Copa das Confederações: no melhor jogo do torneio, Japão assusta, mas Itália ganha no fim e se classifica

19 06 2013

Japoneses surpreenderam em Recife, colocaram a Azurra na roda, mas Giovinco marcou o gol de vitória nos minutos finais

Por Luiz Queiroga

De arregalar os olhos! Japão e Itália promovem a melhor partida da Copa das Confederações (Foto: Uol)

Na noite desta quarta-feira (19), Itália e Japão entraram em campo na Arena Pernambuco pela segunda rodada da Copa das Confederações. Num jogo que era esperada a vitória tranquila da Azurra diante do time nipônico, foi presenciado em Recife um grande jogo, com um primeiro tempo de fortes emoções e de três gols, o Japão assutou, mas a Itália venceu por 4 a 3 nos minutos finais com o gol salvador de Giovinco, classificando a equipe para a fase semifinal.

O Japão passou por cima do favoritismo da Itália e ditou boa parte do primeiro tempo. Nos minutos iniciais, a meta do goleiro Buffon foi com frequência atacada. Aos quatro minutos, Maeda recebeu cruzamento na área e cabeceou para o gol, mas o arqueiro da Juventus defendeu.

Os japoneses pressionavam a saída de bola da Azurra, que pouco produzia até então. Mario Balotelli arriscou à gol aos sete minutos, mas o lance isolado não assustou a defesa armada pelo técnico Alberto Zaccheroni. Os presentes na Arena Pernambuco em instantes passaram a torcer em peso para os campeões asiáticos. Kagawa ainda tentou, mas o placar não foi alterado, o que aconteceu aos 19min, quando a defesa italiana errou e obrigou o goleiro Buffon a cometer pênalti em Okazaki. Na cobrança, Honda chutou com firmeza no canto direito.

O placar inusitado fez com que a Itália avançasse a marcação e tentasse pressionar a saída de bola nipônica. Precisando do resultado,  o técnico Cesare Prandelli tirou o volante Aquilani e colocou em campo o atacante Giovinco, mas que alterou o placar foi o Japão, mais uma vez. Aos 32min, Kagawa saiu da marcação dupla dentro da área e mandou para o fundo das redes, ampliando o placar.

O Japão passou a ser motivado pelos gritos de “Olé” que ecoavam pela Arena Pernambuco, mas a disparidade técnica entre as duas equipes logo prevaleceria em campo. A seleção nipônica assustou aos 36min, com Hasebe, que aproveitou rebote da falta cobrada por Endo, mas perdeu uma ótima oportunidade de ampliar. O castigo veio aos 40min, quando De Rossi cabeceou escanteio e fez com que a Itália fosse para o intervalo com esperanças: 2 a 1. O ponta Giaccherini ainda mandou uma bola na trave nos acréscimos.

Na etapa complementar, a Azurra que esboçava voltar ao jogo finalmente acordou, e em menos de 10 minutos. Aos quatro minutos, Giaccherini cruzou e o lateral Uchida jogou contra o próprio gol. No minuto seguinte, o árbitro marcou pênalti para a Azurra após toque de mão de Hasebe dentro da área. Mario Balotelli não perdoou e virou o placar para os italianos.

Balotelli marcou o gol de virada da Itália (Foto: Uol)

O clima esquentou ainda mais em Recife e as duas equipes promoveram um confronto bastante intenso e de muitas chances de gol. Aos 10min, Giovinco, que entrou muito bem na partida, arriscou de fora da área e exigiu que o goleiro adversário trabalhasse.

O Japão, que perdeu o foco por alguns instantes, soube se recompor e passou a correr atrás do empate de forma organizada. O time nipônico se adiantou e, com exceção do arqueiro Kawashima, todos os jogadores estavam no campo de defesa da Itália, que estava completamente recuada. Para ganhar mais no contra-ataque, Prandelli sacou Maggio e colocou Abate em campo. Mas quem passou a dominar as principais jogadas de perigo foi o time de Honda e Kagawa. Maeda foi lançado na área, mas chutou no lado de fora da rede, aos 19min. O gol, porém, veio aos 21min, com Okazaki, que cabeceou cruzamento de bola parada para o fundo das redes.

O ótimo momento do Japão foi evidenciado pouco tempo depois, quando Honda fez fila na entrada da área e mandou uma bomba contra Buffon, que defendeu, aos 25min. Balotelli até assustou, dois minutos depois, mas antes de chutar para o gol, o atacante dominou bola alçada na área com o braço.

O Japão passou a dominar por completo a Itália. Aos 31min, Honda cruzou para a área e Hasebe aproveitou sobra para chutar com perigo. Mas o grande lance de ataque nipônico aconteceu aos 35min, quando Okazaki recebeu na área e mandou uma bomba na trave esquerda. Na sobra, Kagawa cabeceou para o chão contra uma meta sem goleiro, mas a bola acertou o travessão.

Aos 40min, porém, o balde de água fria para os japoneses: Giovinco aproveitou contra-ataque para marcar o quarto gol da Azurra. O Japão ainda chegou a empatar, mas foi marcado o impedimento.

Com a vitória por 4 a 3, a Itália conseguiu a suada classificação para a semifinal e eliminou o Japão. Garantidos na semifinal, Azurra e Brasil definirão no próximo sábado (22) quem terminará em primeiro do Grupo A, enquanto que o Japão enfrentará o também eliminado México, no mesmo dia.

Anúncios

Ações

Information

2 responses

25 06 2013
Copa das Confederações: pela primeira vez, zebras não aparecem no torneio |

[…] para erguer o troféu. Das quatro equipes, apenas a Azurra teve dificuldades para se classificar, na partida contra o Japão, na qual venceu por 4 a 3 nos minutos finais. O Uruguai corria o risco de ser eliminada na fase de grupos também, mas goleou o Taiti por 8 a 0 […]

20 06 2013
Copa das Confederações: antes artilheiro com Felipão, Fred quer voltar a balançar as redes |

[…] RIVAL: próxima adversária do Brasil, Itália toma susto do Japão, mas garante vaga na semifinal […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: