grêmio).

Na partida final, em Porto Alegre, Marcelinho Carioca marcou o gol dos paulistas e o Timão se sagrou campeão da Copa do Brasil, vencendo o Grêmio por 1 a 0.

Jogadores do Corinthians erguem a taça em 95 (Foto: colecaocorinthians.com.br)

Jogadores do Corinthians erguem a taça em 95 (Foto: colecaocorinthians.com.br)

1997 – Semifinal

Dois anos depois da grande final os times se encontraram novamente, agora na semifinal. Mesmo jogando no estádio do Morumbi, o Grêmio venceu por 2 a 1, com gols de Paulo Nunes e Rodrigo (contra) para o Grêmio e Marcelinho Carioca para o Corinthians, e levou boa vantagem para o outro jogo.

Depois no estádio Olímpico, administrou o placar e empatou por 1 a 1, gols de Paulo Nunes (Grêmio) e Donizete (Corinthians). Os gaúchos novamente foram para a final.

2001 – Final

O Grêmio foi campeão depois de vencer o Corinthians por 3 a 1, em 2001 (Foto: wp.clicrbs.com.br)

O Grêmio foi campeão depois de vencer o Corinthians por 3 a 1, em 2001 (Foto: wp.clicrbs.com.br)

O último embate entre as equipes aconteceu há 12 anos, em 2001. Mais uma vez uma grande final. Uma curiosidade é que o treinador do Grêmio era Tite, hoje comandante do Corinthians.

O primeiro jogo ocorreu no estádio Olímpico e foi bem equilibrado, o Grêmio fez dois gols com Zinho e Luís Mário e o time de Parque São Jorge empatou com Marcelinho Carioca e Muller. Empate por 2 a 2.

Na segunda e decisiva partida o Morumbi estava lotado, mas o Corinthians não conseguiu segurar o ímpeto dos gaúchos e o Grêmio venceu por 3 a 1. Gols de Éwerton (Corinthians) e Marinho, Zinho e Marcelinho Paraíba (Grêmio), conquistando o campeonato daquele ano.





O ‘surpreendente’ Luverdense vence o Corinthians na Copa do Brasil; relembre algumas ‘zebras’ históricas da competição

22 08 2013

Entre tantas surpresas estão o Palmeiras eliminado pelo ASA, Santo André e Paulista campeões contra Flamengo e Fluminense, respectivamente

Por Diogo Arraes

Na noite desta quarta-feira (21) muitos torcedores corintianos pareceram não acreditar no que viram. O campeão mundial, da Libertadores e um dos candidatos ao título do Campeonato Brasileiro deste ano, perdeu para o Luverdense/MT, time da terceira divisão do brasileirão, por 1 a 0, em partida válida pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Além disso, Romarinho e Émerson Sheik foram expulsos e desfalcam a equipe para o jogo de volta, que acontecerá na próxima quarta-feira (28), no Pacaembu.

Parece mesmo que o abismo financeiro e estrutural entre as equipes muitas vezes desaparece quando um time ‘menor’ enfrenta uma equipe de maior expressão, na Copa do Brasil. O torneio começou em 1989 e, por diversas vezes, clubes considerados pequenos aprontaram contra os gigantes do futebol nacional.

Retrospectiva das surpresas na Copa do Brasil

Vasco x CSA

Em 1992 o Vasco tinha um bom time com Valdir, Edmundo e Roberto Dinamite. Enfrentou o CSA nas oitavas-de-final, no primeiro jogo em Alagoas houve empate por 3 a 3. Na partida de volta em São Januário o time carioca pressionou, mas acabou levando a pior com um gol do time alagoano. A partida terminou 1 a 0 e a Copa do Brasil acabou para o time cruzmaltino.

Vasco tinha um bom time, mas foi surpreendido pelo CSA. ( Foto: supervasco.com)

Vasco tinha um bom time, mas foi surpreendido pelo CSA. ( Foto: supervasco.com)

Palmeiras x ASA

No início de 2002, o Palmeiras nem imaginava que chegaria a ser rebaixado para a segunda divisão do brasileirão daquele ano. Estava na primeira fase da Copa do Brasil e se deparou com um time pouco conhecido de Alagoas, o ASA. No primeiro jogo em Arapiraca o time da casa ganhou por 1 a 0.

A partida de volta foi no estádio Palestra Itália e o Palmeiras tinha um bom time com Marcos, Arce, Alex e outros mais. O Verdão começou pressionando, fez 1 a 0, mas o ASA empatou. Com esse gol, os paulistas teriam que fazer 3 a 1 para se classificar para a segunda fase. Fizeram só 2 a 1 e o Palmeiras foi eliminado da competição. Uma das maiores zebras até hoje.

Verdão tropeçou no ASA em 2002 (Foto: jovempan.com.br)

Verdão tropeçou no ASA em 2002 (Foto: jovempan.com.br)

Flamengo x Santo André

O confronto era entre o Flamengo, grande campeão nacional, da Libertadores e Mundial e o Santo André, time modesto do ABC paulista. Tinha tudo para ser uma ‘barbada’, apesar de o time de São Paulo já ter eliminado Palmeiras e Atlético/MG, durante aquela Copa do Brasil de 2004.

Os dois chegaram à final, o primeiro jogo em Santo André terminou empatado por 2 a 2. O Flamengo tinha o goleiro Júlio César, Róger, Athirson e o técnico Abel Braga; além de um Maracanã com mais de 70 mil pessoas. Mas o ‘ramalhão’, como é conhecido o Santo André, não se abateu e marcou 2 a 0. O ABC paulista tinha um campeão inédito.

Santo André calou mais de 70 mil flamenguistas em 2004 (Foto: estadao.com.br)

Santo André calou mais de 70 mil flamenguistas em 2004 (Foto: estadao.com.br)

Fluminense x Paulista

Uma equipe que elimina Internacional, Cruzeiro e Botafogo chega com credenciais muito boas para uma final. Essa era a campanha do Paulista, time do interior de São Paulo, precisamente Jundiaí. Do outro lado havia o Fluminense, time de grande expressão e salários muito maiores que o time paulista. Esse era o cenário para os confrontos decisivos da Copa do Brasil de 2005.

O que ocorreu com o Flamengo no ano anterior estava fresco na memória do tocedor tricolor carioca, mas nem o mais pessimista acreditaria em uma derrota do Flu. O primeiro jogo aconteceu em Jundiaí, com vitória por 2 a 0 para o Paulista. Na partida de volta, em São Januário, o Fluminense se lançou ao ataque, mas o técnico da equipe paulista, Vagner Mancini, armou um esquema bem fechadinho e o time de Jundiaí conquistou a taça pela primeira vez, com um empate em 0 a 0.

Jogadores do Paulista comemoram o feito inédito diante do Fluminense (Foto: Gazeta Press)

Jogadores do Paulista comemoram o feito inédito diante do Fluminense (Foto: Gazeta Press)

O que o torcedor corintiano se pergunta é: ”Será que vamos entrar para esse ‘seleto’ grupo?”. O tempo e a partida de volta contra o Luverdense vão dizer se o Corinthians vai se comportar como time grande que é e passar de fase. Ou se a fábula de Davi e Golias vai ser adaptada aos tempos modernos e o time do Mato Grosso será mais uma surpresa na história da Copa do Brasil.

 





Copa do Brasil: Paysandu se prepara para enfrentar o Atlético-PR, pela partida de volta da competição

23 07 2013

Após empate em 0 a 0, em Belém-PA, o Papão precisa vencer ou empatar com gols para se classificar as oitavas de final.

Por Artur Rebouças

Jogadores participaram de coletivo no CT do Coritiba ( Foto: Site oficial do clube)

Jogadores participaram de coletivo no CT do Coritiba ( Foto: Site oficial do clube)

Buscando a sua classificação para as oitavas  de final da Copa do Brasil, o Paysandu enfrenta o Atlético-PR, na noite desta quarta-feira, na Vila Capanema, em Curitiba-PR.

Após o empatar sem gols na primeira partida, no estádio Mangueirão, cabe ao Papão da Curuzu vencer a partida desta quarta-feira, ou empatar com gols, para avançar na competição.

Visando esse confronto, os jogadores do Paysandu realizaram treinamento, na tarde da última segunda-feira, no CT do Coritiba. Os jogadores fizeram um treino coletivo de 45 minutos, sob os olhares do técnico Givanildo Oliveira.

Na parte final da atividade, os jogadores que atuaram na partida do último sábado, diante o Boa Esporte-MG, pela Série B, deram algumas voltas ao redor do campo. Ausente da última partida, devido a dores na panturrilha direita, o experiente atacante Iarley, foi liberado pelo departamento médico e participou normalmente das atividades.

Primeira partida ficou no 0 a 0, no Mangueirão (Foto: site oficial do clube)

Primeira partida ficou no 0 a 0, no Mangueirão (Foto: site oficial do clube)

Fora dessa partida, o atacante Marcelo Nicácio treinou em separado do grupo, sob  comando do preparador físico Wellington Vero.

Esse será o 13° confronto entre as duas equipes, ao longo da história.  A única vitória do time paraense diante do Atlético-PR, ocorreu no dia 13 de agosto de 2005, no estádio Mangueirão,  pelo Campeonato Brasileiro da Série A.





ABC-RN é eliminado pelo Goiás na Copa do Brasil

18 07 2013

Empate em 1 a 1, diante do Goiás-GO, eliminou o Mais Querido, que já havia perdido o primeiro confronto por 3 a 0, na última semana.

Por Artur Rebouças

ABC-RN está fora da Copa do Brasil (Foto: Divulgação/ Site oficial do clube)

ABC-RN está fora da Copa do Brasil (Foto: Divulgação/ Site oficial do clube)

Jogando no estádio Frasqueirão, o ABC-RN foi eliminado da Copa do Brasil pelo Goiás-GO, após empate em 1 a 1, na noite da última quarta-feira, pela terceira fase da competição.

Para se classificar o ABC-RN precisava de uma vitória por mais de três gols de diferença, ou então devolver o placar de 3 a 0, obtido pelo time goiano, no jogo de ida, no Serra Dourada.

Precisando balançar as redes, o Mais Querido até que tentou ensaiar uma possível classificação com um gol de Diego Barcelos, aos 32 minutos do primeiro tempo. No entanto, o Goiás tratou de jogar um balde de água fria no sonho Alvinegro, com Hugo deixando tudo igual, aos 26 minutos da etapa final.

Com o empate em 1 a 1, o ABC-RN deu adeus à competição, enquanto isso, o Goiás avança á próxima fase, e se mantém na disputa.

FICHA TÉCNICA 
ABC 1 X 1 GOIÁS

Local: Estádio Frasqueirão, em Natal (RN)
Data: 17 de julho de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Luiz Carlos Silva Teixeira e Dijalma Silva Ferreira, ambos da Bahia.
Público: 3.411 pagantes
Renda: R$ 8.106,00
Cartões amarelos: Renan Oliveira, Clayton Sales e Júnior Viçosa (Goiás)
Gols:
ABC: Diogo Barcellos, aos 32 minutos do primeiro tempo; GOIÁS: Hugo, aos 26 minutos do segundo tempo

ABC: Rafael Roballo; Renato, Flávio Boaventura (Vinicius), Lino e Guto; Bileu, Edson, Diogo Barcellos e Tony; Erick Flores e Wanderley (Gilcimar).
Técnico: Waldemar Lemos

GOIÁS: Renan; Clayton Sales (David), Valmir Lucas, Rdrigo e William Matheus; Amaral, Thiago Mendes, Renan Oliveira (Júnior Viçosa) e Hugo; Araújo (Erik) e Neto Baiano.
Técnico: Enderson Moreira





ABC-RN acredita em avanço na Copa do Brasil contra o Goiás

17 07 2013

ABC-RN acredita em avanço na Copa do Brasil contra o Goiás

No Frasqueirão, time potiguar aposta na força da torcida para reverter placar de 3 a 0

Por Luiz Queiroga

Técnico Waldemar Lemos ainda não venceu no comando do ABC (Foto: Divulgação/ABC)

A noite desta quarta-feira (17) promete esquentar ainda mais o clima da cidade de Natal, que receberá o duelo entre ABC e Goiás, pela Copa do Brasil. No jogo de ida, o time goiano venceu pelo elástico placar de 3 a 0 e está com um pé nas oitavas de final. No Frasqueirão, porém, o ABC acredita na classificação para a próxima fase do torneio.

– Sabemos que é difícil, mas não é impossível conseguir esse resultado. Vamos entrar mais ofensivos justamente por isso. Vamos tentar um gol ou dois logo no primeiro tempo para tentar conseguir o resultado – disse o meia Diogo Barcellos, ao “GLOBOESPORTE.COM”.

REABILITAÇÃO: técnico do ABC acredita em reviravolta no Brasileirão

Desde que assumiu o comando do ABC, o técnico Waldemar Lemos não venceu. A última partida foi pela Série B do Campeonato Brasileiro diante do Palmeiras, no Pacaembu, na qual o time foi goleado por 4 a 1. O clube vive momento apreensivo na temporada e só um verdadeiro milagre pode amenizar o ambiente alvinegro.

O ABC perdeu de 3 a 0 no Serra Dourada e precisa se superar para avançar na Copa do Brasil (Foto: Divulgação/Goiás)

Para tanto, Waldemar Lemos precisará novamente superar os desfalques da equipe, que não são poucos. A começar pelo zagueiro Gladstone, o meia Erivélton e os atacantes Alvinho, Pingo e Rafael Santiago, que já disputaram a Copa do Brasil por outras equipes e não podem defender o ABC. Para piorar, estão entregues ao departamento médico o goleiro Lopes, o lateral Raulen e o volante Leandro Santos, além do volante Mateus e do atacante Rodrigo Silva, que estão em fase final de recuperação.

NO RIVAL: América-RN apresenta atacante ex-Flamengo

A boa notícia é a volta do atacante Wanderley, que se recuperou de uma lesão na coxa. Para o duelo decisivo e que pode definir qual será o futuro do ABC na temporada, o clube abaixou o preço dos ingressos para que o Frasqueirão esteja lotado nesta noite.

FICHA TÉCNICA da partida entre ABC X GOIÁS
Local: Frasqueirão, em Natal (RN)
Data/Hora: 17/7/2013, às 21h50
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Dijalma Silva Ferreira Jr (BA)

ABC: Rafael Roballo, Renato, Flávio Boaventura, Lino e Guto; Bileu, Edson, Diogo Barcelos e Tony; Erick Flores e Wanderley – Técnico: Waldemar Lemos.

GOIÁS: Renan; Clayton Sales, Valmir Lucas, Rodrigo e William Matheus; Amaral, Thiago Mendes, Renan Oliveira e Hugo; Erik e Walter – Técnico: Enderson Moreira.





Palmeiras renova contrato com a Rede Globo até 2017

15 07 2012

Clube paulista terá mais de R$ 40 milhões para reforçar o elenco para Libertadores 2013

Por: Felipe Lemos

Palmeiras campeão invicto da Copa do Brasil 2012. Foto: Marcos Ribolli/Globo Esporte.com

Após a conquista da Copa do Brasil 2012, o Palmeiras terá renda extra para reforçar seu time para a disputa da Série A e da Copa Libertadores 2013. Além de receber valores dos patrocinadores e da CBF pelo campeonato, o clube paulista também renovou com a Rede Globo até 2017.

O JornalismoFC apurou em primeira mão que o antigo contrato com emissora era até 2015. Com a renovação do contrato, o Palmeiras vai receber R$ 30 milhões que chega nesta semana. Além disso o clube alviverde receberá dos patrocinadores Kia(5 milhões) e Adidas(4 milhões)  R$ 9 milhões e da Copa do Brasil R$ 4,2 milhões.

Com a luvas da Rede Globo e dos patrocinadores, o alviverde estuda contratar jogadores experientes para reforçar o Palmeiras  para a disputa do torneio intercontinental do ano que vem. Alguns nomes que são cogitados pela cúpula palestrina: Riquelme, Pablo Mouche e Anderson Polga.

O clube paulista também já iniciou na semana passada o projeto para a Libertadores 2013, a principal meta é renovar o contrato do técnico Luiz Felipe Scolari: cogita-se formular um contrato para que o treinador fique no clube até o Centenário, em 2014. Outra meta é tentar a renovação de contrato com o zagueiro Thiago Heleno, junto com o seu empresário Juan Figer.

Outros clubes que também renovaram com a Rede Globo é o Goiás até 2018, São Paulo e Grêmio até 2017 com a emissora de televisão. Corinthians e Santos também serão contatados para renovar seus contratos com a emissora de TV.





No alto de sua glória: Palmeiras exorciza fantasma do Couto Pereira e é campeão da Copa do Brasil

12 07 2012

Com a conquista, o Verdão tornou-se o maior campeão de torneios nacionais, com onze conquistas

Por Caio MartinsBruna Farias 

Marcos Assunção levanta a taça da Copa do Brasil (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

Onze de julho de 2012. Um dia que ficará na memória de milhões de palmeirenses. Após 12 anos de jejum de conquistas de títulos nacionais, o Palmeiras superou todas as expectativas e, com um futebol pragmático e eficiente, conquistou a Copa do Brasil pela segunda vez em sua história após um empate por 1 a 1. E não havia adversário e palco melhores para a final: o Coritiba e o Couto Pereira. Cerca de um ano e dois meses atrás, o clube do Palestra Itália sofria uma das maiores goleadas do futebol brasileiro: 6 a 0. A memorável goleada aconteceu no mesmo estádio da finalíssima desta quarta-feira. Dessa vez, a festa foi palmeirense. Destaque para Marcos Assunção, impecável na marcação e novamente decisivo na bola parada, e Henrique, que se mostrou um verdadeiro achado como volante. Com a conquista, o Verdão garantiu sua vaga para a tão sonhada Taça Libertadores do próximo ano.

Capitão do Palmeiras, Marcos Assunção foi o grande nome da partida (Foto: Miguel Schincariol/Globoesporte.com)

No início do jogo, o que se esperava era um Coritiba incisivo e forte no ataque. Realmente, foi isso o que aconteceu. No entanto, a equipe de Marcelo Oliveira esbarrou no forte sistema defensivo criado por Luiz Felipe Scolari e, apesar de ter mais a posse de bola, não conseguiu criar muitas oportunidades que pudessem abrir o placar em Curitiba. O primeiro lance de perigo foi paulista: aos 12min, Mazinho rolou para Juninho bater colocado e ver Vanderlei se esticar todo para fazer grande defesa. 

As ações ofensivas do Coxa não conseguiam superar a zaga palmeirense. Aos 19, Marcos Assunção levantou na área e Betinho, completamente livre, pegou mal na bola e mandou pela linha de fundo. O Palmeiras parecia se sentir em casa e, naturalmente, criava boas chances. Com 27min, Assunção cobrou falta de muito longe e a bola passou muito perto da trave direita de Vanderlei. A resposta paranaense veio no minuto seguinte, quando Éverton Costa ganhou bola dividida dentro da área e, de calcanhar, rolou para Rafinha chutar de três dedos. A bola passou raspando a trave de Bruno, que tentou fazer a defesa. Assim como na partida de ida das semifinais, contra o Grêmio no Estádio Olímpico, o Palmeiras fazia grande partida defensiva e não permitia que os mandantes abrissem o placar.

Betinho comemora o gol do título do Palmeiras (Foto: AE)

O segundo tempo começou ainda mais corrido. O Coritiba, precisando de dois gols para empatar a disputa, tentava furar o ferrolho verde paulista. E o “furo” só veio em uma bola parada. Ayrton, que havia acabado de entrar no lugar do lateral Jonas, cobrou falta com perfeição e abriu o placar, para o delírio dos torcedores coxa-branca no Couto Pereira aos 17min.

Quando todo o contexto indicava um jogo de ataque contra defesa, apenas, o grande nome do Palmeiras e do jogo entrou em cena. Marcos Assunção, aos 20min, cobrou falta pela direita e Betinho escorou de cabeça. A bola, literalmente, morreu no canto direito de Vanderlei: 1 a 1.

Abatidos, os jogadores do Coxa não mostravam reação. A torcida, menos ainda. A partir do gol, o time paulista cresceu no jogo e tomou conta da partida. Aos 28, Assunção cobrou nova falta, desta vez pela esquerda, e acertou a trave do goleiro do Coxa. Na sequência, dois lances perigosos dos mandantes. No primeiro, Everton Ribeiro arriscou de longe e obrigou Bruno a fazer belíssima defesa. No outro, Rafinha fez jogada individual e chutou rasteiro, à direita do arqueiro palmeirense.

Com o título na mão, os jogadores do Palmeiras apenas administraram o resultado e tocavam passes no campo de ataque. O zagueiro Pereira perdeu a cabeça e foi expulso. Cenário mais que perfeito para o Verdão, que, um ano após a goleada sofrida para o mesmo Coritiba, no mesmo Couto Pereira, consagrou a bela campanha invicta na Copa do Brasil com o bicampeonato do torneio.

Felipão foi um dos palmeirenses mais festejados no gramado do Couto Pereira (Foto: Fernando Borges/Terra)

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Couto Pereira, Curitiba (PR)
Data/Hora: 11/07/2012 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-DF)
Assistentes: Carlos Berkenbrok (FIFA-SC) e Alessandro Rocha de Mattos (FIFA-BA)

Renda e público: R$1.193.108,00/ 31.382 pagantes
Cartões amarelos: Rafinha, Lincoln e Lucas Mendes (CTB); Juninho, João Vítor, Artur e Marcos Assunção (PAL)
Cartão vermelho: Pereira (CTB)
GOLS: Ayrton, 16’/2ºT (1-0) e Betinho, 20’/2ºT (1-1)

CORITIBA: Vanderlei, Jonas (Ayrton, Intervalo), Pereira, Demerson e Lucas Mendes; Willian, Sergio Manoel (Lincoln, 14’/2ºT), Rafinha, Everton Ribeiro e Roberto (Anderson Aquino, 21’/2ºT); Everton Costa. Técnico: Marcelo Oliveira

PALMEIRAS: Bruno, Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno (Leandro Amaro, 37’/1ºT) e Juninho; Henrique, Marcos Assunção, João Vítor (Márcio Araújo, 29’/2ºT) e Daniel Carvalho (Luan, 11’/2ºT); Mazinho e Betinho. Técnico: Luiz Felipe Scolari.








%d blogueiros gostam disto: