Aberta a temporada de caça aos ingressos da Copa

26 08 2013

FIFA inicia primeira fase de vendas dos ingressos para a Copa do Mundo 2014 e a busca promete ser intensa.

                                                                          Por João Siqueira

As vendas de ingressos para a Copa do Mundo 2014 tiveram início às sete horas da manhã da última terça-feira (20) através do site oficial da FIFA (www.fifa.com) e, ao que tudo indica, terá uma enorme concorrência. A primeira fase do processo de compra das entradas se estenderá até o dia 20 de outubro, quando, de acordo com a procura, será efetuado um sorteio para que um pequeno público obtenha a oportunidade de compra. Os preços dos ingressos vão variar de R$ 60 a R$ 1.980, considerados os valores cheios e com a meia-entrada a um mínimo de R$ 30. No dia em que antecedeu o início das vendas (19), Jérôme Valcke declarou que os ingressos poderão ser recebidos pelo correio – com custo adicional – ao invés de serem exclusivamente retirados em pontos de entrega. Esta medida visa uma melhoria na logística do processo de entrega dos tíquetes.

Jérôme Valcke, secretário-geral da FIFA (Foto: FABRICE COFFRINI / AFP)

O Maraca é nosso ?

É evidente que a Copa do Mundo de 2014 será, na pior das hipóteses, um grande campeonato e uma bela festa, afinal, a principal intenção dos órgãos estatais brasileiros é “mostrar” a cara do Brasil para o mundo. Porém, essa imagem que será veiculada é totalmente idealizada, construída e manipulada. O Brasil da Copa não é e nunca será o Brasil conhecido como país do futebol. Nosso verdadeiro país é aquele das peladas em favelas, campeonatos amadores, torcedores apaixonados, pessoas simples e devotos do domingo à tarde.

A construção e/ou reforma de estádios, a transformação deles em arenas e o preço inacessível dos ingressos está contribuindo massivamente para a segregação social e para a elitização do mais popular esporte nacional. O público que frequentou os estádios durante a Copa das Confederações será o mesmo presente no ano que vem – a elite social brasileira somada aos turistas.

Zico comemorando gol em frente à antiga geral do Maracanã

Talvez seja essa a causa de o Campeonato Brasileiro apresentar uma média de público de, apenas 12.900 pessoas. Tanto o governo quanto os clubes brasileiros estão plagiando o futebol europeu. As arenas, o conforto, o público e o preço estão sendo controlados, porém, diferentemente do modelo europeu, no Brasil só foram praticados insucessos. Consequentemente, a média de público tem sido desastrosa.

O futebol brasileiro está perdendo as suas características e possivelmente se entregará aos padrões FIFA e padrões UEFA. Se persistirmos nesse caminho, o verdadeiro povo brasileiro será privado da sua cultura e o acesso ao futebol será obliterado assim como a antiga geral do Maracanã, ex-patrimônio cultural brasileiro.

A construção e/ou reforma de estádios, a transformação deles em arenas e o preço inacessível dos ingressos está contribuindo massivamente para a segregação social e para a elitização do mais popular esporte nacional. O público que frequentou os estádios durante a Copa das Confederações será o mesmo presente no ano que vem – a elite social brasileira somada aos turistas.

Anúncios




Aldo Rebelo defende patrocínio de empresas estatais e maior participação do governo na gestão do Esporte

28 05 2013
Ministro Aldo Rebelo fala sobre futuro do futebol brasileiro

Ministro Aldo Rebelo fala sobre futuro do futebol brasileiro



Danilo Gonçalo

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, é favorável aos patrocínios de empresas estatais a clubes do Brasil e defende uma maior participação do Governo Federal na gestão das entidades esportivas do País.

Em reunião com um time de 11 jornalistas e blogueiros na segunda-feira (27), o ministro afirmou que o Governo precisa voltar a ter influência políticas nas entidades que comandam o esporte no Brasil.

“Defendo que o Estado tenha poder de impor regras e limites por interesse público e por interesse nacional”, afirmou Aldo. O ministro explicou que a intromissão na gestão é necessária para limitar mandatos de dirigentes e evitar que sejam usados para “projetos pessoais” em detrimento do esporte. “defendo a limitação dos mandatos e a profissionalização da gestão”, disse.

Ministro do Esporte quer evitar que futebol “vire ópera”

Aldo aponta que, como financiador do esporte nacional, o Estado tem o dever de cobrar uma gestão profissionalizada. “Vamos pôr R$ 1 bilhão na preparação de atletas para a Olimpíada do Rio, por que não podemos ter participação [nas decisões]?”

O titular do Ministério do Esporte afirmou ainda que concorda com o patrocínio das estatais a clubes. Palmeirense, deixou a paixão de lado para dizer que os acordos da Caixa Econômica Federal com Corinthians e Flamengo não foi uma decisão governamental, mas “mercadológica”, e descartou ser uma tentativa de o Estado se infiltrar na gestão dos clubes pela porta dos fundos, forçando a profissionalização da gestão.

“Foi uma decisão mercadológica. Dá mais retorno para as empresas que pôr dinheiro na televisão”.

Ex-Santos, André é apresentado pelo Vasco

Apesar da negativa do ministro sobre forçar a profissionalização, o patrocínio das estatais acaba – com ou sem esse objetivo – obrigando os clubes a melhorar sua gestão. Nenhum clube pode receber dinheiro dessas empresas se dever alguns impostos para o Governo, todos precisam apresentar uma CND (Certidão Negativa de Débito) para assinar contrato.

Patrocínio x Retorno

O ministro defendeu de forma ferrenha o patrocínio das estatais aos clubes esportivos e afirmou que o futebol dá mais retorno que aplicar dinheiro em publicidade em jornais, revistas e TV.

Neymar é a segunda contratação mais cara do Barcelona

Aldo acrescentou que o investimento no esporte é muito menor que o volume pago aplicado nos meios de comunicação. “Ninguém torce para um canal de TV”, e a paixão é um bom meio de se explorar para ter retorno, segundo as regras do marketing.





#JFCnaCopa: Alô? Brasil precisa de 10 mil antenas de celular até 2014

27 02 2013

São Paulo e Rio de Janeiro necessitam praticamente da metade desse número

Por Luiz Queiroga

Para abastecer a demanda, Brasil precisará de 10 mil antenas de celular (Foto: Xcarlitox/WikiCommons)

Para abastecer a demanda, Brasil precisará de 10 mil antenas de celular (Foto: Xcarlitox/WikiCommons)

Após uma lei federal para homogeneizar as regras sobre instalação de municípios brasileiros ser aprovada no Senado, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal  estima que todas as 12 cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014 precisarão de 9.566 licenças para a implantação de antenas de quarta geração da telefonia móvel, conhecida por 4G.

A lei ainda deverá passar pela Câmara dos Deputados neste primeiro semestre do ano. Caso seja aprovada, acontecerá de modo oportuno para o sindicato, que observa uma vertiginosa demanda da população do país por serviços móveis, principalmente a banda larga para celular.

A cidade que precisará se adequar à lei é São Paulo, com 2.784 antenas, seguida por Rio de Janeiro, com 1.723. Completando o pódio, Brasília exigirá 954 licenças. Em sequência, Porto Alegre (665), Curitiba (652), Belo Horizonte (642), Salvador (564), Recife (490), Fortaleza (441), Manaus (271), Cuiabá (215) e Natal (165).

– Precisamos ter qualidade, precisamos ter cobertura, as pessoas estão reclamando. Precisamos ter serviço de melhor qualidade, mas se os municípios não deixarem instalar antenas, não vai ter o serviço – declarou Paulo Bernardo, ministro das Comunicações.

Desafio para a implantação do 4G no Brasil

A tecnologia utilizada pelo 4G exige duas a três vezes superiores o número de antenas que abasteciam a frequência utilizado pela tecnologia de terceira geração, o 3G, utilizada atualmente para internet móvel. A entidade ainda prevê que para cumprir com a lei, será necessária uma média de 30 Estações Rádio Base instaladas por dia.

Segundo a SINDITELEBRASIL, em abril deste ano já estará em funcionamento o uso do 4G nas cidades-sedes da Copa das Confederações e em dezembro de 2013 para as da Copa do Mundo. As prestadoras de telefonia móvel já se compromissaram com as exigências para aderirem à infraestrutura do 4G.





José Maria Marin: “Uma mudança total”

26 01 2013

Presidente da CBF confirma nesta sexta-feira o novo coordenador das categorias de base da seleção Brasileira, o tetracampeão em 94, Bebeto

Por Camila Neves

Bebeto (direita) posta foto ao lado do presidente Marin (Foto: Reprodução/Twitter)

“É um exemplo de atleta dentro e fora dos gramados. Ele esteve nas categorias de base, é um campeão mundial, então ele poderá dar uma grande contribuição ao futebol brasileiro, principalmente na formação das equipes de base”. Essas foram as palavras que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin, descreveu o ex-jogador Bebeto à Radio Globo para defini-lo como coordenador das categorias de base da seleção brasileira.

Com os dois sendo integrantes do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, estão tendo múltiplos encontros ultimamente e há pelo menos três meses vêm conversando. Em um desses, na Argentina, foi feito o convite oficial para o cargo.

O também deputado estadual do Rio de Janeiro postou em seu Twitter assim que foi anunciada a confirmação da proposta. Sua oficialização ocorrerá durante a próxima semana.

– Como muitos já sabem, fui convidado para ser coordenador das seleções de base. Com muita honra aceitei o convite e agradeço o apoio de vocês – publicou na internet.

Em relação ao seu filho, Matteus, que está na equipe que foi eliminada do Sul-Americano, Bebeto foi claro ao dizer que não haverá influências e quem estiver jogando melhor que será convocado.

Ao ser questionado sobre quem seria o técnico, e se havia alguma possibilidade de o Bebeto ser, Marin negou e disse que procura algum treinador que está em atividade e que tenha experiência com jogador profissional. Até falou em tom de brincadeira que “não precisa ser  ampeão do mundo, mas que tenha experiência e que tenha, acima de tudo, autoridade para mostrar o melhor caminho a esses jovens”.





Motivado, Felipão “convocará” experiência para ajustar Seleção

29 11 2012

Técnico não teme juventude da equipe atual, mas reforçou que chamará veteranos

Por Luiz Queiroga

Felipão foi anunciado de forma oficial pela CBF, no Rio de Janeiro (Foto: Bruno de Lima)

Em sua primeira coletiva de imprensa, na manhã desta quinta-feira (29), após ser anunciado como técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari mostrou-se bastante calmo diante dos jornalistas e muito confiante no projeto que terá pela frente até a Copa do Mundo no Brasil em 2014, ao lado do coordenador da Seleção Carlos Alberto Parreira.

Presidente José Maria Marin enalteceu o trabalho de Felipão (Foto: Bruno de Lima)

Uma das primeiras questões direcionadas a Felipão foi quanto a “Família Scolari”, símbolo marcante da campanha invicta do pentacampeonato mundial de 2002, mas o treinador preferiu evitar o termo ao afirmar que aposta “em um ambiente de união para que a gente chegue à Copa confiantes e que todos tenham participação e sejam importantes para a Seleção”.

Com estreia marcada para dia 6 de fevereiro, em amistoso diante da Inglaterra no estádio Wembley, Luiz Felipe Scolari afirmou que não começará do zero o seu trabalho, aproveitando, portanto, ao parte do legado deixado pelo companheiro de trabalho Mano Menezes.

Luiz Felipe Scolari (esquerda) e Carlos Alberto Parreira esperam ser uma dupla de sucesso (Foto: Bruno de Lima)

Reeditando 2002, Felipão pode convocar Ronaldinho entre outros veteranos para dar mais experiência a jovem Seleção (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

– Claro que não vamos começar do zero. Isso não existe. Em 2002, também pegamos uma Seleção, e depois com o decorrer dos amistosos fomos colocando um ou outro jogador diferente do que lá estava. É o que vamos fazer agora. Vamos pegar essa base, e a partir dela alguma coisa vai ser implementada.

Logo depois o técnico já emendou o discurso de usar jogadores experientes para ajustar carências que a equipe nacional apresenta, o que fez nomes como Robinho, Júlio César e, principalmente, Ronaldinho serem novamente ligados à seleção brasileira. Felipão declarou que o time é “jovem, sim. Tem um craque, que é o Neymar, mas há outros jogadores mais experientes que podem somar à equipe”.

Confira trechos da coletiva do técnico Luiz Felipe Scolari:





Fase iluminada rende convocação de Barcos para a seleção da Argentina

23 08 2012

Artilheiro da temporada no Palmeiras, ‘el Pirata’ foi chamado pela primeira vez

Por Caio Martins

É a vez do Pirata! Em grande fase, Barcos tem sua primeira oportunidade na seleção da Argentina (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

Em grande fase no Palmeiras, o atacante Barcos foi convocado por Alejandro Sabella para defender a seleção argentina nas Eliminatórias da Copa do Mundo. O jogador, que já tem 21 gols com a camisa do Verdão, jogará pelo seu país pela primeira vez. Por conta disso, a convocação do ‘Pirata’ foi uma surpresa, até para o próprio atleta.

– É uma recompensa. Ainda não acredito. Foi o próprio Sabella quem me chamou. Minha família está muito emocionada, não posso acreditar – disse à Rádio 9, da Argentina.

Barcos estará no grupo que irá enfrentar o Paraguai, na Argentina, e o Peru fora de casa. Disposto a agarrar a oportunidade com unhas e dentes, o camisa 9 palmeirense se disse muito honrado por ter a chance de jogar ao lado de grandes jogadores, caso de Lionel Messi.

– Vou tentar aproveitar esta grande oportunidade. Vou lutar lado a lado com grandes jogadores e que eu admiro. A seleção da Argentina sempre foi e continua sendo formada por craques, jogadores de personalidade e vitoriosos. Quero muito aproveitar essa oportunidade, pois trata-se de um sonho de criança que se concretizou. Com muita humildade, espero retribuir a confiança dada pelo Sabella – disse Barcos ao site do Palmeiras.

O atacante já havia pensado em naturalizar-se equatoriano para atuar por uma seleção. Seus golaços e grandes atuações pelo Palmeiras, no entanto, lhe rendeu a convocação. Barcos deve atuar pelo alviverde até o jogo contra o Grêmio, já pelo segundo turno do Brasileirão. Depois do jogo, deve viajar e desfalcar o time nos jogos contra Grêmio, Atlético-MG e possivelmente Vasco.





#Copa2014: Pela primeira vez na história a adidas promove a escolha do nome da Bola Oficial da Copa do Mundo da FIFA

14 08 2012

Os brasileiros poderão escolher o nome da bola que será a estrela do próximo mundial, realizado no Brasil em 2014

Por Redação

Nessa segunda-feira (13), a adidas lançou uma campanha para a escolha do nome da Bola Oficial da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™. O nome será escolhido por meio de uma votação popular realizada na internet.Inspirada nos elementos da cultura brasileira – música, arte, moda e futebol – a ação proporcionará aos Brasileiros a oportunidade inédita de escolher seu nome favorito, entre uma seleção de três opções.

“Para a adidas do Brasil é um orgulho dar ao povo brasileiro, apaixonado por futebol, a oportunidade de fazer parte efetivamente da Copa do Mundo. A escolha do nome da Bola Oficial por voto popular traz engajamento para toda nação”, declara Fernando Basualdo, Diretor Geral da adidas do Brasil.

A adidas ouviu torcedores de todo o Brasil com o intuito de chegar a uma lista com três alternativas de nomes, cada qual selecionado por ter uma forte ligação com a cultura brasileira:

Anúncio da votação está no site da adidas (Foto: Reprodução)

BOSSA NOVA
Assim como o futebol Brasileiro, a Bossa Nova conquistou o mundo com arte e beleza. Por isso esse ritmo foi sempre associado à forma como o brasileiro joga bola, ousado e fazendo com que tudo pareça muito fácil.

BRAZUCA
A bola que vai rolar nos gramados do Brasil tem que ter a alegria e a irreverência do nosso povo. Será a bola que vai representar o orgulho de ser brasileiro e a paixão pelo futebol.

CARNAVALESCA
O Brasil é ritmo, ginga, alegria, espetáculo. Com a bola ou o samba no pé, o povo brasileiro encanta o mundo. Por isso, a Carnavalesca representa a mistura de povos em uma bola que tem tudo a ver com a cultura e arte nacional.

“Escolher o nome da bola do maior evento do mundo, numa ação inédita, é para a adidas a consagração do relacionamento de respeito e cumplicidade com nosso consumidor”, afirma Rodrigo Messias, Diretor do Projeto da Copa do Mundo da FIFA 2014™ para o Brasil.

Em parceria com a Rede Globo, a campanha de votação terá duração de três semanas, e representa o primeiro passo da adidas na jornada rumo a Copa do Mundo da FIFA 2014™.

A votação será feita nos sites:

www.adidas.com.br/nomedabola2014

www.nomedabola2014.com.br

Além disso, todas as pessoas que votarem na escolha do nome da bola serão convidadas a participar de uma promoção para concorrer a um par de ingressos para assistir ao jogo do Brasil na abertura da Copa do Mundo da FIFA 2014™. Ao todo serão sorteados 10 ingressos pela Caixa Econômica Federal.

A promoção será realizada no site:

www.adidas.com.br/nome-da-bola-2014/promocao

A adidas é parceira oficial da FIFA™ há mais de 40 anos, fornecendo as bolas oficiais dos campeonatos mundiais para todas as partidas desde 1970.

Para mais informações e para participar da votação do nome da Bola Oficial da Copa do Mundo da FIFA 2014™ visite: www.adidas.com.br/nomedabola2014 ou participe com seus comentários em www.facebook.com/adidasfootball ou www.twitter.com/adidasfutebol








%d blogueiros gostam disto: