#Santos100Anos: Centenário de pura ousadia e alegria

14 04 2012

Documentário sobre a vida do clube reúne relatos de ídolos e torcedores; filme leva o telespectador para dentro das cenas que entraram para a história do futebol mundial

Por Luiz Queiroga

Quem chegava em Santos sentia algo diferente no ar. A paixão pelo time da cidade estava mais evidenciada com várias pessoas caminhando pelas ruas vestindo o manto do time da cidade mais que o comum. Faixas espalhadas timidamente em grandes avenidas ou ruas estreitas enfeitavam essa atmosfera. Sim, algo estava diferente no ar, afinal era um dia antes de o Santos Futebol Clube completar 100 (vividos) anos de existência.

Faixas comemorativas estavam espalhadas pela cidade (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo FC)

“É do presidente”, respondeu um rapaz da organização para uma funcionária do clube alvinegro, que perguntou de quem era o carro que estava atrapalhando o trabalho da montagem das grades de proteção em frente ao portão 16 da elegante Vila Belmiro.

Logo na entrada, um tapete vermelho recebia os convidados do evento centenário (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo FC)

Logo ao lado, jornalistas se amontoavam esperando o horário programado de entrada, que aumentava a cada instante sem previsão de definição. Inesperado, assim como toda expectativa sempre gerada em relação a quantos gols o time por toda essa euforia acontecer no fim da tarde dessa sexta-feira (13) marcaria no jogo seguinte. Euforia que deixou passar despercebido como a noite abraçou a cidade e obrigou a Vila ascender os holofotes para aquele grande evento, deixando o local ainda mais belo.

Aos poucos, imprensa, celebridades, torcedores e convidados adentravam ao estádio. No quarto andar, eram recepcionados por um enorme tapete vermelho, digno para a ocasião. Pausa para descontração de muitos enquanto o coquetel era servido antes da tão esperada hora, que, quando veio, fez com que o intenso calor nada amenizado com os ventiladores postos e os fios de televisão que se enrolavam nas pernas das pessoas no local fossem esquecido por instantes: a delegação santista havia chegado.

O velho barbudo havia chegado com o seu saco de presente: prato cheio para repórteres que se espremiam para conseguir uma simples declaração do presidente do Santos Futebol Clube Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, LAOR para alguns, Luis Álvaro para muitos. “Um minutinho só, deixa eu cumprimentar um amigo meu” disse ao ver se aproximando um dos mais ilustres torcedores do time, o sertanejo Chitãozinho, dando uma breve pausa naquele momento de tanto alvoroço. Após uma conversa rápida e descontraída, o presidente retornou a atenção aos jornalistas.

Chitãozinho cumprimenta o amigo Luis Álvaro logo assim que chegou à Vila (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo FC)

Neymar foi um dos grandes destaques na noite, esbanjando inclusive a elegância de sempre (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo FC)

Uma ausência era sentida, porém: a do dono da 10, Pelé, o responsável por dar muitas alegrias ao clube. Essa, porém, muito bem suprida pela presença daquele que se diz o melhor jogador do mundo de todos os tempos pelo simples fato de Pelé ser de outro planeta: Pepe, sinônimo de humildade, sinônimo de bom futebol, o eterno ponta esquerda santista.

A ausência do eterno camisa 10 realmente foi deixada de lado durante alguns momentos quando aquele hoje é comparado ao atleta de outro planeta desfilou pelo tapete vermelho aos passos de Michael Jackson, não pelo famoso estilo de dança mas sim em função do elegante chapéu que usava: Neymar. Novamente a euforia tomou conta do espaço e mais uma vez repórteres tentavam de tudo para arrancar uma fala que fosse da joia santista, que respondeu a um esforçado jornalista que venceu a sua barreira de seguranças: ” É muito grande ( a emoção ) e eu fico feliz de fazer parte dessa história maravilhosa”.

Conhecido pela maneira cativante e sincera de apresentar programas esportivos, o santista João Carlos de Albuquerque foi o mestre de cerimônia (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo FC)

Enfim a festa estava completa e ninguém melhor que João Carlos Albuquerque, veterano apresentador esportivo e santista declarado, para comandá-la. Antes de o documentário começar, porém, um canto fervoroso para o ídolo Pepe foi entoado por toda a arquibancada lotada: “Olê, olê, olê, olê, Pepe, Pepe”. Laor também fora ovacionado, assim como a responsável pela obra de arte que todos iriam assistir, Lina Chamie, após seus discursos à plateia.

A proposta de Lina, inclusive, era de fazer um documentário que levasse o torcedor para dentro do filme – que tem a mesma duração que uma partida de futebol, 90 minutos -, como se estivesse vivendo aquele momento realmente. Missão auxiliada primeiro pelo enorme telão que estava no gramado da Vila, além, claro, dos fogos de artifícios soltados antes, durante e depois do documentário.

Telão dava mais vida ao documentário a quem estava nas arquibancadas (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo FC)

De fato, as cenas como o eterno gol mil de Pelé, calorosamente aplaudido por todos, a despedida do mesmo, a dança de discoteca na visão do músico Mano Brown do camisa 9 Juari após balançar as redes, a pedalada de Robinho diante do zagueiro do maior rival Corinthians em plena final de Campeonato Paulista que dera o famoso pênalti fundamental para a sua conquista ou declarações como a do jornalista Xico Sá de quem via o Santos jogar se apaixonava, num piscar de olhos, é realmente como se estivesse em campo presenciando todos os momentos mágicos daqueles longos 100 anos de conquistas e emoções de um time que parou uma guerra.

A ousadia de torcedores afirmando que o esporte mais popular do mundo só atingiu esse patamar devido a tudo o que o Santos conquistou e encantou desde 1912 pode ser arduamente discutida e render boas horas de conversa e reflexão, mas é indiscutível o papel do Peixe na história. O futebol agradece.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Luiz Queiroga e Victor Pinto/Jornalismo FC

Anúncios

Ações

Information

3 responses

26 09 2012
É campeão! Com show de Neymar, Santos conquista a Recopa em cima da La U «

[…] Coube ao capitão Neymar erguer a taça da Recopa, conquista inédita na história do clube, dando mais alegrias para o centenário santista. CompartilheGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar […]

14 04 2012
#Santos100Anos: Neymar e Ganso demonstram satisfação ao entrar na história do clube «

[…] entre todos do elenco do Santos, na festa do centenário do clube e apresentação do filme “Santos: 100 anos de futebol e arte”. Neymar apareceu em grande estilo no evento (Foto: Luiz Queiroga/Jornalismo […]

14 04 2012
Luís Álvaro, emocionado, comemora o centenário do Santos «

[…] qualquer torcedor do Santos. Mas para Luís Álvaro Ribeiro parece ter sido ainda mais especial. No lançamento do documentário “Santos, 100 anos de Futebol Arte”, dirigido pela cineasta Lina Chamie, o mandatário afirmou, para a equipe do Jornalismo FC, que […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: