Six Nations: Glória! Gales é campeão em cima da rival Inglaterra

18 03 2013

Dragões não deram chance para os britânicos e passearam em campo; Gales tornou-se o time mais campeão do torneio

Por Portal do Rugby

Six Nations

O País de Gales se sagrou bicampeão do Six Nations Championship ao derrotar nesse sábado (16) a Inglaterra, em Cardiff, pelo placar elástico de 30 a 3, para a festa da torcida vermelha. Com o segundo título consecutivo, Gales se tornou o maior campeão da história do campeonato desde 1883, somando nada menos que 26 títulos inteiros, mesmo número da Inglaterra, e 11 divididos, totalizando 37 conquistas, uma a mais que os britânciso. Merecida glória para o rugby do Dragão, que privou os rivais da Rosa de continuarem no topo do ranking histórico do torneio mais antigo do mundo.

Do abismo para a glória: País de Gales superou sequência de oito jogos sem vitória ano passado para conseguirem uma campanha soberana no Six Nations em 2013 (Foto: BBC)

No Millennium Stadium, Gales jogou inspirado desde o início da partida. Logo aos três minutos, Dan Biggar mostrou que estava ligado na partida, desferindo um lindo chute para a lateral, colocando Gales pela primeira vez no campo de ataque.

A superioridade no scrum fixo se mostrou o trunfo vermelho na disputa desde os primeiros minutos. Aos 10, a pressão imposta pelo pack anfitrião levou ao primeiro penal da partida e Halfpenny foi preciso: 3 a 0. O domínio galês se seguiu na base, induzindo os ingleses aos erros. Com novo penal aos 17min, os donos da casa ampliaram para 6 a 0, novamente com Halfpenny, de longa distância.

A Inglaterra não permitiu que Gales abrisse rapidamente o placar, e reduziu pouco depois, com penal chutado por Owen Farrell, batendo antes na trave. Porém, o domínio galês no scrum fixo era patente e de novo a primeira linha vermelha levou a Rosa a novo penal, não perdoado por Halfpenny: 9 a 3. A Inglaterra conseguiu novo penal aos 26min, mas, dessa vez, Farrell não foi feliz. A equipe se manteve no ataque, mas sem criatividade. Ben Youngs fez um passe desastroso que, interceptado por George North, quase se tornou fatal, se não fosse a maestria de Mike Brown no “tackle francês”. O momento, no entanto, era da Rosa, e, aos 33min, a jogada de mão do time branco saiu, com Farrell desferindo pela ponta lindo chute para Brown, que, contudo, recebeu o tackle na corrida e cometeu o knock-on. No último lance do primeiro tempo, Dan Biggar arriscou um drop goal, mas não teve sucesso.

Esmagador: Gales voou dentro de campo, em Cardiff (Foto: BBC)

O segundo tempo foi todo do time da casa, que voltou com muito mais gana pelo título, sentindo bem o momento superior. Entretanto, quem começou com um lance mais agudo foi a Inglaterra, que conseguiu lateral no campo de ataque e armou um poderoso volante, que não progrediu sobre os vermelhos. Gales ainda concedeu alguns turnovers a mais na partida, mantendo o English Team no páreo, mas por pouco tempo.

Aos 48min, Gales construir ótimas fases, e pressionou a Inglaterra em cima da linha de meta. Após mais de uma dezena de fases se defendendo sem perder a marca e flutuando incansavelmente, a Inglaterra cometeu mais um penal, que Halfpenny não perdeu, colocando finalmente Gales com mais de sete pontos de vantagem – diferença mínima necessária para os galeses serem campeões.

Os ingleses sentiram o bom momento do adversário e não foram capazes de emplacar uma reação, com seu pack sendo dominado e sua linha nada inspirada. Aos 56min, os vermelhos garantiram o turnover no meio campo e Justin Tipuric puxou o contra-ataque, que terminou com uma linda finalização de Alex Cuthbert, que correu pela ponta e mergulhou para o try, para o delírio da torcida celta.

Focado, Gales seguiu dominando as ações e, aos 65min, Dan Biggar viu muito bem a possibilidade de aumentar a vantagem, e desferiu um preciso drop goal, fazendo 20 a 3. Os ingleses sentiram o golpe, e a partir desse momento não houve mais chance de virada. Aos 66min, Faletau garantiu o lateral, Warburton puxou o contra-ataque, a bola saiu rápido para a linha e Tipuric, após lindo dummy, serviu novamente Cuthbert, que correu para seu segundo try no jogo, sepultando os poderosos arquirrivais.

Frustração, mas união: ingleses perderam o título na última rodada, mas mostraram força ao término da partida (Foto: BBC)

Aos 70min, Biggar chutou novo penal, ampliando o marcador: 30 a 3. No fim, a Inglaterra buscou defender a honra e quase conseguiu um try, com Toby Flood se infiltrando e recebendo o tackle pouco antes do in-goal. Na sequência, Danny Care fez um passe tenebroso para Ashton, desperdiçando o momento e caindo diante da forte defesa galesa, que subiu com perfeição.

Vitória maiúscula do País de Gales, que superou a sequência de oito derrotas consecutivas entre junho de 2012 e a primeira rodada do Six Nations 2013, para ir de encontro a um título memorável, conquistado no saldo de pontos. Festa para os heróis do XV do Dragão, que se superaram ao longo da disputa. E festa também para o técnico interino Rob Howley, que passou de treinador sem vitórias para campeão europeu.

Ficha Técnica: País de Gales(30) x (3) Inglaterra
Local: Millennium Stadium, Cardiff
Árbitro: Nigel Owens (País de Gales)

Irlanda – Tries: Cuthbert (56, 65); Conversões: Biggar (66); Penais: Halfpenny (10, 17, 23, 51), Biggar (70); Drop goals: Biggar (64)
Titulares: 15 Leigh Halfpenny, 14 Alex Cuthbert, 13 Jonathan Davies, 12 Jamie Roberts, 11 George North, 10 Dan Biggar, 9 Mike Phillips, 8 Toby Faletau, 7 Justin Tipuric, 6 Sam Warburton, 5 Ian Evans, 4 Alun-Wyn Jones, 3 Adam Jones, 2 Richard Hibbard, 1 Gethin Jenkins (c).
Suplentes: 
16 Ken Owens, 17 Paul James, 18 Scott Andrews, 19 Andrew Coombs, 20 Aaron Shingler, 21 Lloyd Williams, 22 James Hook, 23 Scott Williams.
Técnico: Rob Howley.

França – Penais: Farrell (20)
Titulares: 15 Alex Goode, 14 Chris Ashton, 13 Manu Tuilagi, 12 Brad Barritt, 11 Mike Brown, 10 Owen Farrell, 9 Ben Youngs, 8 Tom Wood, 7 Chris Robshaw (c), 6 Tom Croft, 5 Geoff Parling, 4 Joe Launchbury, 3 Dan Cole, 2 Tom Youngs, 1 Joe Marler.
Suplentes: 16 Dylan Hartley, 17 David Wilson, 18 Mako Vunipola, 19 Courtney Lawes, 20 James Haskell, 21 Danny Care, 22 Toby Flood, 23 Billy Twelvetrees.
Técnico: Stuart Lancaster.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: