“Eu acredito!”: Galo acreditou e conquistou a América

25 07 2013

Atlético MG conquistou o título mais importante de sua história

Por Camila Andrade

Galo conquista a Libertadores pela primeira vez (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP))

Galo levanta a taça (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP)

A noite desta quarta-feira (24) ficou na história do futebol brasileiro e, principalmente, do Clube Atlético Mineiro. O título inédito; a artilharia; o segundo time brasileiro a levantar a taça na disputa de pênaltis, na competição; a maior renda do futebol nacional; as defesas de Vítor; o primeiro time a ser o melhor na primeira fase e conquistar o título. Estes e outros motivos foram o que garantiram ao Galo, a conquista da América.

Motivados pelo “Eu acredito!”, o Atlético MG, conseguiu marcar dois gols, diante do Olimpia, no Mineirão, e levar a decisão para a prorrogação, em seguida para as penalidades. Victor defendeu a primeira cobrança; viu a bola ir para fora, na última; e seus colegas não desperdiçaram.

Eram exatos 58.620 torcedores, que formaram um mosaico com a frase: “Galo, Yes, We CAM”, e viram Victor, Michel, Réver, Leonardo Silva, Júnior César, Pierre, Josué, Ronaldinho, Bernard, Diego Tardelli e Jô, pisarem no gramado, precisando reverter o placar, que dava a vantagem ao time do Paraguai, por ter vencido por 2 x 0, no Defensores del Chaco.

Galo conquista a Libertadores pela primeira vez (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP)

Ronaldinho e Jô comemoram primeiro gol (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP)

A tarefa não era fácil, Gaúcho, Tardelli e Jô, logo de inicio tentaram abrir o placar, mas a sorte parecia que passava longe do Mineirão, naquela noite. Depois das tentativas mineiras, aos 25, Victor evitou o pior, defendendo uma bola de Bareiro, que entrou na área pelo lado esquerdo.

Com o passar do tempo, as investidas ficavam paradas na forte marcação paraguaia. Bernard e Ronaldinho arriscavam de longe, já Réver e Leonardo subiam ao ataque e tentaram de cabeça, mas nada fazia com que o Galo abrisse o marcador. E isso se estendeu durante os primeiros 45 minutos. Zero a zero, o titulo era do Olimpia. Era!

No intervalo, Pierre, com dores, saiu para a entrada de Rosinei. De volta ao gramado, apenas um minuto de partida e Jô, apareceu. O atacante aproveitou uma falha na zaga, e bateu no canto direito de Martín Silva. 1 x 0, dava para acreditar. Mesmo porque, o Olimpia se soltou mais em campo, o que fez com que o Galo fosse mais ao ataque.

Galo conquista a Libertadores pela primeira vez (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP)

Leonardo comemora gol (Foto: Vanderlei Almeida/ AFP)

Jô ficou no quase, pelo segundo gol; Tardelli, mandou uma bola na trave e caiu na área em outra oportunidade; Ronaldinho passou a chamar o jogo para ele; Cuca tirou Michel e colocou Alecssandro. Os mineiros ficavam cada vez mais próximos de conseguir empatar no placar agregado.  Até que, aos 38, um susto: Ferreyra conseguiu driblar Victor , mas escorregou. Era a deixa para Acreditar.

O tempo ia se esgotando, eram 41 minutos de partida. Bernard cruzou pela direita, Leonardo Silva, tentou de cabeça e conseguiu mandar para o fundo do gol. 2 x 0. O resultado que o Atlético precisava para levar o jogo para a prorrogação. Mais trinta minutos para o título. Foram os minutos mais sofridos da vida do Galo mineiro e não parou por ai. Sem gols, a decisão seria decidida nas penalidades.

Galo conquista a Libertadores pela primeira vez (Foto: Gil Leonard/LANCE!Press)

O herói atleticano (Foto: Gil Leonard/LANCE!Press)

De um lado: Miranda, Ferreyra, Candía, Aranda, Giménez e o goleiro Martín Silva. Do outro: Alecsandro, Guilherme, Jô, Leonardo Silva, Ronaldinho e Víctor, o goleiro que fez do Galo forte, acreditar, lutar e vencer. O arqueiro defendeu a primeira, de Miranda; os outros três paraguaios bateram e converteram; já os mineiros, anotaram os quatro primeiros; Ronaldinho seria o último, seria. Giménez, bateu para fora. O título era do alvinegro mineiro.

– Eu voltei para o Brasil para isso. Há pouco tempo diziam: ‘o Jô está acabado, o Ronaldinho está acabado’. Mostramos que nem sempre o atleta é o errado. Não estou dizendo que o jogador não comete erros, mas nem sempre o erro é deles – comentou Gaúcho, após a conquista.

– Por tudo que vivemos, que passamos, pela estrutura do clube… Hoje, fomos abençoados por tudo isso – desabafou Víctor, herói do Galo.

Cuca comemora a conquista (Foto: Douglas Magno/ AFP)

– Estou muito feliz. Ainda não caiu a ficha, mas ganhar dá um alívio enorme – disse o técnico Cuca, chamado de azarão.

– Ela é mais gostosa do que mulher! #Galo – escreveu Alexandre Kalil, em sua página no Twitter.

Os espectadores, que fizeram a festa e garantiram, também, a maior renda da história do futebol brasileiro (R$14.176.000,00), viram o Atlético MG, conquistar sua primeira Libertadores da América.

Anúncios

Ações

Information

One response

26 07 2013
Após dispensar Ronaldinho do Barça, Guardiola pode reencontrar o meia no Mundial |

[…] O título inédito da Taça Libertadores da América conquistado pelo Atlético-MG já remete automaticamente o pensamento para o Mundial de Clubes, no fim do ano, que será realizado em Marrocos. E um dos capítulos que surgem na história que o Galo está realizando é o possível reencontro do técnico Josep Guardiola com o meia Ronaldinho Gaúcho, após o espanhol ter dispensado o brasileiro do Barcelona, em 2008. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: