A evolução dos uniformes de futebol

30 07 2012

Do simples algodão à tecnologia que dribla o suor

 

Em 1914, quando os primeiros uniformes de futebol surgiram eles não eram confortáveis, leves e de alta performance como conhecemos hoje. Feitos totalmente de algodão, eles eram resistentes, pesados, nada maleáveis e ainda nem tinham os escudos dos times estampados. Nessa época, alguns calções eram feitos de brim, um tecido resistente de linho e algodão, que hoje utilizados para artesanatos e forros para móveis. O tecido pesado, feito de fibras grossas de algodão, absorvia muito facilmente o suor do corpo, deixando os uniformes pesados e causando um desconforto enorme nos atletas, mas que já estavam acostumados a jogar daquela maneira. Até a década de 30, as camisas eram de manga longa e gola polo, os shorts iam até os joelhos e tudo isso dificultava o desempenho do boleiro.

A evolução dos uniformes dos jogadores. (Foto: Divulgação)

Foi a partir dos anos 40 que os uniformes começaram a ser feitos com o objetivo de ajudar o atleta: os calções curtos e as camisas de manga curta permitiam certa liberdade aos movimentos, mas o tecido ainda era aquele algodão puro pesado e de ruim absorção. No fim da década de 80, o calção e as meias eram de uma mescla de fibra e algodão, e a partir desta década a situação começou a melhorar. Em 1986, surgem as primeiras mesclas de algodão e poliéster mais leves, e que não encharcavam tanto quanto o algodão, e as caneleiras tornaram-se obrigatórias.

Em 94 a situação já era bem diferente! As camisas já eram de 100% poliéster e após a Copa do Mundo nos EUA, as competições FIFA exigem a presença obrigatória do nome do jogador nas costas e o número no peito. De 2002 em diante surgiram várias inovações e diferentes invenções com objetivo de aumentar a performance, como os uniformes do Brasil, com as camisas de camada dupla (desconfortáveis para vestir) – a camada interna evapora o suor e a externa mantém a temperatura do corpo – a Penalty lançando as bermudas térmicas sem costura, que diminui o atrito com a pele e várias outras.

Hoje em dia os uniformes de futebol utilizam tecnologias como a “TechFit”, que ajuda a melhorar a velocidade, resistência e capacidade de atenção dos atletas. Outros uniformes de times oficiais utilizam tecido leve e apresentam tecnologias Climalite/ClimaCool, a primeira afastando o suor da pele e mantendo o corpo seco e confortável e a segunda ajudando o suor a evaporar mais rápido, dando a sensação de frescor e fazendo com que o atleta se sinta mais leve e seguro em seus movimentos. Um exemplo da camisa utilizando a TechFit é a camiseta Adidas Techfit Entry e a ClimaCool é a camisa oficial do Palmeiras 2012.

Com tantas mudanças e melhorias nos vestuários dos boleiros, quem imaginou que não era possível evoluir em outro aspecto se enganou e hoje cada vez mais o futebol é invadido por inovações tecnológicas que entram em campo com o jogador. E você torcedor, o que achou dessa evolução? Acredita que ela realmente pode ajudar o jogador a aumentar seu desempenho?

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: